Pesquisar este blog

Buscar

Os professores e servidores da Rede Municipal de João Pessoa, que deflagraram greve nesta segunda-feira (16), realizaram um protesto nesta manhã em frente ao Centro Administrativo Municipal

Os professores e servidores da Rede Municipal de João Pessoa, que deflagraram greve nesta segunda-feira (16), realizaram um protesto nesta manhã em frente ao Centro Administrativo Municipal, no bairro de Água Fria. Segundo o sindicato, o objetivo é reabrir as negociações sobre o reajuste salarial da classe com o prefeito Luciano Cartaxo (PT). Em reunião na sexta-feira (13), Cartaxo ofereceu uma proposta de aumento de 3%, considerada “bem abaixo do esperado” pelos professores, que reivindicam um reajuste de 16%.
Categoria usou faixas durante o protesto (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Categoria usou faixas durante o protesto
(Foto: Walter Paparazzo/G1)
Luiz Armando, que participa da comissão de negociação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de João Pessoa (Sintem), disse que a proposta não será aceita pela categoria. “Não podemos chegar na assembleia desta quarta-feira (18) com este percentual. Está muito abaixo do esperado. Inclusive, esta proposta da prefeitura cessou a negociação das outras reivindicações”, relatou.
O protesto, segundo Luiz, tem como objetivo chamar atenção do prefeito para que as negociações possam ser retomadas, em relação ao reajuste e sobre as modificações no Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR).
A Prefeitura de João Pessoa informou por meio de nota à imprensa que lamenta a decisão dos professores da Rede Municipal de entrarem em greve “mesmo antes de avaliarem a proposta feita na última sexta-feira, 13, durante reunião entre representantes da categoria e o prefeito Luciano Cartaxo”. Segundo o documento, foi apresentada uma proposta de reajuste real de 3%, “mesmo com a crise econômica que atinge o poder público em todo o país”.
“A educação sempre foi uma das prioridades da atual gestão, que em apenas dois anos já investiu mais de R$ 2 milhões exclusivamente na formação dos professores, como forma de melhorar a qualidade do ensino. Além disso, também foi realizado um dos maiores concursos públicos para seleção de professores, quando mais 1.300 profissionais foram empossados para reforçar a equipe da rede municipal. O prefeito Luciano Cartaxo está aberto ao diálogo como forma de conciliar o que deseja a categoria e com o que é possível oferecer”, diz a nota.

Segundo a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), o protesto se encerrou por volta das 11h e o trânsito voltou a fluir normalmente por volta das 12h. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS