Buscar

GRUPO REVELAÇÃO - SHOW EM TUPÃ

Grupo Revelação - 17/11 - Tupã - SP  - TK INGRESSOS


Data do Evento17/11/2012  
Abertura dos Portões23:00 h  
LocalEspaço Jotaka Eventos  
Cidade / EstadoTupã / SP  
Classificação18 anos  


TK INGRESSOS

http://www.tkingressos.com.br/grupo-revelacao-17-11-tupa-sp-pr-3621-224611.htm

THAEME & THIAGO DIA 03/11 - BAURU - SP

Thaeme & Thiago - 03/11 - Bauru - SP  - TK INGRESSOS


Data do Evento03/11/2012  
Abertura dos Portões22:00 h  
LocalRastro do Cowboy  
Cidade / EstadoBauru / SP  
Classificação18 anos  

TK INGRESSOS

CARNAFACUL - BAURU - A MAIOR MICARETA UNIVERSITÁRIA DO PAÍS





  • João Bosco e Vinícius 
  • Guilherme e Thiago 


Data do Evento08/12/2012  
Abertura dos Portões17:00 h  
LocalRancho do Cowboy  
Cidade / EstadoBauru / SP  
Classificação18 anos  

TK INGRESSOS 

HADDAD - ELEITO PREFEITO DE SÃO PAULO


Luciano Rezende eleito prefeito de Vitória fonte G1


  • 200.758
  • 187.624 (93,46%)
  • 5.074 (2,53%)
  • 8.060 (4,01%)
  • 54.609 (21,38%)

Gustavo Fruet eleito prefeito de Curitiba - fonte: G1


  • 976.585
  • 911.829 (93,37%)
  • 23.589 (2,42%)
  • 41.167 (4,22%)
  • 109.515 (10,08%)


Manifesto pelo fim do modernismo nas artes


Manifesto pelo fim do modernismo nas artes 


Proposta de por fim ao modernismo. Essa é a sugestão mais ousada para os artistas, desde que o modernismo foi estabelecido a cerca de 100 anos.
Temos um novo contexto para a arte, temos a degeneração do modernismo que ocorre na  deformação da sociedade, que em busca da liberdade, entrou na mais cruel das prisões,  o labirinto das desordens. 
A sociedade das liberdades rompeu com todas as fronteiras, formando a sociedade do prazer, do entretenimento sexual e da insanidade total.  Estamos vivenciando a bestialidade e a selvageria urbana, de um tempo que de tão livre, se tornou, libertino, selvagem, lascivo e degenerado; refletindo completamente na arte moderna; alienada e inconsciente de que ultrapassou todos os limites de ser abstrata e subjetiva, perdendo a conexão, a coerência e o sentido de ser  abstrata, perdendo a conexão com o abstrato e o físico.O abstrato na arte conceitual  se assemelha a conversa de doido ou bêbado.
O desencontro entre a nova tendência para a poesia e a arte e o movimento vigente modernismo, se dá nas consequências da modernidade, no efeito da primeira ideia de romper com tudo, destruir, desconfigurar tudo, na exploração de tudo em nome do capitalismo, na dignificação de tudo em nome do mercado consumidor, na teorização de tudo,  na deformação da arte, até chegarmos ao cúmulo da arte conceitual... 
A nova tendência para a arte nasce onde o modernismo termina, ou onde ele vive em agonia de morte, nasce da necessidade de ordem, regras, limites, valorizações humanas, espiritualidade natural, equilíbrio, visão holística, paz interior, valores, hierarquias;  nasce da consciência do mundo físico, do mundo abstrato e do subjetivo, e da  consciência de  que precisamos de estrutura, forma e ordem.
O modernismo é marcado pela deformação de tudo, a desestruturação de tudo e pela alienação da arte que não é contextualizada ao seu tempo, se é o seu tempo é reflexo da degeneração desse tempo. A nova tendência para a arte propõe o fim do modernismo, e a  posição a esse movimento se dá pela ordem, pela disciplina, pela regra, pela estrutura, pela hierarquia, pela valorização do ser humano acima de tudo, e valorização das virtudes humanas como um caminho a ser seguir e praticar.
Somos aculturados em um contexto global; nossas culturas e tradições foram transformadas  em produtos; agora só nos resta praticar a cultura do capitalismo: consumir produtos descartáveis e serviços que nos prometem a felicidade. A aculturação global pelo capitalismo  formou uma sociedade direcionada para o  consumo, e os entretenimentos revestidos  de sexo, ou alguma forma de vício. A aculturação global deglutiu nossa alma, nossa sensibilidade, nossa consciência, nossas virtudes e nossos sentimentos nobres.
Fim ao modernismo!

José Nunes Pereira

Sociedade passatempo sexual e entretenimentos


Passatempo sexual

Sociedade bizarrice sexual
Não podemos consumir o tempo todo;
Fazemos do sexo um produto para ser vendido a qualquer hora.

Criamos à sociedade passatempo sexual,
Sexo gratuito que alguém está pagando
E outro alguém está lucrando.

Sexo na televisão, na internet,
Na música comercial de conotação sexual,
Nas danças, sexo nas praias...,
Nos anúncios, nas falas, garotas insinuando sexo...
O passatempo sexual na sociedade dos entretenimentos
É deselegante, selvagem, bizarro e grosseiro.

Octávio Guerra
J.Nunez

Livro organizado por professora mariliense ganha prêmio Jabuti - fonte Jornal Diário


Unesp lança livro vencedor do Jabuti

Obra organizada pela professora Maria do Rosário Longo Mortatti discute a história da alfabetização no Brasil, incluindo conceitos internacionais

Alfabetização no Brasil: uma história de sua história, primeiro lugar na categoria Educação do Prêmio Jabuti 2012 será lançado amanhã, durante a 13ª Semana da Biblioteca da Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) da Unesp, Campus de Marília. A organizadora da obra, professora Maria do Rosário Longo Mortatti falou ao jornal Diário sobre a conquista e destacou a alfabetização como campo de conhecimento.
O livro, primeira obra do selo Cultura Acadêmica a ganhar o prêmio, faz um balanço das últimas décadas do conhecimento acumulado acerca da história da alfabetização no país, por meio de diversos artigos que refletem a investigação dos próprios autores.
Maria do Rosário Mortatti, professora titular da Unesp, do curso de Pedagogia e Programa de Pós Graduação em Educação, coordenadora do grupo de pesquisa História do Ensino de Língua Portuguesa e Literatura no Brasil e presidente da Associação Brasileira de Alfabetização, fala do sonho realizado quando do 1º Seminário Internacional sobre História do Ensino de Leitura e Escrita, realizado em 2010 na Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Marília.
O evento reuniu o conjunto de pesquisadores que vem produzindo sobre o tema alfabetização nas últimas duas, três décadas. Inicialmente ela pensou como dialogar com todos num país imenso como o Brasil. Assim organizou o 1º Seminário Internacional, que além de debater resultou na publicação de textos anteriormente discutidos e produzidos em cada Estado.
Maria do Rosário fala da responsabilidade de discutir o tema e de compreender a história da alfabetização. A origem do evento e do próprio livro está em pesquisa desde a década de 90 que resultou no livro “Os Sentidos da Alfabetização - São Paulo 1876/1994”, lançado por ela em 2000. A partir daí outros estados brasileiros começaram a propor ações e conceitos.
O livro traz o pensar da alfabetização a partir das últimas décadas do século 20. A organizadora lembra que esta se tornou uma área estratégica com campanhas e busca de metas estabelecidas por organismos internacionais, mas era preciso confrontar a alfabetização no Brasil e em outros países, por isso o convite à Anne-Marie Chartier, professora pesquisadora aposentada do Service d’Histoire de l’Education - Institut National de Recherche Pédagogique (INRP)/França, que abordou o conceito europeu e Magda Soares, professora Emérita da Faculdade de Educação - Universidade Federal de Minas Gerais, que foi homenageada no Simpósio. E, finaliza dizendo que é precioso compreender uma identidade nacional para dialogar com outros países. Para atingir metas internacionais, antes é necessário saber os reais problemas do país.
Orgulho
“É uma honra. Tivemos conquistas importantes neste prêmio, a alfabetização ter ganho é uma delas, nunca foi um tema nobre nas áreas de ciências humanas”, disse Maria do Rosário sobre o Prêmio Jabuti. A pesquisa da história da Educação é outro ponto citado pela organizadora que destaca ainda ser o fato de ser uma obra coletiva, “o conhecimento se constrói coletivamente. E, outra questão é que o Prêmio leva a produção de dentro da universidade para a comunidade, a sociedade. Assim podemos dialogar com a sociedade, afinal é o dinheiro público investido na pesquisa. É um motivo de orgulho”, conclui.
Fonte: http://www.diariodemarilia.com.br/Noticias/116517/Unesp-lana-livro-vencedor-do-Jabuti


correiodeuberlandia.com.br

Livro organizado por professora da Unesp de Marília recebe Prêmio Jabuti
Obra foi publicada pela Cultura Acadêmica, selo da Editora Unesp
[19/10/2012] 
O livro ‘Alfabetização no Brasil: uma história de sua história’, organizado por Maria do Rosário Longo Mortatti, professora da Unesp de Marília, foi classificada em primeiro lugar, na Categoria Educação, no Prêmio Jabuti, o mais tradicional da área de livros do país. A obra foi publicada pela Cultura Acadêmica, selo da Editora Unesp, e Oficina Universitária da Unesp de Marília.
A obra como um todo busca estudar o ensino e o aprendizado da escrita e da leitura em diferentes textos e contextos, por variadas chaves conceituais, mediante sua inscrição histórica. O livro, ao apresentar um conjunto de pesquisas, oferece uma grade de compreensão daquilo que vem sendo produzido no Brasil nos últimos anos sobre o tema alfabetização. Os diferentes grupos de estudo registrados nos diversos capítulos trazem importantes contribuições.
Os melhores livros de 2011 nas 29 categorias laureadas pelo 54º Prêmio Jabuti foram anunciados quinta (18), na sede da Câmara Brasileira do Livro (CBL). Aberta ao público, a apuração se deu com a leitura dos votos dos jurados.
A última etapa do prêmio acontece no dia 28 de novembro, durante a cerimônia de premiação dos vencedores, quando também serão conhecidos os vencedores do Livro do Ano Ficção e Livro do Ano Não Ficção, prêmios máximos do Jabuti. Na ocasião, os primeiros, segundos e terceiros colocados em cada uma das categorias receberão seus Jabutis.
Todos os resultados foram auditados pela Parker Randall. O curador do Prêmio Jabuti,José Luiz Goldfarb, e o Conselho de Curadores, formado por especialistas do setor editorial, ficaram responsáveis por checar se os vencedores cumpriram com os critérios estabelecidos pelo regulamento. Integram o Conselho de Curadores a escritora e membro da Academia Paulista de Letras Ana Maria Martins, o diretor científico da Fapesp, Carlos Brito, o vice-reitor de Extensão da Universidade Estácio de Sá, Deonísio da Silva, e o poeta Frederico Barbosa.
Os finalistas do Livro do Ano Ficção serão os primeiros colocados do Jabuti nas categorias: Romance; Contos e Crônicas; Poesia; Infantil e Juvenil.
Para o Livro do Ano Não Ficção, concorrem os primeiros colocados nas categorias: Teoria/Crítica Literária; Reportagem; Ciências Exatas; Tecnologia e Informática; Economia, Administração e Negócios; Direito; Biografia; Ciências Naturais; Ciências da Saúde; Ciências Humanas; Didático e Paradidático; Educação; Psicologia e Psicanálise; Arquitetura e Urbanismo; Fotografia; Comunicação; Artes; Turismo e Hotelaria e Gastronomia.
Mais quatro título da Unesp chegaram à fase final do prêmio. Estavam entre os dez finalistas, mas não ficaram entre os três primeiros colocados: 'Um estilo de história', de Fernando Nicolazzi (Categoria Ciências Humanas), 'Poesia completa de Yu Xuanji', de Ricardo Portugal (Categoria tradução), 'Negociações econômicas internacionais', de Luis Fernando Ayerbe e Neusa Maria Pereira Bojikian (Categoria Economia, Administração e Negócios) e 'Comer e beber como Deus manda', de Sérgio de Paula Santos em co-edição com a Editora SENAC (Categoria Gastronomia).
A Editora Unesp já recebeu 19 estatuetas. Em 2009, a obra 'Monteiro Lobato – Livro a livro', de João Luís Ceccantini e Marisa Lajolo conquistou o prêmio de melhor título de Não-Ficção. Em 2011, levou dois primeiros lugares com 'Machado de Assis: relíquias culinárias', de Rosa Belluzzo, na categoria Gastronomia, e 'Impresso no Brasil', de Aníbal Bragança e Márcia Abreu

Assessoria de Comunicação e Imprensa


Show em Marília - Laerte Marques - DUDAS KARAOKE




SARAU DO SACI 2012 - DIAS 29, 30, 31 - MARÍLIA É CULTURA




Neste quinto ano do Sarau do Saci (2008-2012), contaremos com muitas apresentações de artistas que fazem parte do patrimônio cultural da nossa região. Em tempos de globalização e cultura de massa, também precisamos valorizar nossa cultura e nossa arte. O Projeto Escola de Sacis busca articular formação de público de arte e valorização das tradições e manifestações da cultura de Marília e região.


Agradecemos a todos os colaboradores!!!

Ras João

http://www.facebook.com/joaopaulofsouza

Eu, José Nunes Pereira,  poeta e editor do Blog  Cidade de Marília estarei lá com a poesia Imparcialista.  ATÉ! 



OUTLET ORIGINAL - MARÍLIA

Parque Alvorada - Marília



Lançamento em Marília  de condomínio residencial

lotes a partir de 250 mts , 

contate: 14-9844.1960
ou fredbortoletto@live.com

Professora morre em Araraquara depois de passar mal em sala de aula.



Uma professora de 50 anos morreu na manhã de ontem (24) após passar mal dentro da sala de aula na Escola Estadual Professora Jandyra Nery Gatti, em Araraquara (a 273 km de São Paulo). Ela sentiu os primeiros sintomas após tentar conter um aluno de 8 anos, que teria tentado agredi-la.
Segundo a Secretaria Estadual de Educação, Izabel Cristina Sampaio foi atendida por uma unidade do Samu, mas morreu ainda a caminho do hospital. De acordo com Ariovaldo de Camargo, membro executivo da Apeoesp (sindicato dos professores do Estado), os sintomas indicam que a professora teve um infarto.
A secretaria afirmou, em nota, que a escola já havia acionado o Conselho Tutelar para acompanhar o aluno, que também estava sob acompanhamento médico, mas destacou que nunca houve "orientação médica contrária à permanência da criança em ambiente escolar".
Um representantes da secretaria foi encaminhado o local para averiguar os fatos. As aulas da escola estão suspensas hoje e devem ser retomadas a partir de amanhã, segundo a pasta. (Folhapress)

fonte:
http://www.odiariodemogi.inf.br/panorama/nacional/8492-professora-morre-em-araraquara.html

Blog Cidade de Marília: divulgação, classificados, anúncios, propagandas, ...

Blog Cidade de Marília: divulgação, classificados, anúncios, propagandas, ...: Cadastrar seu link de indicação: Google: http://www.google.com.br/add_url.html Aonde: http://www.aonde.com.br/cadastros.php MSN: http:...

Notícia: Universidades e cotas


ENEM 2012: UFF TERÁ COTA EXTRA PARA ESCOLAS MUNICIPAIS E ESTADUAIS

Reitor anuncia que vestibular da instituição voltará a ter segunda fase em 2013

Fonte: O Globo (RJ)

A UFF vai reservar, no vestibular deste ano, 10% do total de vagas a estudantes que cursaram o ensino médio em escolas municipais e estaduais, com renda familiar per capita de até um um salário mínimo e meio. A instituição também vai cumprir a Lei de Cotas com a separação de 12,5% das vagas, segundo anunciou o reitor Roberto de Souza Salles durante uma coletiva de imprensa nesta sexta. Ele também adiantou que, em 2013, o processo seletivo voltará a ter uma segunda fase, com provas específicas. O objetivo da UFF é ter mais controle sobre os critérios para o ingresso dos calouros.
Ainda não há definições sobre como se dará a ocupação das vagas exclusivas para as redes municipais e estaduais. Mas a expectativa é que isso já esteja estabelecido até a publicação do edital do vestibular 2013, prevista para meados de novembro.
O reitor, que chegou a afirmar que a UFF não cumpriria o decreto, desta vez, disse não haver como contestá-lo, diante da regulamentação. Entretanto, não deixou de reiterar sua insatisfação com a norma, a qual considera um “retrocesso”.
— A lei classifica como públicos colégios federais, como o Pedro II, além de colégios militares, escolas técnicas e colégios de aplicações. Todo mundo sabe que, nesses sistemas, os alunos são bem preparados como nas melhores escolas privadas. Então, que chance terão os candidatos formados nos estados e nos municípios com esse ensino básico que temos no país? Na verdade, criou-se uma dificuldade maior para esses estudantes entrarem nas universidades.
Salles também reclamou da falta de estrutura e recursos para que a Lei de Cotas seja cumprida. Na opinião dele, seria necessário, por exemplo, que o orçamento disponibilizado pelo de Plano Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes) fosse de, pelo menos, R$ 35 milhões, para que a instituição tivesse condições de oferecer a infraestrutura necessária para atender aos alunos ingressantes pelas cotas. O último repasse foi de R$ 25 milhões.
— O grande desafio não é apenas a entrada do aluno, mas como ele será mantido na universidade — pontuou, referindo-se a serviços como assistência social, auxílio transporte, moradia, bolsas e refeições.
Também foram feitas críticas à falta de clareza nos critérios de seleção estabelecidos pela lei federal, já que o texto não define formas concretas de comprovação de renda por parte daqueles que entrarem pelas cotas. Além disso, caso isso fique a cargo da universidade, a UFF teme que o prazo seja curto, já que as matriculas são feitas poucos dias após a divulgação dos resultados do Sisu.
Em relação à volta das provas específicas para o vestibular 2014, Salles disse que as discussões ainda estão em estágios iniciais, mas há uma demanda para que sejam feitas provas dissertativas específicas para cada área de atuação. A primeira fase seguirá pelo Enem.
— Percebemos que há uma insatisfação por parte do nossos coordenadores. Acho que temos que ter uma seleção nossa, para chegarmos ao padrão do aluno que queremos. Buscamos a inclusão sim, mas dentro de um patamar mínimo.
O próximo processo seletivo permanece integralmente pelo Sisu.

A Lei das Cotas vai abrir, no primeiro ano de vigência, um abismo em se tratando das ações afirmativas.


COTAS ENGOLEM VAGAS

Pelo menos no primeiro ano, as novas regras do Ministério da Educação vão reduzir em 36% o número de cadeiras sociais nas instituições de ensino superior de Minas Gerais

Fonte: Estado de Minas (MG)
"Se aprovaram por completo teriam que estipular este ano ou ano que vem por completo e não ficar picando as vagas", Camila Rossi Guerra Csiznar, de 17 anos, que vai disputar uma vaga por cota para medicina. Se a proposta é incluir, pelo menos em Minas Gerais, a Lei das Cotas vai abrir, no primeiro ano de vigência, um abismo em se tratando das ações afirmativas. Por enquanto, na ponta do lápis, Alunos de Escolas públicas têm 36% de vagas a menos para disputar. Até este ano, das 12 instituições federais de Ensino superior em território mineiro, sete concediam algum tipo de benefício aos estudantes e, juntas, por meio de bônus ou cotas, ofereciam 8.023 cadeiras aos futuros calouros. Para 2013, mesmo alcançando a totalidade delas, as cotas estão reservando até o momento 5.127 vagas. Para as instituições, o problema tem a ver com a decisão da implantação imediata da nova legislação.

A diferença de 2.896 cadeiras ocorre porque muitas universidades que já concediam um percentual de benefício superior aos 12,5% – mínimo exigido pelo Ministério da Educação (MEC) para o próximo vestibular – decidiram retroceder. Muitas temem não dar conta de atender a demanda neste primeiro momento, principalmente no que se refere à conferência de documentos que comprovem a situação socioeconômica do candidato, ou preferem ir com cautela para conhecer os novos mecanismos.
Exemplo clássico é o da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que até este ano teve 33,21% de seus Alunos beneficiados com o bônus, que aumentava em até 15% a nota final do vestibular. A instituição resolveu extinguir o sistema e reservar 12,5% das vagas para o processo seletivo de 2013, o que significou uma redução imediata de 61% das cadeiras. Na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), que reservava metade das 4.001 vagas para estudantes de Escola pública e, desse total, metade a candidatos que se autodeclarassem pretos, também houve redução drástica. Para o ano que vem a reserva despencou para 12,5% – apenas 501 vagas.
Em Minas, até agora, a única universidade que decidiu trabalhar logo com o percentual máximo de 50% de reserva (quantidade que as instituições deverão cumprir até 2016) é a Federal de São João del-Rei (UFSJ), nos Campos das Vertentes. A instituição não só manteve o índice que já adotava, como aumentou o saldo final. Antes, as cotas valiam apenas para os cursos presenciais. Com a lei, teve de estendê-las ao Ensino a distância, o que representou a criação de mais 150 vagas.
Na Universidade Federal de Lavras (Ufla), no Sul de Minas, a decisão também foi de começar pelo básico. A pró-reitora de Graduação, Soraia Alvarenga Botelho, admite que a novidade vai dar trabalho e, por isso, a opção é pela cautela. O primeiro desafio é retomar um processo de matrícula presencial. Antes, os Alunos podiam fazer uma pré- inscrição pela internet e enviar a documentação pelos Correios. Agora, isso não será mais possível. “A análise vai gerar um trabalho árduo. Teremos de fazer a matrícula, conferir a documentação e, se não tiver o direito à reserva de vagas, abrir prazo para recurso, conforme portaria do MEC, e só depois, chamar o próximo candidato e fazer tudo novamente”, diz.
Para ela, mais prazo era fundamental para que as universidades se adequassem, evitando a perda de benefícios aos Alunos: “Consideramos que o processo foi feito de forma intempestiva, tendo que ser aplicado mesmo aos editais já publicados. O governo deveria e poderia ter dado um prazo para iniciar o cumprimento da lei. É um excesso do MEC. Poderíamos ter tido oportunidade de adequar a questão. Houve atropelo, mas esperamos que corra tudo bem e os Alunos não sejam prejudicados”.
DÚVIDA A mobilização para validar os documentos que comprovem a condição financeira é também preocupação na Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), na Região Central de Minas. E, por causa disso, a instituição decidirá somente na semana que vem se manterá o percentual de cotas de 30% que adota atualmente para Alunos da rede pública ou se diminuirá o índice para os 12,5%. No primeiro caso, reservará 796 vagas. Na pior situação, destinará apenas 332.
O pró-reitor adjunto de Graduação, Adilson Pereira, informa que a tendência é não retroceder. “Isso só ocorrerá se concluirmos que o aspecto operacional será afetado. A universidade hoje só tem experiência na conferência de documentos referente à origem Escolar, sobre renda não. Avaliaremos o tamanho do serviço e se daremos conta dele já neste vestibular”, afirma.
Quem está na disputa sente os efeitos e lamenta a perda de vagas. Estudante do 3º ano do Ensino médio da Escola Estadual Dom Pedro II, Camila Rossi Guerra Csiznar, de 17 anos, vai concorrer pelas cotas a uma vaga em medicina. Para ela, deveria ter havido tempo suficiente para que a lei fosse implantada sem prejuízos. “. Quem vai disputar pelas cotas ficará prejudicado, porque serão menos vagas. Será até mais difícil do que concorrer com Aluno de Escola particular ou de um cursinho renomado”, diz.

Os melhores produtos Carrossel você encontra aqui, Online Editora

Copiadora e encadernadora em Marília


ALVORADA COPIADORA 

Copiadora e encadernadora 
confecções em geral 


Rua Dr. Carlos Vilalva, N: 27 

Parque São Jorge 

MarÌlia - SP


Fone: (14) 3417 5387

e-mail: contato@alvoradacopiadora.com.br

Grupo Bom Gosto em Marília

Grupo Bom Gosto - 09/11 - Marília - SP  - TK INGRESSOS



Data do Evento09/11/2012  
Abertura dos Portões23:00 h  
LocalUnik Club  
Cidade / EstadoMarília / SP  
Classificação18 anos  

TK INGRESSOS

FAPIDRA 8 a 11 de novembro - Dracena - Rodeio Festival

Dracena Rodeio Festival - 08 a 11/11 - Dracena - SP  - TK INGRESSOS


Dracena Rodeio Festival

Programação de Shows:
08/11- Munhoz & Mariano
09/11- Edson & Hudson
10/11- Amannda - Gravação do "CD ao Vivo"
11/11- Marcos & Belutti



Seguidores

Seguidores Blog Cidade de Marília

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS