Buscar

“Armazém da droga” seria usado para abastecer o “atacado” (leia mais abaixo) no tráfico de toda a região.

FONTE: http://www.jcnet.com.br/

Em operação conjunta da Polícia Militar (PM) e da Polícia Militar Rodoviária, três homens foram presos ontem à tarde com 453,8 quilos de maconha escondidos em uma chácara localizada na vicinal de acesso de Piratininga à rodovia Bauru-Marília (SP-294), em Piratininga (13 quilômetros de Bauru). O “armazém da droga” seria usado para abastecer o “atacado” (leia mais abaixo) no tráfico de toda a região.
George Mário de Oliveira Querobim, 34 anos, Tarley Ribeiro Angelino, 54 anos, e David Faria dos Santos, 18 anos, foram presos em flagrante e conduzidos à Delegacia de Polícia de Piratininga, onde o boletim de ocorrência (BO) foi elaborado. Os três são moradores de Bauru e responderão por tráfico de drogas e associação ao tráfico.
O 1.º tenente PM Vinícius Sayki explica que, após denúncia, os policiais ficaram alerta e conseguiram fazer a abordagem. “Recebemos uma denúncia anônima no início da tarde de que haveria uma grande quantidade de entorpecente enterrada em uma chácara na região. Como tratava-se de um volume muito grande, fizemos uma operação conjunta, envolvendo o Canil, o Águia e a Polícia Rodoviária”, destaca.
Samantha Ciuffa
O volume de droga era tamanho que foi preciso mais de uma viatura policial para o transporte
Abordagem
Uma viatura do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) abordou um Fiat/Palio na rodovia Bauru-Marília, na altura da Ponte do Cedro (divisa de Bauru com Piratininga), com três homens, em atitude suspeita. 
“Foi feita a abordagem e, ali, os policiais já localizaram um tijolo de maconha e R$ 2 mil em dinheiro. Eles confessaram que havia droga enterrada em uma chácara. Em seguida, fomos para o local indicado. Eles mostraram, inicialmente, um barril. Em seguida, apontaram o restante dos barris”, detalha o tenente Sayki. 
Mais de 500 tijolos foram localizados, totalizando 453,8 quilos da droga.
Além do entorpecente, os policiais apreenderam uma balança de precisão, que era usada para pesar o entorpecente, o Fiat/Palio onde os homens foram abordados, um Hyundai/I30, e R$ 2 mil em dinheiro.
No 'atacado'
Segundo a PM, a chácara era usada como um depósito dos traficantes que atuam no “atacado”. Eles revendiam o entorpecente a traficantes do “varejo”, para, então, a maconha chegar ao consumidor final. A droga armazenada na chácara abastecia Bauru e outras cidades da região.
“Eles vieram para cá e pegaram uma ‘amostra’, para testar a droga. Se eles constatarem que é de boa qualidade, aí compram uma quantidade maior. Foram cinco barris ao todo, que estavam enterrados na chácara”, completa o 1.º tenente PM Vinícius Sayki. 
Os homens flagrados ontem teriam dito o primeiro nome do proprietário da chácara. A polícia, agora, tenta identificá-lo.
Segundo o delegado Francisco Bromati Filho, que registrou o caso, os acusados foram encaminhados para a Cadeia de Avaí e, posteriormente, irão para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru.

Blogs

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS