Buscar

Vagas de empregos em Marília

Bruno ex goleiro do Flamengo é contratado por time de Minas Gerais

Mesmo detido na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG), o goleiro Bruno assinou um contrato com um novo time, o Montes Claros FC, na manhã desta sexta-feira, para voltar a jogar. Presidente do clube que disputa o Módulo II do Campeonato Mineiro, Ville Mocellin justificou a contratação do atleta e disse que aposta no retorno do ex-goleiro do Flamengo e Atlético-MG a uma equipe grande. O vínculo será de cinco anos, até o dia 27 de fevereiro de 2019, com valor recisório de R$ 2,86 milhões.
- Estamos conversando sobre o Bruno desde o ano passado. Queremos dar uma oportunidade para o homem Bruno e também ao atleta. O contrato é de cinco anos e a multa de R$ 2,86 milhões. É uma multa razoável. Não é grande pelo nível do atleta, já que ele pode voltar a jogar futebol e com certeza vai voltar a jogar em uma equipe grande. Com certeza vão ter muitos clubes interessados - afirmou o dirigente.
Bruno julgamento goleiro (Foto: Reuters)Bruno está preso desde julho de 2010, condenado a 22 anos e três meses de reclusão (Foto: Reuters)
O jogador, inclusive, já teve seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Agora ele precisa que a Justiça libere sua transferência para o presídio de Montes Claros para poder defender o time da cidade. A equipe é líder do Grupo B do Módulo II do Campeonato Mineiro (que equivale à segunda divisão).
Bruno está preso desde julho de 2010. Ele foi condenado a 22 anos e três meses de reclusão pelo desaparecimento e assassinato de Eliza Samudio. O goleiro assinou o contrato no presídio, levado por seu advogado Francisco Simim.

Vídeo do Desabafo de Joaquim Barbosa: DESABAFA E DENUNCIA ESQUEMA DE DILMA PARA DOMINAR STF E ABSOLVER MENSALEIROS

Aumento do Salário dos Professores

DILMA PROMETE AUMENTAR SALÁRIO DE DOCENTE COM DINHEIRO DO PRÉ-SAL

Presidente disse também que os investimentos em Educação são fundamentais para o país superar a pobreza

Fonte: Valor Econômico (SP)
A poucos meses do início da campanha pela reeleição, a presidente Dilma Rousseff voltou a afirmar que Educação é prioridade em seu governo e prometeu aumentar os salários dos Professores da rede pública, sinalizando que Ensino será uma de suas principais bandeiras na corrida eleitoral. "Nós vamos gastar dinheiro pagando Professor", discursou, durante mais uma solenidade de formatura do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) realizada ontem, em São Paulo.
Diante de 3,8 mil formandos do Pronatec, Professores e algumas autoridades, entre elas o prefeito da capital paulista, Fernando Haddad (PT), e o ministro da Educação, José Henrique Paim, Dilma disse que os investimentos em Educação são fundamentais para o país superar a pobreza e, sem fixar uma data, se comprometeu a pagar melhor os Docentes, usando como fonte de receita os royalties da camada de petróleo do pré-sal.
"Tem curso de boa qualidade sem Professor bem pago? Eu sou presidenta da República e digo para vocês que não tem, não. Precisamos pagar bem os Professores. Nós vamos gastar dinheiro pagando Professor, construindo Escolas em dois turnos e laboratórios", afirmou. "Aí vocês me perguntam: Presidenta, de onde que sai esse dinheiro, hein? O Brasil é um país rico, temos petróleo. E o petróleo gera royalties. O governo federal mandou uma lei para o Congresso dizendo o seguinte: 75% dos royalties e 50% do que dá de óleo no pré-sal têm que ser obrigatoriamente destinado para a Educação. O dinheiro sai daí. Essa riqueza finita tem que ser transformada numa riqueza que não acaba: a Educação", explicou Dilma à multidão de adolescente e jovens entre 16 e 20 anos, tentando soar didática e se esforçando, sem sucesso, para perder o excesso de formalismo.
Para especialistas em Educação e lideranças Docentes, o discurso de Dilma é mais teórico do que prático. O cientista político Daniel Cara, coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, lembra que, os recursos do pré-sal carimbados para a Educação só começaram a entrar no cofre do governo a partir de 2019, na previsão otimista, ou 2022, na expectativa mais pessimista.
"O montante desses recursos também vai depender do preço do barril de petróleo no mercado internacional. A execução orçamentária do MEC foi ruim em 2013. Por que o governo não Dilma não melhora a gestão e já transfere o dinheiro não usado pelo ministério para Estados e municípios aumentarem o salário dos Professores e, assim, cumprirem o piso da categoria?", questiona Cara.
O presidente da Confederação Nacional de Trabalhadores da Educação (CNTE), Roberto Leão Franklin, reconhece que Dilma tem colocado a área educacional no centro de sua agenda, mas a presidente precisa dar um passo além. "Para usar o dinheiro do pré-sal não depende só de vontade dela. O direcionamento desses recursos futuros para uma Educação de qualidade e aumentar salário de Professor dependem de regulamentação da lei para determinar como Estados e municípios vão usar essa verba. Isso não está claro, é teoria", diz Leão.
O sindicalista sugere também ação mais firme do governo federal no sentido de fazer com que governos estaduais e prefeituras cumpram integralmente a lei nacional do piso Docente, de 2008. Essa legislação estabelece hoje um salário mínimo de cerca de R$ 1,6 mil, elaboração de planos de carreira e reformulação da jornada de trabalho, destacando um terço da carga horária para atividades fora da sala de aula. "A União poderia ser mais efetiva na pressão e na complementação salarial a Estados e municípios com dificuldades em cumprir o piso. Isso ainda está em aberto. A presidente poderia fazer, mas infelizmente não fez", acrescenta Leão.
Dilma, que só discursou e saiu sem conversar com os jornalistas presentes na formatura do Pronatec, ressaltou a importância do Ensino técnico. Ela garantiu que, até o fim deste ano, o governo vai cumprir a meta de 8 milhões de matrículas do programa, que acumula orçamento de R$ 14 bilhões entre 2011 e 2014.
"Quando fizemos o programa, em 2011, havia um pessimismo no ar. Hoje, temos 5,8 milhões de matrículas. Tenho certeza de que vamos chegar lá. Para o meu governo, a Educação é prioritária", repetiu a presidente, argumentando que o Brasil precisa de técnicos, cientistas e pesquisadores para se desenvolver e acabar com a desigualdade social. "A Educação é o caminho a ser trilhado para deixar para trás a história trágica de desigualdade no nosso país."

Rebanhão - Marília



programacao Rebanhao
DIA 1 à 4/03 Rebanhão
PREPARANDO UM POVO BEM DISPOSTO
Sábado
18h-terço mariano
20h-missa
22h-Show BANDA ESTER
23h-Sacramix
Domingo
15h-terço misericordia
18h-missa
20h-grupo de oração
Seg
20h-missa
22h-Show diversos
23h-Sacramix
Terça
10h-Animação e pregações
12h-Almoço coletivo pago
13h-pregação
15h-pregação do Rcc
17h-missa encerramento do rebanhão
ENTRADA FRANCA
PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO
LOCAL: ESPAÇO HELENA GUERRA
Rua Benedito Alves Delfino. Referência Nikkei, Sasazaki
 — 


fonte:
https://www.facebook.com/profile.php?id=100007347754221&fref=ts

Matriculas abertas para o Estudo de Línguas Cel


O CEL Centro de Línguas de Marília, Pompéia e Garça estão com matrículas abertas

veja os documentos necessários para a matrícula no CEL

AQUI:
http://cidadedemarilia.blogspot.com.br/2014/02/cel-ee-monsenhor-bicudo-ee-cultura-e.html
CEL MARÍLIA E REGIÃO

CEL: E.E. Monsenhor Bicudo – E.E. Cultura e Liberdade – Pompéia E.E. Hilmar Machado de Oliveira – Garça

CEL - CENTRO DE ESTUDOS DE LÍNGUAS


 
Os CELs oferecem os cursos de Espanhol, Alemão, Italiano, Japonês, Inglês, Mandarim e Francês.
Os interessados nesses cursos devem estar matriculados na rede pública estadual e ETECs, a partir do
7º. Ano do Ensino Fundamental. Para o idioma Inglês, o aluno deverá estar cursando o Ensino
Médio/EJA.

Documentos necessários:
- Declaração de matrícula; - Cópia do RG; - 2 ou 3 fotos 3x4;
- Certidão de Nascimento; - Comprovante de endereço.

Apresente a documentação em um CEL da Diretoria de Ensino Região de Marília:
E.E. Monsenhor Bicudo – Tel.: 3433-5163 / 3413-4738 – Marília
E.E. Cultura e Liberdade – Tel.: 3452-1234 / 3452-3598 – Pompéia
E.E. Hilmar Machado de Oliveira – Tel.: 3471-1494 / 3471-0223 – Garça

Responsáveis pelo Projeto:
- Supervisor de Ensino: Nelson Teixeira
- PCNPE: Eloiza Martins Primo Capeloci

Disk Diarista

ESTAMOS CONTRATANDO:

DIARISTA PARA:

* LAVAR
* PASSAR
* FAXINAR
* ORGANIZAR

Remuneração BRUTA (salário, cesta, ticket) em média R$ 1.100,00 mais vale transporte.

Horário das 08:00 as 17:00 horas.... de segunda à sexta feira.

Curriculo: diskdiarista.marilia@gmail.com

Por ano 3.000 professores abandonam sala de aula.

Por ano, 3 mil professores desistem de dar aula nas escolas estaduais de SP

Educação. Dados obtidos com exclusividade pelo ‘Estado’ revelam migração média de 8 docentes por dia para as redes municipais e particular e também para outras carreiras; salários baixos, pouca perspectiva e más condições de trabalho motivam abandono

31 de agosto de 2013 | 17h 54
Paulo Saldaña
A cada dia, oito professores concursados desistem de dar aula nas escolas estaduais paulistas e se demitem. A média de pedido de exoneração foi de 3 mil por ano, entre 2008 e 2012. Salários baixos, pouca perspectiva e más condições de trabalho estão entre os motivos para o abandono de carreira.

Uzunian deixou salas e foi para a academia - Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE
Uzunian deixou salas e foi para a academia
Os dados obtidos pelo Estado por meio da Lei de Acesso à Informação são inéditos. A rede tem 232 mil professores - 120,8 mil concursados, 63 mil contratados com estabilidade e 49 mil temporários.
A fuga de professores também é registrada na rede municipal de São Paulo, mas em menor escala. As escolas paulistanas têm média de 782 exonerações por ano desde 2008.
Proporcionalmente ao tamanho das redes, o índice no Estado é duas vezes maior. Além disso, a capital conseguiu ao longo dos anos ampliar em 12% o número de efetivos, enquanto a rede estadual tem 10 mil concursados a menos do que em 2008.
Os docentes que abandonaram o Estado migraram para escolas particulares, redes municipais ou dão adeus às salas de aula. O bacharel em Educação Física Marco Antonio Uzunian, de 30 anos, decidiu ser instrutor de uma academia e hoje também trabalha em uma empresa.
Apenas um ano em uma escola estadual na Vila Carrão, na zona leste da capital, foi suficiente para ele desistir. Uzunian é um dos 2.969 efetivos que pediram exoneração só no ano passado. É o maior índice desde 2008. "Na escola eu não conseguia tocar um projeto de verdade, não tem apoio nem companheirismo", diz.
O bolso pesou na decisão. Depois de concursado, só pôde pegar uma jornada de 10 horas. "Eu não tive opção de jornada maior. Essas 10 aulas me rendiam R$ 680." A Secretaria da Educação não respondeu por que há limite de jornada para novos docentes.
Crise. Nem a estabilidade do funcionalismo público tem impedido demissões. Formado em Matemática pela Federal do Paraná, Fabrício Caliani ingressou na rede estadual em 2004. Abandonou em 2009 para ficar em escola particular. "Escolhi ser professor por vocação e faço meu trabalho bem feito. O que eu ganhava até me aposentar não ia compensar enfrentar tudo isso", diz ele, que dava aula em Bastos, no interior paulista.
Mesmo sem ter emprego em vista, Eduardo Amaral, de 39 anos, pediu exoneração em abril de 2012 - depois de 8 anos na rede. "Para além da questão do salário, jornada e condições de trabalho adversas, tem o dia a dia da escola. É um ambiente hostil", diz ele, que hoje trabalha na Câmara Municipal de São Paulo.
Professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), Romualdo Portella considera os dados muito altos. "Temos reconhecido que a questão-chave da educação é o professor, mas precisamos ter atratividade de carreira, boa formação, retenção e avaliação", diz.
A Secretaria da Educação defendeu que o número de exonerações representa só 1,63% do total de efetivos. Em relação à diminuição do número de efetivados, a pasta argumentou que aposentadorias, mudanças e mortes devem ser levados em conta. O governo não informou quantos concursos realizou desde 2008.
fonte:http://www.todospelaeducacao.org.br/comunicacao-e-midia/educacao-na-midia/29688/a-cada-ano-mais-estudantes-da-educacao-basica-migram-para-escolas-privadas/

Alunos de escolas públicas estão migrando para escolas privadas.

A CADA ANO, MAIS ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA MIGRAM PARA ESCOLAS PRIVADAS

Censo 2013 mostra que rede privada cresceu 3,5% em relação a 2012; na rede pública a situação é inversa: matrículas caíram 2%

Fonte: iG
A cada ano, os dados do Censo Escolar feito pelo Ministério da Educação mostram uma queda no número de estudantes brasileiros. Esse fenômeno, no entanto, não tem sido percebido na rede privada de ensino. Ao contrário das escolas públicas, as instituições particulares ganham cada vez mais alunos. Entre 2012 e 2013, a rede cresceu 3,5%. A rede pública – que inclui os colégios federais, estaduais e municipais –, por sua vez, tive queda de 1,9% nas matrículas.
O percentual de redução das matrículas na rede pública representa um contingente de 790.415 alunos. Como explicam os especialistas, parte desse número reflete a queda natural no número de estudantes do país, já que a população reduziu de tamanho e as políticas educacionais para correção de fluxo (diminuir a quantidade de jovens reprovados) surtiram efeito. Os números do Censo mostram que essa queda geral nas matrículas foi de 502.602 estudantes entre 2012 e 2013.
Veja tabela aqui.
Os outros 287.813 alunos, no entanto, migraram para a rede privada no ano passado. Agora, a escolas públicas possuem 8.610.032 alunos. A participação das escolas particulares no total de matrículas do País saltou de 12% em 2007 para 17% em 2013. A quantidade, segundo o professor da Faculdade de Economia da Universidade de São Paulo (USP) Reynaldo Fernandes, é significativa. Reynaldo já presidiu o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pela elaboração do censo a partir dos dados oferecidos pelas secretarias estaduais e municipais de educação.
Ele ressalta que muitas famílias, quando melhoram a renda, tendem a colocar os filhos nas escolas particulares. “Toda vez que a economia melhora, as matrículas na rede privada aumentam. As pessoas ainda têm a percepção de que a escola particular é melhor, apesar de existirem muitas ruins. Além disso, a greve se torna outro motivo de transferência”, concorda Ruben Klein, diretor-presidente da Associação Brasileira de Avaliação Educacional (Abave).
Para Rubem, a queda geral no número de estudantes não deve ser vista com preocupação. A redução de quase 3 milhões de estudantes nos últimos seis anos, para ele, é um bom sinal. “Uma parte dessa queda é explicada pela questão demográfica, mas o principal é que menos estudantes estão ficando retidos nas séries. Se analisássemos a população que deveria estar matriculada no ensino fundamental ou no ensino médio, veríamos que temos muito mais matrículas do que deveríamos, porque há muitos fora da série adequada para a idade”, afirma Klein.
A maior perda da escola pública foi na rede estadual. Em 2013, 4,2% dos 18,7 milhões de estudantes matriculados em 2012 deixaram os colégios da rede. Na rede municipal, não houve alteração de alunos. Há cerca de 23 milhões de crianças estudando nos colégios municipais. A rede federal, que é pequena diante das outras, cresceu 5,2%. Em 2012, possuía 276 mil alunos e, em 2013, ultrapassou os 290 mil.
Jornada ampliada
O número de estudantes do ensino médio que estuda em turno integral também aumentou. Ontem, os dados do crescimento da oferta de jornada ampliada para os alunos do ensino fundamental foram ressaltados pelo ministro da Educação, Henrique Paim, como a grande revelação do censo. Em um ano, a quantidade de crianças nas escolas integrais aumentou 45,2%. Há 3,1 milhões de crianças nessas escolas do total de 29 milhões de alunos do ensino fundamental.
Entre os adolescentes e jovens que cursam o ensino médio, a parcela que possui jornada ampliada é bem menor. Em 2013, 377.662 alunos estavam matriculados em turnos integrais. Um percentual de 4,54% dos 8,3 milhões de matriculados nessa etapa. O crescimento em relação a 2012 foi de 26,8%. A maior parte das vagas está na rede pública: 344 mil (um aumento de 28,2% no número de alunos em relação a 2012). Na rede privada, as vagas de jornada ampliada cresceram 14,8%, chegando a 33 mil estudantes.

Escola de Lajeado, RS alunos estão tendo aulas dentro de banheiros e em outros lugares improvidos

BANHEIROS VIRAM SALAS DE AULA PARA CRIANÇAS EM ESCOLA DE LAJEADO, RS

Cozinha e refeitório da instituição também estão em locais improvisados. Muro desabou com a chuva; pais reclamam de insegurança para alunos

Fonte: G1
  
A falta de estrutura em uma escola de Lajeado, na região do Vale do Taquari, no Rio Grande do Sul, faz com que os alunos usem banheiros como sala de aula. Outras áreas também tiveram de ser improvisadas, como a cozinha, que funciona onde antes era uma sala de informática. O refeitório onde as crianças se alimentam foi instalado no saguão da Escola Municipal Dom Pedro I, como mostra a reportagem do Bom Dia Rio Grande, da RBS TV .
Sala foi adaptada, mas vasos sanitários ainda estão no local (Foto: Reprodução/RBS TV)Além disso, o muro que cerca da escola desabou por causa da chuva. "Para nós, pais, é preocupante. Tinha de ter um jeito de segurar eles aqui dentro, mas com o muro aberto fica difícil", diz Neuza Agostini, mãe de aluno.
Os problemas na escola começaram em março de 2013, quando um dos prédios precisou ser demolido porque estava muito antigo e com risco. Foi aí que a escola teve de começar a improvisar. A falta de espaço é tão grande que a sala de orientação educacional é feita no local em que funcionava um banheiro. O local foi adaptado, mas é possível ver os sanitários no local.
"Poderia ser um pouco melhor. Às vezes tem um cheiro muito forte. Mas é o único lugar que a gente tem, então tem que ficar aqui", afirma Tiago Schimitz.
A sala usada para reforço escolar dos alunos também funciona em um banheiro. "Acho meio estranho isso, né? Aula no banheiro. Melhor seria em uma sala", defende o aluno Rian Bello.
"A gente não está acomodando devidamente os alunos, principalmente na questão de atendimento, a gente sabe que é improvisado, que poderia estar melhor. Já estamos há um ano nessa situação, mas esperamos que seja resolvido", admite a diretora da escola, Vânia Lima.
No início do ano, o conselho escolar e os pais concordaram com a utilização do espaço para não interromper as atividades. "Mas a gente espera ter um prazo. Quanto tempo vai levar? Se for a longo prazo fica inviável trabalhar com os alunos assim", diz Daniela Sehn, do conselho escolar.
A Secretaria de Educação de Lajeado diz que a demora na construção do novo prédio se deve a uma troca de projeto pedida pela comunidade. "O engenheiro está fazendo as alterações, conforme a comunidade solicitou. Tão breve ficar pronto, será encaminhado para a licitação", garante a secretária Eloede Maria Conzatti. Segundo a prefeitura, o novo prédio será construído ainda em 2014. O muro será refeito por um contrato emergencial. 

PINTEREST - CIDADE DE MARÍLIA

Blog Cidade de Marília

Postagens Blog Cidade de Marília e Artigos Imparcialistas 
editor: José Nunes Pereira

                         http://www.pinterest.com/imparcialismo/blog-cidade-de-mar%C3%ADlia/

Carnaval em Garça

Carna Havana - Sábado - 01/03/14 - Garça - SP - TK INGRESSOS

Carna Havana - Segunda - 03/03/14 - Garça - SP  - TK INGRESSOS


CARNAHAVANA EM GARÇA


FACIP: SHOW EM JALES



FACIP 10 a 15 de Abril Jales - SP



  • Bruno e Marrone
  • Cristiano Araujo
  • Luan Santana
  • Trio Brasil
  • Munhoz e Mariano
  • Marcos Paulo e Rulian 




SHOW NANDO REIS

Nando Reis e os Infernais - 22/03/14 - Atibaia  - SP  - TK INGRESSOS

Data do evento22/03/2014  
Abertura dos Portões22:00 h  
LocalSão João Tênis Clube  
Cidade / EstadoAtibaia / SP  
FONTE:http://www.tkingressos.com.br/nando-reis-e-os-infernais-22-03-14-atibaia-sp-pr-5902-224611.htm

SHOW ALINE BARROS EM MARÍLIA

Aline Barros - 29/03/14 - Marília - SP  - TK INGRESSOS

Data do evento29/03/2014  
Abertura dos Portões20:00 h  
LocalYara Clube  
Cidade / EstadoMarília / SP  
ClassificaçãoLivre  
FONTE:http://www.tkingressos.com.br/aline-barros-29-03-14-marilia-sp-pr-6023-224611.htm

CONRADO & ALEKSANDRO - 14/03/14 - MARÍLIA - SP

Conrado & Aleksandro - 14/03/14 - Marília - SP  - TK INGRESSOS

CONRADO & ALEKSANDRO - 14/03/14 - MARÍLIA - SP

Data do evento14/03/2014  
Abertura dos Portões23:00 h  
LocalUnik Club  
Cidade / EstadoMarília / SP  
FONTE:http://www.tkingressos.com.br/conrado-e-aleksandro-14-03-14-marilia-sp-pr-6011-224611.htm

SHOW DE LUAN SANTANA

Luan Santana - 12/04/14 - Jales - SP  - TK INGRESSOS

Data do evento12/04/2014  
Abertura dos Portões23:00 h  
LocalRecinto de Exposições  
Cidade / EstadoJales / SP  

FONTE:http://www.tkingressos.com.br/luan-santana-12-04-14-jales-sp-pr-6020-224611.htm

A APEOESP obteve na Justiça mais uma vitória para estender o bônus para os professores

Sex, 07 de Fevereiro 2014 - 14:53

Bônus 2003 e 2004

Orientações sobre a Habilitação do Bônus 2003/2004 - Modelos de Formulários em anexo

Por:
A APEOESP, em defesa dos aposentados, obteve na Justiça mais uma vitória para estender o bônus para os professores e demais integrantes da classe de suporte pedagógico. Essa é a terceira vitória que beneficia os aposentados e a APEOESP é a única entidade que conseguiu três vitórias no Poder Judiciário. O bônus que será executado é o que foi pago em fevereiro de 2004.
A Secretaria da Fazenda do Estado já apresentou a relação de todos os professores que foram contemplados pela ação coletiva e a consulta dos docentes beneficiados e do valor histórico pode ser feita no sítio eletrônico da APEOESP, no ícone “Suas publicações no Diário Oficial” e depois “Professor(a) aposentado(a) (CONQUISTA DO BÔNUS)”.
Como a ação judicial foi proposta pela APEOESP em defesa de seus filiados, poderá se habilitar na ação o associado que consta da relação já apresentada pela Secretaria da Fazenda.
Os professores que foram contemplados com a decisão coletiva estão recebendo uma carta da APEOESP para se habilitarem na ação.
O professor que era aposentado até 01/12/2003 e filiado à APEOESP que não receber a carta e nem constar da relação divulgada no site da APEOESP, deverá entrar em contato com a Central de Atendimento, para que possam ser tomadas as providências necessárias.
O professor foi orientado a procurar a Sede Central ou a Subsede da APEOESP mais próxima para entregar os documentos abaixo relacionados, bem como para assinar a procuração e declaração.
Os documentos necessários são:
1 - Procuração (anexo 1)
2 - Declaração de assistência judiciária gratuita (anexo 2)
3 - Declaração de filiação (anexo 3)
4 - Cópia do último holerite
5 - Cópia do RG e CPF
"A APEOESP cobrará a taxa de R$ 61,00 do associado para custear as despesas com a habilitação dos contemplados. Esse valor poderá ser pago no ato da entrega dos documentos, em dinheiro, cartão de crédito ou depositado na conta-corrente 13.000915-5, Agência 3373Banco Santander (033). Não serão aceitos pagamentos em cheque."
"Caso o professor não queira ou não possa se deslocar até a Sede Central ou Subsede da APEOESP, ele poderá enviar os documentos pelo correio. Nesse caso, os modelos da procuração e das declarações poderão ser obtidos no site da APEOESPno ícone “Bônus 2003/2004”. O valor da taxa poderá ser depositado na conta corrente especificada no item anterior e o recibo do depósito deverá acompanhar a documentação."
Na hipótese de optar pelo envio pelo correio, para facilitar a identificação do documento e encaminhamento mais rápido à equipe especial que trabalhará na organização e montagem da habilitação do professor, deverá ser colocado no envelope “Bônus 2003/2004”.
O professor que tinha direito aos bônus 2000/2001 e 2002/2003 e não entregou documentos, poderá, se quiser, entregar os documentos relativos a esses bônus, de acordo com as orientações já divulgadas anteriormente.
Em caso de dúvida, o professor deverá entrar em contato com a Central de Atendimento ao Associado, no telefone 3350-6214 (Call Center).
Maria Izabel Azevedo Noronha
Presidenta da APEOESP
PRESIDÊNCIA E SECRETARIA DE LEGISLAÇÃO E DEFESA DO ASSOCIADO

Blogs

Postagens mais visitadas

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS