Buscar

O pedido de abertura de uma comissão processante (SP) contra o prefeito de Marília (SP) foi negado na câmara na sessão desta segunda-feira (10).

O pedido de abertura de uma comissão processante (SP) contra o prefeito de Marília (SP) foi negado na câmara na sessão desta segunda-feira (10). Parte da população discordou da decisão dos vereadores e protestaram com gritaria no plenário. A sessão teve de ser suspensa por alguns minutos.
“Já que foi proposta a comissão, ela deveria ser aprovada para justamente apurar todas as reponsabilidades. Marília foi avisada pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) desde o início do ano passado, a população tem culpa, mas é dever do poder publico orientar essa população”, reclama o aposentado Luiz Batista Souto.
O pedido de abertura da CP foi feito pelo servidor público Antônio Vieira para investigar supostas negligências do prefeito Vinícius Camarinha no combate a epidemia de dengue. Por dez votos contrários e três favoráveis, a instalação da comissão processante foi rejeitada pelos vereadores.
Funcionário público pediu abertura de CP (Foto: Reprodução / TV TEM)Funcionário público pediu abertura de CP
(Foto: Reprodução / TV TEM)
“Eu acho que nesse momento os vereadores estão comprometidos com outras coisas. Houve um erro no ano passado e os vereadores não querem investigar. A gente só chega no estado de epidemia porque alguma coisa não foi feita. A gente quer essa resposta”, conta Veira.
A sessão durou três horas e mais de 70 moradores acompanharam a votação. “Todo mundo tem que ser responsável pelos seus atos. Sou favorável que apurem os fatos. Faltou um pouco de coragem de botar a cara”, afirma a bancária aposentada Maria de Lourdes Tavares Gomes. 
No pedido de abertura da comissão foram apontadas supostas negligências nas ações de combates preventivos aos criadouros do mosquito da dengue. O pedido citava ainda o relatório emitido no ano passado pela Sucen, que alertava o risco de epidemia neste ano em Marília.Apesar do protesto, alguns moradores, como a dona de casa Silvana Olivato, não concordam que a culpa seja do prefeito. “Não acredito que toda a culpa seja do prefeito, não adianta eu descuidar do meu lado e culpar o prefeito”, explica Olivato.
Com cartazes, moradores pediam comissão processante (Foto: Reprodução / TV TEM)Com cartazes, moradores pediam comissão
processante (Foto: Reprodução / TV TEM)
O vereador Wilson Damasceno (PSDB) lamentou a rejeição da abertura da comissão. Ele disse que vai acompanhar o trabalho de investigação do Ministério Público. “Era uma oportunidade que a câmara tinha para buscar as respostas. Também o prefeito poderia incentivar a comissão processante. Era o momento para apresentar o que eventualmente fez”, argumenta.
O vice-presidente da câmara Marcos Rezende disse que uma comissão, já formada por três vereadores, foi criada para acompanhar as ações da Secretaria de Saúde. “Procuramos o MP para apurar possíveis irregularidades e omissões no combate à epidemia. A câmara nomeou uma comissão de três vereadores para verificar essas ações.”
O Ministério Público abriu uma nova investigação para apurar o contrato da prefeitura com a empresa para ações de combate à dengue. Sobre essa nova ação, a prefeitura informou que ainda não foi notificada.

Blogs

Postagens mais visitadas

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS