Buscar

tufão Neoguri: 590 mil pessoas foram afetadas por recomendação de evacuação

Imagem da Nasa mostra tufão Neoguri no Japão

Tufão Neoguri: 590 mil pessoas foram afetadas por recomendação de evacuação
fonte: Exame.com 

Tóquio - As autoridades japonesas confirmaram nesta terça-feira o alerta máximo nas ilhas do sul do país para a passagem do tufão Neoguri, que já deixou três feridos e uma pessoa desaparecida, e recomendaram a mais de 590.000 pessoas que abandonem suas casas.
A agência meteorológica japonesa emitiu na segunda-feira uma "alerta especial" com previsão de ventos fortes,chuvas torrenciais e ondas gigantes, que já estavam afetando as zonas meridionais.
"É uma situação excepcional, com um perigo potencial enorme e queremos que a população esteja em um local seguro e siga as instruções das autoridades locais", advertiu um funcionário da agência.
Três pessoas, incluindo uma idosa de 83 anos, ficaram feridas, segundo as autoridades (oito de acordo com o canal NHK), e um homem de 62 anos desapareceu no mar de Kochi, oeste do país.
A agência meteorológica colocou em alerta a ilha de Miyako, onde recomendou a saída dos 55.000 habitantes na segunda-feira à noite.
A mesma recomendação foi formulada durante a manhã para 42.000 habitantes de Nanjo e 96.000 de Ginowan, duas aglomerações do sul da ilha de Okinawa.
Além disso, 136.600 moradores da cidade de Okinawa e outros 113.000 de Urasoe também receberam o pedido de procurar os abrigos municipais.
No total, 590.000 pessoas foram afetadas pela recomendação de evacuação.
Mas apenas dezenas de milhares atenderam o pedido, segundo as autoridades regionais.
Em Okinawa, 68.500 casas estavam sem energia elétrica.
Os canais de televisão exibiram imagens de ruas desertas, afetadas por ventos violentos e chuvas torrenciais, com árvores balançando, galhos quebrados nas estradas e o mar completamente agitado.
As ondas poderiam alcançar até 14 metros de altura, segundo a agência meteorológica.
Todos os voos previstos para esta terça-feira foram cancelados em Okinawa, assim como as viagens de barco entre as ilhas.
As escolas e empresas permaneceram fechadas.
O tufão Neoguri, que tem diâmetro de várias centenas de quilômetros, seguirá previsivelmente o avanço lento (entre 20 e 25 km/h) em sentido norte e depois leste, com ventos de até 270 km/h.
Os ventos violentos e as altas ondas representam um sério perigo" para o arquipélago situado ao sul de Okinawa, onde está a ilha de Miyako, disse Satoshi Ebihara, encarregado da agência meteorológica em coletiva de imprensa.
Ebihara informou que a população sabe que deve "tomar as medidas adequadas para se proteger", caso a situação exija.
De viagem ao exterior, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, determinou que sejam tomadas todas as medidas necessárias para fazer frente à ameaça que o violento tufão representa.
Segundo as últimas previsões da agência meteorológica, o tufão atravessará praticamente todo o Japão, do sul ao norte e de oeste a leste, ao longo da semana.
Às 14h00 (2H00 de Brasília), o centro do Neoguri, que significa "guaxinim" em coreano, oitavo tufão da temporada, estava 200 km ao oeste da ilha de Okinawa.

Tóquio - As autoridades do Japão recomendaram que aproximadamente 500 mil pessoas deixem suas casas, além do fechamento de escolas e do cancelamento de dezenas de voos, devido à chegada de um forte tufão ao sul do país nesta terça-feira.

tufão "Neoguri" é considerado de intensidade "muito forte" pela Agência Japonesa de Meteorologia (JMA, sigla em inglês) e já alcançou as ilhas mais ao sul do arquipélago de Okinawa.
O órgão meteorológico japonês declarou o alerta máximo nas ilhas de Miyako e Okinawa, sobretudo devido às rajadas de vento - que devem atingir 270 km/h - e às grandes ondulações, que poderão chegar aos 14 metros de altura, informou a JMA em seu site.
O tufão também provocará chuvas intensas, com até 60 milímetros por hora de precipitação em algumas áreas de Okinawa.
A JMA recomendou "todas as precauções possíveis" para que a população dessas regiões se proteja do fenômeno atmosférico, enquanto as autoridades locais já tomaram algumas medidas nas áreas que devem ser atingidas pelo tufão com mais força.
Nesse sentido, foi recomendada a evacuação de aproximadamente 500 mil pessoas em dez municípios de Okinawa e também foi emitida uma solicitação para que todos aqueles que não se sintam seguros busquem asilo em algum abrigo.
A Prefeitura de Miyakojima (a principal população das ilhas Miyako) organizou a retirada dos 55 mil moradores da cidade, e todos os colégios da Prefeitura de Okinawa permanecerão fechados hoje.
Além disso, todas as decolagens e pousos previstos para hoje nessa região japonesa foram cancelados e nenhum dos serviços de transporte marítimo vai funcionar, nem os barcos pesqueiros.
Por sua vez, a companhia elétrica da região, Okinawa Electric Power Company, informou que cerca de 6,5 mil pessoas estão sem energia elétrica desde as 6h locais (20h de Brasília da segunda-feira).
Nessa hora, o "Neoguri" se encontrava a cerca de 100 quilômetros ao sudeste das ilhas Miyako e se deslocava rumo ao arquipélago japonês a uma velocidade de 25 km/h.
Trata-se do oitavo tufão da temporada e a JMA o considera como o mais forte até agora registrado em um mês de julho.
Após sua passagem pelo sul do Japão, o "Neoguri" se dirigirá ao norte pelo Mar da China Oriental e mudará seu curso gradualmente para o leste, segundo as previsões da agência japonesa.
O tufão alcançará a ilha de Kyushu - a terceira maior do arquipélago japonês - na quinta-feira e, posteriormente, pode chegar a Honshu, onde ficam as cidades mais povoadas do país, Tóquio e Osaka. 
fonte:http://exame2.abrilm.com.br/assets/images/2014/7/500823/size_590_tufaoneoguri.jpg?1404825131

Blogs

Postagens mais visitadas

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS