Buscar

Lista de Deputados e Senadores que respondem processos na Justiça.


Não Vote nos Deputados e Senadores que respondem processos na Justiça.

O TRE nunca vai divulgar esta lista, mas nós vamos!!!


Veja a lista:
http://naovote.com.br/

Michel Teló - na Balada!

Confecções, Malharia, Atacado e Fabricação

Gabriela Confecções 



Avenida República, 3202 - 
Marília, 17510-402
Telefone:
(14) 34226785 begin_of_the_skype_highlighting             (14) 34226785      end_of_the_skype_highlighting


MALHARIA GLÁUCIA CONFECÇÕES 
Rua: Prudente de Morais      N°: 127   
Cidade: Marília SP 

Telefone: (14) 3422-2951 begin_of_the_skype_highlighting            (14) 3422-2951      end_of_the_skype_highlighting
 
 

Planos Odontológicos



UNIODONTO – MARÍLIA

Av. Carlos Gomes, 416

Marília - SP 
Centro

Telefone: 

(14)  34135665 - 0800- 722-5000

A UNIODONTO reúne atributos como:
   • Liderança
   • Suporte Imediato
   • Serviços
   • Satisfação
   • Responsabilidade
   • Profissionalismo
   • Compromisso com a Saúde

Tudo isso somado faz com que a Uniodonto tenha um alto nível de satisfação das empresas parceiras.


Produtos Caseiros


PÃO DA VIDA
Levando mais vida a você

Leandro – Carmen
Tel: (14) 34223497
Av. Maria Fernandes Cavallari, 1823
Marília -SP

Aceitamos encomendas

  • Bolos
  • Tortas salgadas e doces
  • Salgados
  • Massa folhada
  • Pão caseiro
  • Rosca caseira 

Gurian Company - Moda Country






GURIAN COMPANY

R S Luiz, 437 - Centro 
CEP 17500-005 - Marília - SP 


facebook: https://www.facebook.com/gurian.company

Festa do Peão em garça 2012 de 11 a 15 de Abril

Um grupo de aproximadamente 20 jovens tentam invadir escola para roubar celulares. Fonte IG



Uma escola estadual de São Paulo sofreu uma tentativa de invasão na manhã desta segunda-feira. Segundo professores, um grupo de aproximadamente 20 jovens se aproximou da Escola Estadual Ermano Marchetti, em Pirituba, na zona Norte, e tentou pular o muro. A Polícia Militar foi chamada, mas quando chegou ao local o bando já havia fugido.
“Foi um desespero total. Os alunos estavam apavorados, chorando, subiram até o terceiro andar e se abrigaram na sala dos professores”, conta Rosa Maria de Araújo, professora de língua de portuguesa da Ermano Marchetti.
Rosa relata que os alunos informaram logo de manhã que circulava na internet uma ameaça de arrastão à escola para roubar celulares. Os docentes não conseguiram confirmar a informação, chamaram a polícia por precaução, mas a viatura não chegou a tempo de encontrar o grupo. Os jovens não conseguiram invadir a escola e fugiram.
Antonio Carlos Rodrigues, professor de matemática, trabalha há oito anos na escola e diz que nunca tinha presenciado uma tentativa de invasão. “Temos graves problemas de segurança, é comum nossos alunos serem assaltados nos pontos de ônibus e acontecerem arrastões no entorno. Mas uma ameaça dessas nunca havia se concretizado”, diz.
Os professores relatam que a Polícia Militar faz rondas na região, mas no momento do incidente, durante o intervalo, não havia nenhuma viatura no local. Eles reivindicam mais investimentos da Secretaria Estadual de Educação. A unidade não tem vigia, nem estacionamento para os funcionários. Havia cerca de 680 estudantes na escola no momento do incidente.
A PM não localizou nenhum suspeito e registrou internamente o ocorrido como “briga de alunos”.

Bônus professores do Estado de São Paulo

Hoje, 30 de março, os professores e demais servidores de 4.260 escolas estaduais receberão bonificação de até 2,9 vezes o valor de seus vencimentos. O valor será pago por suas unidades escolares terem cumprido ou ultrapassado no ano passado as metas de desempenho do Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo).
Assim como no ano passado, professores e os demais servidores poderão consultar por meio do GDAE seus dados cadastrais, índices, dias trabalhados e computados para o bônus, assim como o valor que irá receber – que pode variar de acordo com as unidades onde atuam.
A bonificação é calculada de acordo com a evolução do Idesp de cada uma das cerca de 5 mil escolas estaduais. Cada unidade recebe, anualmente, uma meta específica definida a partir de sua própria realidade. O Idesp leva em conta os resultados das provas do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) e também dados da progressão escolar (como aprovação). 
Cálculo
O Bônus por Resultado é proporcional ao desempenho da escola. Se as metas foram 100% alcançadas, as equipes escolares ganham 2,4 salários a mais. Se a unidade atingiu 50% de sua meta, por exemplo, os funcionários recebem 50% do bônus (ou seja, 1,2 salário a mais). Se a instituição chegou a 10% da meta, seus funcionários recebem 10% do bônus (0,2 salário).



Consulte aqui o resultado do Idesp 2011 e o valor da bonificação | Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Artigos Imparcialistas: A POESIA CONTEMPORÂNEA E O COSMONÍRICO IMPARCIALIS...

Artigos Imparcialistas: A POESIA CONTEMPORÂNEA E O COSMONÍRICO IMPARCIALIS...

GOVERNO DE SÃO PAULO DIZ QUE ESCOLAS DECIDIRÃO SE TERÃO REFORÇO.


GOVERNO DE SP AGORA DIZ QUE ESCOLA VAI DEFINIR SE TERÁ REFORÇO

Secretaria Estadual de Educação volta atrás e afirma que aulas extras fora do horário de aula normal irão continuar

Fonte: Folha de S.Paulo (SP)

Cinco dias após o governo de São Paulo dar informações desencontradas sobre o reforço escolar neste ano, a Secretaria da Educação disse ontem que a recuperação fora do horário regular está mantida, mas só nas escolas que pedirem.
Os colégios estaduais interessados terão de comprovar que possuem salas de aulas e professores disponíveis. A secretaria diz querer evitar a formação de turmas com baixa presença de alunos.
A pasta, porém, disse não saber quantas escolas possuem tais condições. Uma das dificuldades para o reforço extra é o deficit de professores. O governo já até autorizou a convocação de educadores reprovados em um exame.

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO MANTÉM RECUPERAÇÃO EXTRACLASSE


SECRETARIA ESTADUAL DA EDUCAÇÃO RECUA E MANTÉM RECUPERAÇÃO EXTRACLASSE

Modelo de apoio escolar divulgado em janeiro previa a extinção dessa prática, mas declaração do governador Geraldo Alckmin (PSDB) no final de semana provocou o recuo; segundo a pasta, modelo antigo funcionará concomitantemente ao novo

Fonte: O Estado de S. Paulo (SP)

A Secretaria Estadual de Educação voltou atrás e anunciou ontem que o modelo de recuperação fora do período regular de aula, para alunos com dificuldades de aprendizagem, não será extinto - ao contrário do que previa novo modelo de apoio Escolar divulgado em janeiro. O recuo se deu após declaração do governador Geraldo Alckmin (PSDB), no final de semana, de que o modelo anterior não seria abandonado.
Segundo a secretaria, esse reforço seguirá concomitantemente com o novo projeto - revelado pelo Estado no dia 13 de janeiro -, que prevê duas opções: recuperação contínua, com atuação de um segundo professor em algumas classes, e a intensiva, com a criação de classes menores em algumas séries do Ensino Fundamental. A informação da secretaria era de que a nova resolução substituiria a recuperação no contraturno - conforme publicado pela reportagem, sem que houvesse contestações da pasta.
O secretário de Educação, Herman Voorwald, negou ontem ter sido submetido a pressão política. Ele defende que nunca houve a intenção da substituição completa do modelo, apesar de o texto da resolução atual não prever aulas no contraturno como mecanismo de apoio Escolar. Esse sistema de aulas, segundo Voorwald, será melhorado.
Desde 1997, alunos com dificuldades podiam contar com apoio Escolar após o período regular de aula - de manhã para quem estuda à tarde e vice versa. Ao longo do ano passado, a secretaria avaliou com professores que o modelo não vinha tendo bons resultados porque os alunos não compareciam às aulas.
Mecanismos. O texto da resolução diz que as Escolas poderiam dispor dos dois mecanismos. Não há menção à continuidade do modelo de aulas no contraturno. Na semana passada, após o jornal Folha de S. Paulo noticiar o fim do reforço no contraturno, o governador veio a público negar essa possibilidade. Ontem, a secretaria endossou a posição do governador, defendendo que os modelos são "complementares". Voorwald ressaltou que a recuperação no contraturno, como era feito, tinha falhas e a nova proposta atende às necessidades dos alunos. "Se houver a necessidade (de aula fora do período regular), a resolução permite. Eu acredito nas recuperações contínua, que é na sala de aula, e intensiva, das turmas especiais", diz ele.
A pasta vai publicar uma instrução para disciplinar as aulas no contraturno. Uma mudança que já está valendo é a impossibilidade de professores atribuírem aulas antes de uma avaliação da Escola sobre a necessidade de formar classes de recuperação. O objetivo é evitar turmas ociosas.
A instrução vai alterar as regras para o Ensino Médio. Antes voltada para classes com mais de 40 alunos, a presença do segundo professor será agora oferecida a salas com 35 alunos. Também há a possibilidade de criar salas menores para a recuperação no Ensino Médio - e não só para o Ensino Fundamental.
Não há previsão de quantos professores auxiliares serão necessários. A secretaria garante que terá condições de implementar todo o projeto.

 

Show Sertanejo Cristão com Rodrigo e Daniel e Banda, 2 Convites de 40,00 por 20,00




Missão Louvor e Glória apresenta: Show Sertanejo Cristão com Rodrigo e Daniel e Banda, 2 Convites de 40,00 por 20,00

Professores de São Paulo vão parar três dias, começam segunda-feira. Fonte Bom Dia


Os professores da rede municipal de educação da capital paulista decidiram, em assembleia nesta quarta-feira, que vão paralisar as atividades durante três dias, começando nesta segunda-feira. Os docentes, que estão em campanha por melhores salários, fizeram um protesto no centro da cidade. Na próxima quarta, último dia da paralisação, a categoria volta a se reunir para definir os rumos das negociações com a prefeitura.
Entre outras reivindicações, os professores querem antecipação dos reajustes garantidos para os próximos dois anos, novos concursos, redução no número de alunos por sala, isonomia e incorporação de abonos complementares de pisos.
A Secretaria de Planejamento informou ao UOL que mantém "diálogo claro, aberto e objetivo com os representantes dos servidores públicos". A pasta disse ainda que só em "2011 se reuniu 33 vezes com as Mesas Central e Setoriais de negociação para ouvir as demandas dos servidores e discutir propostas salariais e benefícios."
Veja a nota na íntegra:
"A Prefeitura tem mantido um diálogo claro, aberto e objetivo com os representantes dos servidores públicos, promovendo inúmeras reuniões, não deixando de ouvi-los em nenhum momento. Em 2011, foram realizadas 33 reuniões com as Mesas Central e Setoriais de negociação para ouvir as demandas dos servidores e discutir propostas salariais e benefícios. Na tarde desta quarta-feira, dia 28, representantes da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão e da Secretaria da Educação, receberam uma comissão dos sindicatos para a continuidade das tratativas de negociação de natureza salarial e carreira, em análise pela Prefeitura.
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão"

Professor "novato" desiste de aulas na rede estadual


Professor "novato" desiste de aulas na rede estadual

Por dia, dois docentes recém-concursados abandonam escolas em São Paulo

Principal reclamação é sobre falta de estrutura na rede; governo afirma que desistências estão dentro do esperado

FÁBIO TAKAHASHI
DE SÃO PAULO

Formado na USP, Edson Rodrigues da Silva, 31, foi aprovado ano passado no concurso público da rede estadual para ensinar matemática. Passou quatro meses no curso preparatório obrigatório do Estado para começar a lecionar neste ano no ABC paulista. Ao final do primeiro dia de aula, desistiu.

"Vi que não teria condições de ensinar. Só uma aluna prestou atenção, vários falavam ao celular. E tive de ajudar uma professora a trocar dois pneus do carro, furados pelos estudantes. Se continuasse, iria entrar em depressão. Não vale passar por isso para ganhar R$ 1.000 por 20 horas na semana."

Silva diz que continuará apenas na rede privada. Como ele, outros efetivados neste ano pelo governo já desistiram das aulas, passados apenas 39 dias do início das aulas, sendo 25 letivos.

Até sexta-feira, 60 já haviam finalizado o processo de exoneração, a pedido, média de mais de dois por dia letivo. Volume não informado pela Secretaria da Educação está com processo em curso.

A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) diz ser normal o número de desistências, considerando a quantidade de efetivações (9.300). Educadores, porém, discordam.

Para a coordenadora do curso de pedagogia da Unicamp, Maria Marcia Malavasi, "o cenário é triste; especialmente na periferia, os professores encontraram escolas sem estrutura, profissionais mal pagos, amedrontados e desrespeitados."

DESMOTIVAÇÃO

As desistências têm diferentes motivações. Entre as principais citadas por exonerados ouvidos pela Folha estão falta de condições de trabalho (salas lotadas, por exemplo), desinteresse de alunos e baixos salários.

"Muitos alunos não apresentam condições mínimas para acompanhar o ensino médio e têm até uma postura agressiva com o professor", disse Juliana Romero de Mendonça, 25, docente de química. "A realidade da escola é diferente da mostrada no curso", afirmou Gilson Lopes Silva, 30, de filosofia.

O concurso selecionou docentes de todas as matérias do final dos ensinos fundamental e médio, séries com muitos temporários e mais problemas de qualidade.

Para Maria Izabel Noronha, presidente do sindicato do magistério, além de condições precárias da rede, "a formação nas universidades não é satisfatória, pois elas trabalham com uma escola irreal, de alunos quietinhos". Ela exige que o Estado dê mais tempo aos docentes para a formação em serviço.

Estado diz que saída de docentes é normal

Professores aprovados podem ter usado exame para aumentar pontuação em outros concursos, afirma secretaria

Para governo, carreira está atrativa e oferece bônus e reajuste com base no mérito; salário inicial é de R$ 1.834

DE SÃO PAULO

A Secretaria da Educação informou que considera normal o volume de docentes novatos que desistiu da rede.
A pasta afirmou que devem sair do sistema 10% dos recém-efetivados (cerca de 900 professores), mas não informou em qual prazo podem ocorrer as exonerações.

Segundo a gestão Geraldo Alckmin (PSDB), nem as condições de trabalho oferecidas nem os salários da rede são as causas das desistências.

A secretaria aponta como explicações a situação pessoal de cada professor, como quem arrumou outro emprego ou só queria o certificado de aprovação, que pode ajudar em concursos futuros.

Para o governo, a carreira está atrativa, por conta do bônus por desempenho (que pode chegar a 2,4 salários) e do reajuste com base no mérito (ano passado, 20% dos professores com as melhores notas numa prova ganharam 25% de reajuste). O salário inicial é de R$ 1.834 (jornada de 40 horas semanais).

A professora recém-efetivada Ana Paula dos Santos, 28, elogiou as condições da rede. "Posso fazer aulas diferentes com datashow ou na sala de informática. Se o professor montar uma boa aula, os alunos vão se interessar", disse ela, que leciona biologia em colégio estadual da zona norte de São Paulo.

A secretaria disse ainda que alunos que estudariam com docentes desistentes não ficarão sem aula, pois há reposição com temporários.

E esses professores provisórios serão substituídos no ano que vem, quando devem entrar nas escolas estaduais 25 mil novos concursados, também aprovados no concurso do ano passado.

Desde 2004, a rede estadual não contava com um concurso tão amplo para efetivar professores do 5º ao 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio. (FT)

EMPREGOS EM TODO BRASIL.


InfoJobs – o melhor site de empregos do Brasil. Busca de Vagas de Emprego e Currículos.Infojobs

Cadastre-se  
no site gratuitamente e se inscreva para vagas de emprego. Tudo gratuitamente.

acesse e cadastre: 
a

InfoJobs – o melhor site de empregos do Brasil. Busca de Vagas de Emprego e Currículos.

GRUPO ARTISTAS E INTELECTUAIS DA CIDADE DE MARÍLIA

GRUPO ARTISTAS E INTELECTUAIS 
DA 
CIDADE DE MARÍLIA 

O PROPÓSITO DESSE GRUPO 
É CONHECER OS ARTISTAS E INTELECTUAIS DE NOSSA CIDADE
Você que é Marília, é artista ou intelectual, venha fazer parte desse grupo!

entre em contato:
 imparcialismo@gmail.com 
ou no Facebook 
jose nunes pereira nunes

GRUPO ARTISTAS E INTELECTUAIS DA CIDADE DE MARÍLIA
http://www.facebook.com/ 



Brasil está assistindo à formação de uma bolha imobiliária. Pelo menos é nisso que acreditam dois professores da FGV-SP - Fonte: Exame


São Paulo – Imóveis são atualmente péssimos investimentos, e o Brasil está assistindo à formação de uma bolha imobiliária. Pelo menos é nisso que acreditam dois professores da FGV-SP. “Eu continuo achando que é uma bolha. Só não dá para saber quando ela vai estourar”, diz William Eid Júnior, coordenador do Centro de Estudos e Finanças da FGV, e que sustenta essa posição há mais de um ano. Essa também é a opinião do professor Samy Dana, da Escola de Economia: “Atualmente, o retorno que os imóveis apresentam está muito inferior ao risco”, diz.
Especialistas que refutam a ideia da formação de uma bolha argumentam que a grande alta nos preços dos imóveis nos últimos anos foi, na verdade, um ajuste de preços, após anos de estagnação; argumentam também que os preços ainda têm espaço para crescer, uma vez que o valor do metro quadrado em outros países emergentes como Rússia e Índia chega a ser 3,5 vezes maior que no Brasil. Mas de abril de 2011 a janeiro de 2012, o Índice FipeZap apresentou um longo ciclo de desaceleração nas altas dos preços, que voltaram a aumentar ligeiramente em fevereiro.
Na opinião dos dois professores da FGV, os imóveis residenciais estão muito caros, principalmente nas grandes cidades como Rio e São Paulo. O retorno que eles podem dar em aluguéis, portanto, não seria satisfatório, ficando frequentemente abaixo ou igualado ao retorno da poupança ou mesmo do CDI.
Ainda que os preços dos imóveis possam, em tese, subir indefinidamente, os preços dos aluguéis esbarram na barreira da renda da população, não podendo subir acima do que as pessoas podem pagar. “Fala-se em déficit habitacional. Sim, mas só porque existe escassez de alimentos, por exemplo, não quer dizer que o preço da comida pode subir infinitamente”, compara Samy Dana.
Ele explica que, quando o valor do imóvel e o valor dos aluguéis se distanciam demais significa que o imóvel está caro como investimento. Por meio dos dados do Índice FipeZap, o professor mostra que a alta dos aluguéis não vem acompanhando a alta do preço dos imóveis, o que está tornando a taxa de retorno do investimento cada vez menos atrativa. Desde janeiro de 2008, o preço de venda dos imóveis no Brasil elevou-se 129,5%, enquanto que os aluguéis tiveram alta de apenas 68,4%. A perda do aluguel frente aos preços foi, portanto, de 61,1%.
“Imóvel é um péssimo investimento agora. Nitidamente o preço está lá em cima. Comprar um imóvel para investir agora equivaleria a comprar na alta”, diz William Eid. A conta do aluguel é a seguinte: para um investimento em um imóvel residencial ser mais rentável que a poupança, o retorno deve ser maior que o 0,5% ao mês mais TR que a caderneta paga. Lembrando que o rendimento com aluguel é somado à renda tributável do investidor e que a caderneta de poupança é isenta de IR. “Para um imóvel residencial, considerando o risco, o retorno teria que ser de, no mínimo, 0,7% ou 0,8% ao mês”, diz Eid.
Ou seja, o aluguel pago mensalmente deve corresponder a 0,7% ou 0,8% do valor do imóvel. Segundo o Índice FipeZap, o preço médio do metro quadrado de um apartamento de dois quartos em São Paulo foi de cerca de 5.500 reais em fevereiro, mais ou menos o mesmo que a média nacional. Isso significa que, naquele mês, um imóvel desse tipo com 100 metros quadrados custava 550.000 reais. Seu aluguel deverá, portanto, sair por 3.850 reais no mínimo para ser rentável. Isso sem contar outros gastos que os locatários geralmente têm e que não vão para o bolso do proprietário, como IPTU e taxa de condomínio.

Professor foi preso em flagrante por tráfico de drogas no início da tarde desta sexta-feira em uma escola estadual em Lençóis Paulista


Um professor de português da rede pública de ensino foi preso em flagrante por tráfico de drogas no início da tarde desta sexta-feira em uma escola estadual em Lençóis Paulista, a 245 km de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito era membro de uma facção criminosa e vendia drogas para os estudantes. Com ele, foram apreendidos 300 g de cocaína.
De acordo com o delegado Luís Massa, titular da delegacia de Lençóis Paulista, a polícia passou a investigar o professor após receber denúncias anônimas de mães, segundo as quais haveria um docente distribuindo drogas para os alunos. "Apesar de ser uma história aparentemente absurda, passamos a investigar o caso e chegamos ao nome dele, e descobrimos que se tratava de um ex-presidiário que já havia cumprido pena por tráfico", disse o delegado.
Após constatar que o suspeito de fato comercializava drogas dentro de duas escolas estaduais do município, uma equipe da delegacia à paisana abordou o professor na saída da escola. "Eu e mais alguns policiais nos dirigimos até a escola com o meu carro pessoal e o abordamos ao término da aula, para não causar constrangimentos aos estudantes", afirmou Massa.
Após revistarem o suspeito, os policiais encontraram um pacote com 100 g de cocaína em um dos bolsos da calça do professor. Dentro da mochila que ele levava, foram encontrados outros pacotes, que totalizavam mais 200 g da droga. O professor também levava R$ 1 mil em dinheiro, "proveniente do tráfico de drogas", segundo o delegado.
"São duas situações absurdas. Uma é ele vender drogas a estudantes, e outra é a Secretaria de Educação contratar um indivíduo que já havia cumprido pena por tráfico de drogas", afirmou o delegado. De acordo com Massa, o suspeito relatou que não foi exigido nenhum tipo de comprovação de antecedentes criminais quando foi contratado como professor substituto da rede estadual.

Comentário do editor: 
Em uma sociedade em que os valores estão no capital e no consumo, nas liberdades de todos os tipos, os valores humanos são todos deturpados e os profissional da educação e da segurança não são importantes e nem valorizados de modo objetivo e real, e  muito pior ainda,  são  desmotivados em sua verdadeira função em razão de tamanha indiferença da sociedade, do sistema e do governo; em uma sociedade que não valoriza a educação, a moral, a ética, a disciplina, a ordem, as regras, os bons costumes, o exercício das virtudes e da cidadania  e a espiritualidade; Essa sociedade se escancara  para todos os tipos  de  degradações e destruições dos valores, do humano e das virtudes.
José Nunes 

Alckmin retira aula de reforço...


ALCKMIN ACABA COM AULAS DE REFORÇO NA REDE PAULISTA

Atenção extra será dada por 2º professor durante horário regular de estudo; educadores criticam mudança do sistema, que segundo governo passará a ser adotada já neste ano letivo

Fonte: Folha de S.Paulo (SP)

A Secretaria da Educação decidiu abandonar o reforço dado a alunos com dificuldades de aprender o conteúdo das aulas na rede paulista.
Esse reforço era previsto desde 1997. Ocorria durante o ano letivo num período diferente das aulas regulares - quem estudava de manhã tinha ajuda extra à tarde e vice-versa. Os estudantes assistiam de duas a três aulas extras semanais, ministradas por professores da própria rede. 
Agora, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) quer atender esses alunos com dificuldade colocando mais um professor na sala para acompanhá-los nas aulas regulares, ou seja, no mesmo momento em que as matérias são ensinadas. 
Comentário: 
Serão quarenta alunos dentro da sala e ainda dois professores!  que beleza!
Daria para fazer duas salas! não é verdade!

Briga de faca dentro de uma escola na região de Marília - fonte G1


Objeto foi apreendido pela polícia da cidade (Foto: Reprodução/TV Tem)
A mãe de uma aluna aplicou golpes de faca em duas estudantes na tarde desta quinta-feira (22), dentro da sala da diretoria em uma escola estadual, em Galia (SP). De acordo com a Polícia Civil, as três estudantes, uma maior de idade, discutiram e uma delas foi agredida.

A direção pediu a presença da mãe da jovem que teria iniciado a confusão. Neste instante, as outras duas teriam invadido a sala da direção. Uma nova discussão foi iniciada e, a mãe, que portava uma faca, pegou o objeto e acertou as duas estudantes no braço.
A polícia foi acionada e levou as pessoas envolvidas à delegacia. Depois de prestarem depoimento foram liberadas. As duas jovens atingidas pelas facadas passaram pelo Pronto-Socorro e estão bem.
O delegado informou que o motivo da discussão teria sido provocada porque duas das trêsestudantes são homossexuais. Já uma pessoa da família da autora das facadas disse que ela está em tratamento psicológico.
Os envolvidos assinaram um termo circunstanciado e deverão sofrer uma pena alternativa, como prestação de serviços à comunidade ou pagamento de cesta-básica.

 FONTE: 

Abaixo assinado: LEI 267/ 11 - PUNIÇÃO AO DESRESPEITO AO PROFESSOR

Abaixo-assinado aprovação do Projeto de Lei 267/11, da deputada Cida Borghetti (PP-PR)


Petição Pública Logotipo 

Abaixo-assinado aprovação do Projeto de Lei 267/11, da deputada Cida Borghetti (PP-PR), que estabelece punições para estudantes que desrespeitarem professores

Vá ao Pedição Pública e Assine este abaixo-assinado:


Faça a sua parte para melhorar a educação


Diretora de escola é agredida em escola na de Marília


 A diretora da escola estadual de Marília, SP, foi agredida na tarde desta quarta-feira (21) quando chegava ao trabalho na escola estadual Valdemar Muniz.
Segundo a polícia, o pai de três alunos que estudam no estabelecimento de ensino estava no local questionando os funcionários sobre a proibição de os filhos não entrar na sala de aula depois de chegarem atrasados.
saiba mais
Em depoimento, a vítima disse que o homem é um ex-professor exonerado do cargo e que constantemente a ameaçava.
De acordo com o boletim de ocorrência, a diretora levou chutes e socos. Ela foi encaminhada até um hospital particular e se recupera dos ferimentos. Professores e diretores se reuniram no sindicato para fazer um protesto contra a violência.

Artigos Imparcialistas: Um pouco da verdade sobre as piores escolas públi...

Artigos Imparcialistas: Um pouco da verdade sobre as piores escolas públi...: A Verdade sobre as piores escolas públicas do Brasil A educação e a pedagogia pós-moderna, É tecnológica e romântica... Somos educadores e...

Salário Professores do Rio Grande do Sul: Salários serão reajustados em 23,51% até fevereiro de 2013, em três parcelas.

Em uma sessão tensa, marcada por vaias e protestos, os deputados da base do governo do Rio Grande do Sul aprovaram três projetos de lei que concedem reajuste aos professores da rede estadual. Os salários serão reajustados em 23,51% até fevereiro de 2013, em três parcelas. Os índices de aumento correspondem a 9,84% a partir de 1º maio de 2012, 6,08% a partir de 1º de novembro, e 6,00% a partir de 1º de fevereiro de 2013. Atualmente, o Rio Grande do Sul não paga o piso salarial nacional aos professores, fixado em R$ 1.451. O salário inicial do magistério no Estado, sem gratificações, é de R$ 791 e, mesmo com o reajuste aprovado, não atingirá o piso.
Em nota, o Cpers, sindicato dos professores no Estado, afirma que “os deputados da base governista tornaram-se cúmplices de um governo que está à margem da lei”. No começo do mês, a Justiça Estadual do Rio Grande do Sul determinou que o governo cumpra a lei do piso nacional do magistério e pague aos professores da rede o valor determinado para 2012. A categoria mantém estado de greve e irá convocar assembleias para decidir como será a reação ao rejuste aprovado.
Por mais de quatro horas, os parlamentares de oposição tentaram adiar a votação, mas às 20h46, os deputados oposicionistas retiraram-se do Plenário 20 de Setembro, em protesto. A base aliada manteve o quórum e garantiu a aprovação dos projetos de lei. Foram aprovados também o aumento dos vencimentos básicos dos servidores de escola e da Gratificação de Apoio aos Serviços Educacionais em 23,51% até fevereiro de 2013, e o pagamento dos dias em que professores e funcionários das escolas participaram da greve de 18 de novembro a 2 de dezembro de 2011.

Arquivo do blog

NOTÍCIAS

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS