Buscar

Artistas debatem rumos das políticas culturais na II Conferência de Cultura



Artistas debatem rumos das políticas culturais na II Conferência de Cultura

Em clima democrático e com a participação de cerca de 100 pessoas, foi realizada no último sábado (28) a II Conferência Municipal de Cultura de Marília, no Auditório Otávio Lignelli. Organizado pela Secretaria Municipal da Cultura juntamente com o Conselho Municipal da Cultura. O evento teve como objetivo debater com artistas, ativistas culturais e sociedade civil políticas publicas de cultura para o município. O tema do evento deste ano foi “Cultura, Diversidade, Cidadania e Desenvolvimento”.

Participaram da solenidade oficial de abertura, o secretário municipal da Cultura, André Gomes; o Prefeito de Marília, Ticiano Toffoli; o vereador Sidnei Gobetti de Souza; representantes dos movimentos sociais, artistas, membros do conselho municipal de Cultura e ativistas culturais.

No início da Conferência foram apresentados três eixos temáticos onde os participantes puderam debater sobre a temática, eleger os principais desafios e encaminhar propostas a partir dos desafios elencados. O primeiro eixo foi o de Produção Simbólica, o qual é inerente aos seres humanos. Pois a capacidade de simbolizar e construir por meios de símbolos uma rede significados permeia a toda existência, portanto os significados criados não estão desconectados da realidade. Dentro deste eixo de trabalho o secretário municipal de Cultura, André Gomes, destaca a importância de não se privilegiar um tipo de cultura em detrimento de outra e afirma que todas merecem igual atenção por parte do poder público. “Entende-se a cultura como conjunto de modos de viver e neste sentido elas possuem variação cultural no singular e no plural. Há uma cultura humana que se desenvolve conforme contexto histórico, que se manifesta de forma diversa. E por isso precisamos de uma política cultural que possa dialogar com o conjunto e que agregue de fato. Hoje vamos discutir um plano municipal de cultura e eu penso que ele deve ser reformulado do ponto que assegura a diversidade cultural, ou seja, que possa criar mecanismos e dar visibilidade a essa diferença cultural. O importante é a distribuição melhor e mais democrática dos recursos, sem privilégios e para todos.”, diz.

Já no segundo eixo foi trabalhado o conceito de cidadania, no qual se deve compreender a cultura como direito humano fundamental de todo cidadão. “O acesso à cultura é algo tão importante como direito à saúde e saneamento básico. A cultura deve ser um direito de toda pessoa e o poder público tem um papel central neste debate. O plano municipal de cultura deve compreender a cultura como direito do ser humano”, reflete André Gomes.

O prefeito Ticiano Toffoli ressaltou que este debate democrático como as conferências são sinônimos  do exercício pleno da cidadania e que são através destas discussões que a população pode exprimir seus anseios.  “É através do debate democrático é que se constroem linhas de projetos e programas e aqui especificamente da cultura. A conferência traz os segmentos culturais da cidade para debater cultura em todas suas expressões artísticas. É o espaço para o cidadão reivindicar as demandadas que permearão as políticas culturais. O processo de conferência é a amplificação da democracia”, comenta o prefeito Toffoli.

A Comissão Organizadora da II Conferência Municipal de Cultura foi composta  por duas representantes do poder público: Claudia Helena Guimarães e Eliana Aparecida Moreno; e quatro representantes da sociedade civil: Fabrício Mendes Pereira, Jeniffer Cristina Azevedo, Leandro Custodio e Marcos Aurélio dos Santos.

No último eixo foi trabalhado a dimensão econômica, o seja, o papel que a cultura gera na economia, não só do ponto de vista do fomento cultural, mas  da economia em geral. “O plano de cultura deve levar em conta a geração de emprego e renda. O Poder público deve garantir mecanismos que assegure o artista viver da sua própria arte. A arte pode ser a resposta para as inquietações humanas, mas também precisa assegurar que o artista possa viver da sua arte” finaliza o secretário municipal de Cultura.


Escolha democrática dos novos conselheiros

A II Conferência Municipal de Cultura foi um exemplo de democracia, pois logo após os eixos de debate, houve a eleição por voto direto dos novos membros do Conselho Municipal de Cultura - gestão 2012/2014.  Ressaltando que todos os inscritos no evento poderiam votar e serem votados.

Foram eleitos 15  representantes da sociedade civil: Wania Lombardi, Luca Bernar, Marcio Martins, Higor Liberali, Leandro Custódio, Daniela Bueno, Felipe Dias dos Santos, Lucinéia Ferreira da Silva, Gonzalo Perez, Clarice Alves de Lima, Gabriel Torres de Cerqueira César, Orisvaldo Quiquinato, Carlos Henrique da Silva, Gustavo César, Alexandre de Cerqueira César Jr.;  e foram indicados 6 representantes do poder público:  Luciano Cruz ( Cultura), Andréa Regina Sina ( Educação), Gustavo dos Santos de Souza ( Juventude),  Milena Deganuti de Melo ( Tarsila do Amaral), Wilza Aurora Matos Teixeira( Registros Históricos) e  Silmara Lourdes Truzzi ( Diretoria de Ensino Regional de Marília).

A pluralidade foi um fator predominante no processo de conferência, com 50 propostas de abrangência municipal aprovadas; o processo de conferencia envolveu a participação de aproximadamente 100 pessoas que contribuíram na formulação de políticas públicas culturais e também para a eleição dos novos membros do Conselho municipal de Cultura. 


Fonte: http://culturamarilia.blogspot.com.br/2012/05/ii-conferencia-m-de-cultura.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog

NOTÍCIAS

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS