Buscar

Explosão em Paraguaçu Paulista

Os vizinhos da empresa processadora de óleo de Paraguaçu Paulista (SP) se assustaram com a explosão de um tanque de extração na segunda-feira (24). A empresa fica em um bairro residencial e pedaços de metal e de telhas voaram mais de cem metros e atingiram muitas casas. O incêndio teria começado depois que o local foi atingido por um raio, segundo testemunhas. Cinco funcionários ficaram feridos durante o incidente e uma vizinha morreu após sofrer um infarto.
A cozinheira Adriana da Silva Pereira estava em casa quando peças da empresa atingiram seu imóvel. “Eu estava sentada na sala assistindo televisão quando teve a explosão e parece que jogou uma pedra bem forte. Veio essa explosão e o fogo junto. A chama era tão alta. Quando eu cheguei na porta da cozinha tinha fogo, voltei pra trás tinha fogo. Abri a janela estava igual um furacão voando peças no ar: Zinco, madeira, já caindo em cima da casa. Meu marido achou que era granizo, mas eram pedaços da fábrica que estavam caindo. Foi uma coisa terrível porque eu sei o quanto de gente que trabalha ali nesse horário, a gente já pensa nas famílias”, conta.
Uma telha de zinco foi parar no telhado da casa da vendedora Camila da Silva. "Foi muita coisa que voou. A gente ficou desesperado achando que fosse chuva de pedra. Minha mãe saiu e já viu o fogo subindo, ai a gente pegou as coisas e saiu correndo."
Feridos
Um dos cinco funcionários da empresa que se machucou enquanto tentava fugir após a explosão, já teve alta do hospital. O saqueiro Ricardo dos Santos estava a poucos metros do tanque. Ele teve um arranhão na perna e um machucado no braço.
"Do nada deu um raio, ai uma explosão. Não deu para ver mais nada, nós agachamos e saímos correndo para dentro. No que eu fui correr, eu escorreguei e bati o braço", lembra.
Os cinco feridos são todos funcionários da empresa, um deles, Adriano Pereira da Silva, de 38 anos, teve 70% do corpo queimado e foi transferido para um hospital especializado em Ribeirão Preto. Outras duas pessoas também sofreram queimaduras, uma delas teve 50% do corpo queimado e está internado em um hospital especializado de Marília. Outra teve ferimentos mais leves e está internado em um hospital da cidade.
Um técnico em segurança sofreu fadiga física após ajudar no combate às chamas. Ele recebeu atendimento médico e foi liberado.
Telha da casa foi danificada pelas peças  (Foto: Manoel Moreno/ I7 Notícias)Telha da casa foi danificada pelas peças (Foto: Manoel Moreno/ I7 Notícias)

A empresa ficou sem energia por mais de três horas e a rua em frente ao local foi interditada. Caminhões-pipa da Sabesp e de outra usina, da vizinha cidade de Quatá, ajudaram a apagar o incêndio. Os bombeiros de
 Paraguaçu Paulista  também tiveram apoio de soldados da cidade de Assis.Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo foi no setor de extração de óleo, produzido pela empresa. Logo após a explosão, as equipes de segurança da empresa começaram a combater o fogo e a resfriar os tanques.
“A gente chegou aqui ainda se encontrava com incêndio na extração final do óleo, produto final da empresa. Nós tivemos uma atuação bem rápida conseguimos conter o incêndio bem rápido, evitamos que as chamas se propagassem para locais de mais risco, para os outros tanques e agora a gente segue no resfriamento dos tanques para que não haja risco de novo incêndio”, explica a capitão Lidiara Kurac.
No fim da noite, um carro de som avisou os moradores que o local estava fora de perigo. Em nota, a Louis Dreyfus Company informou que apura as causas do incêndio e está concentrando seus esforços em prestar assistência às vítimas.
incendio em paraguaçu paulista (Foto: Arquivo Pessoal)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog

NOTÍCIAS

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS