Buscar

Muitos também estão sem água desde sexta-feira (14). Merendeiras de escolas estaduais protestaram contra atraso nos salários.

Falta de coleta de lixo afeta moradores em Marília
Muitos também estão sem água desde sexta-feira (14). Merendeiras de escolas estaduais protestaram contra atraso nos salários.
20/10/2016 19h55 - Atualizado em 20/10/2016 20h28
Do G1 Bauru e Marília
Lixo se acumula nas ruas de Marília (Foto: Reprodução/TV TEM)Lixo se acumula nas ruas de Marília
(Foto: Reprodução/TV TEM)
Em Marília, os moradores estão vivendo um caos com os serviços públicos. Desde sexta-feira (14) os caminhões da coleta de lixo não passam, segundo os moradores. As sacolas se acumulam na calçada, não cabem mais na lixeira.
O soldador Deivid Willian da Silva não sabe o que fazer com tanto lixo dentro de casa. O condomínio onde ele mora já está com muito mau cheiro. “Atrapalha os moradores, porque o cheiro é insuportável.”
Em nota, a prefeitura informou que ocorreram dois casos pontuais de atraso na coleta de lixo. Um na sexta-feira passada e outro nesta terça-feira por problemas mecânicos em caminhões coletores. Os casos já foram resolvidos. Os setores estão sendo coletados normalmente por caminhões reservas.
Moradores estão sem água em casa (Foto: Reprodução/TV TEM)Moradores estão sem água em casa
(Foto: Reprodução/TV TEM)
Outro problema é a falta de água. Os moradores dos bairros das regiões norte e oeste estão sem água na torneira desde sexta-feira (14) . A prefeitura diz que a adutora que causou o problema foi consertada e que o abastecimento já voltou ao normal, mas a água ainda não chegou em muitas casas. A prefeitura informou em nota que por conta da grande demanda e do calor, os reservatórios ainda não estão com a capacidade máxima.
A aposentada Lúcia Oliveira Silva lava a louça com água que buscou na fonte. “Você não tem água para tomar banho, eu não tenho criança, mas tenho um animal, e a casa está cheirando mal. Fiquei oito dias sem água, eu ligo no DAE e não adianta reclamar.”
Além desses problemas, as merendeiras das escolas estaduais de Marília paralisaram as atividades nesta quinta-feira (20). Elas reclamam do salário atrasado. O dinheiro do pagamento seria repassado pelo estado ao município que deve fazer o pagamento a uma empresa terceirizada que faz a contratação das merendeiras.
Em nota, a prefeitura informou que uma comissão dos manifestantes foi recebida pelo secretário de planejamento econômico, Rodrigo Zotti, e ficou definido que o pagamento será feito até no máximo dia 25. Eles explicaram que o pagamento é feito para a empresa terceirizada, responsável pelas merendeiras, com recursos próprios da prefeitura.
Merendeiras protestam contra atraso nos salários (Foto: Reprodução/TV TEM)Merendeiras protestam contra atraso nos salários (Foto: Reprodução/TV TEM)

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS