Buscar

Vinicios Calderoni, Fred Martins: A nova Música Brasileira...

A nova cara da música brasileira é um cara única e multiculturalista, globalizada,é fruto dos acessos fácil aos conhecimentos proporcianado pela nossa Era da Informação. A cara da nova música é desapegada, Inventiva, cosmo virtual e quem sabe Imparcialista (no sentido mais de desapego regionalista)
Nessa nova música parece que a musica está subordinada as letras sem perder a musicalidade e trazendo à reflexo e novos vacabularios para a letra.
Nova musica brasileira é a cara do Brasil, porque possui a cara do mundo, a hospitalidade brasileira e a miscigenação brasileira.
Os cantores e compositores brasileiros FRED MARTINS, E VINICIOS CALDERONI que participaram de um programa voltado ao que há de mais fino na cultura brasileira na REDE GLOBO de televisão, mostraram e trouxeram a dignidade da cultura, criatividade e fineza que já possui a nossa cultura.
Parabéns artistas e parabéns Rede Globo.




Companheiro e caminhos

Não sou eu quem vai dizer
Para onde você deve caminhar...
Não sou o dono da verdade,
Mas se um dia você achar
Que eu estou no caminho certo,
Me procure, estão caminharemos juntos,
Porém se um dia descobrir que estamos
No caminho errado, me diga,
Então iremos por outros caminhos...
Se o meu caminho foi um engano,
Quero que saiba que jamais faltei com a verdade
E com a sinceridade para conosco.
Sou rio que foi sujo pelo caminho
E se purificou correndo entre as pedras e as quedas,
E broto outra vez cristalino.

Saulo Menezes Castro
J.Nunez

Para não te perder....

Revoada

Para não te perder ainda mais,
Vou ficar aqui onde você me deixou.
Desfiz as malas mais uma vez,
Acendi mais um cigarro,
E fiquei olhando a fumaça dissipar.
Um sol de uma tarde de outono,
Deixou na porta aberta sua luz triste.
Entre a moldura da janela
Passou outra vez as quatro estações:
Em dias outono flores de maio nas janelas,
O inverno encobre o chão de flores de ipê,
E a primavera põe asas nas borboletas
E cores nos canteiros.
Quem espera sempre espera um pouco mais.
Outra vez a revoada de pássaros
Abandona a praia, corta um céu de verão,
Feito um passarinho de asas machucadas,
De coração partido e sonhos podados.
Feito um passarinho,
Que desgarrou da revoada,
Ela veio bater em minha janela.
Cuidei de suas asas, refiz suas ilusões;
Ela voltou a cantar,
Depois esperei que partisse.
Mas desta vez o amor lhe prendeu,
Sou a sua outra asa,
E você não sabe mais voar...
E você não quer mais voar sem mim.
Quaisquer dias destes,
Vamos deixar à praia,
Junto com a revoada de pássaros,
Num vôo à dois...

Francisco Medeiro
J.Nunez
busca: j.nunez poetas

Vivendo segundo as leis de Deus

Forja de provação

Se o amanhã pertence a Deus,
hoje quero viver segundo a tua lei,
e sob luz dos mandamentos seus,
sou perseverante, e nada temerei.

Por caminhos de pedras andarei,
poderá até me faltar a sua luz,
porém, jamais deixarei
de caminhar rumo a sua cruz.

Ando pelo deserto da alma
sou forjado no fogo da provação
perdi a paz, perdi a calma.

Senhor, estendestes-me a tua mão,
colocaste-me outra vez de pé,
estou forte, e novamente tenho fé.
**********
Mãe, por quantas vezes neste dia,
por quantas vezes, me esqueço de ti,
adormecido aqui dentro da matéria fria,
nuvem que oculta minha adoração por ti.

Mãe, minha Mãe e Virgem Maria,
minha Senhora de amor e bondade,
esse meu coração é uma candeia,
e se apaga com o sobro da vaidade,

Por tanto, aprendi o caminho do silêncio,
Vereda que nos levam a ti, Oh Maria!
te reencontro, e tiras-me desse de ócio,

E o teu amor outra vez me incendeia,
e vigio-me com os olhos da virtude
que me destes por amor e bondade.

13-out-05
Francisco Medeiros
J.Nunez

buscar: j.nunez poetas

POESIA PARA SEPARAÇÃO

Separação

O comprador de ouro avaliou à aliança
Com seu nome gravado,
Pesou, depois disse o quanto vale...
Quanto vale um sonho desfeito...
Quanto vale um sentimento...
Quanto vale um coração em pedaços...
Quando vale a nossa historia...
Quando vale uma família desfeita...
Quanto vale filhos abandonados...
Quanto pesa nossas mentiras...
Quanto pesa nossas verdades...
Quando pesa a felicidade...
Tudo isso vale e pesa
Apenas três gramas e meia.
Quando vale tudo que você fez por mim...
Quanto vale tudo que você fez por nós...
Quando vale o seu perdão...

FRANCISCO MEDEIROS
J.Nunez
BUSCAR: J.NUNEZ POETAS

Virtude da paciência

Paciência

Se acaso andarmos em trevas
Brilhará
A virtude da paciência
Feito estrela solitária
Brilhará
Em um céu noturno.

Se acaso andarmos em trevas
Seremos constantes na luta
Certos de que há de chegar o outono
Certos de que haveremos de colher o fruto
De nossa persistência.

Pois tudo passa
Há sempre de surgir
Um sorriso em seu rosto
Certo como o sol há de surgir
Após dias de chuva e frio.

Se acaso andarmos em trevas
Nosso sorriso pode até
Se esconder por um instante
Mas nada desfalecerá
A esperança

E enquanto pulsar no peito um coração,
Enquanto raiar
Este sol nas manhãs de primavera
Teremos esperança.

FRANCISCO MEDEIROS
J.NUNEZ

(Publicado na coletânea RODAS DO TEMPO)

BUSCAR: J.NUNEZ POESIA

Uma Madrugada de Amor (a dor e o amor clássico)

Uma Madrugada de Amor

Quem te vê assim sorrindo,
Quem vê o nosso amor em paz
Não imagina como foi
A nossa madrugada de amor.

Quem me vê assim:
Pai e homem de família
Não imagina como foi
A nossa madrugada de amor.

Quem me vê assim cuidadoso,
Quem te vê carinhosa comigo
Não imagina como foi
A nossa madrugada de amor.

Quem vê essa harmonia em nosso lar
Quem sente essa energia de nossa casa
Não imagina como foi
A nossa madrugada de amor.

Quem te vê linda e de bem com a vida,
Quem te vê mulher e mãe
Não imagina como foi
A nossa madrugada de amor.

Para quem não sabe eu digo que:
Uma madrugada de amor
Pode salvar a vida a dois,
Pode fazer esse mundo melhor.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Francisco Medeiros é um dos pseudônimos de J.Nunez

Poetas imparcialistas: Estudo de um novo contexto para a literatura

Josias Maciel é o poeta do homem idealizado, o poeta da potência, da virilidade, da gereneração do homem desmoralizado , desmotivado pelo sexo fácil e casual. Neste poeta encontramos a mulher com suas qualidades e virtudes naturais e não uma imitação do homem que é naturalmente vil. É o poeta das regenerações, da fertilidade, da virilidade sem magismo, da potência, da pureza sem puritanismos e da expressão masculina, da clareza, da concentração e objetividade masculina, das virtudes sem encenações, da linguajem solta e direta. Este poeta é a oposição a feminilidade, as vaidades do homem atual e a desmoralização do homem.


A Espada de um Anjo

Suas roupas foram caindo no chão do quarto

Feito pétalas de rosa branca desnuda.

Seu corpo nu é ainda mais perfumado.

Sem pétalas ficou a mostra sua pele de cor rosada

E sua pelugem de pêssego maduro

De relva ou saliva de língua áspera

Ficou umedecida sua pele macia de maça

Nunca antes mordida .

Brincando de bem-me-quer com seu corpo

Arranquei sua uma pétala ,

Rompi seu único véu ou membrana

Ela desfaleceu feito um passarinho abatido,

Gemeu e sentiu o espasmo de morte

Ou de Santa Tereza transpassada pela espada de um anjo erótico,

Agora me olha agradecida, e como se eu fosse o Senhor

A vida e da morte, ela me pede um filho.

Josias Maciel

escrito por

J.Nunez

TODOS OS TEXTOS QUE ESCREVO SÃO DE MINHA AUTORIA, PORÉM ESCREVO COM CATORSE PSEUDÔNIMOS, PARA COMEÇAR MINHA PUBLICAÇÕES ESCOLHI ME COMO JOSIAS MACIEL

O Poder socioeconômico da mulher e seus reflexo sobre o homem

Reflexos do poder socioeconômico da mulher.

A literatura imparcialista busca a contextualização da poesia.
Essa contextualidade nasce do estudo do estudo do comportamento do homem moderno, e da liberdade dessa mulher emancipada com sua liberdade que é imitação da liberdade do homem. A mulher em alguns aspectos se masculinizou, por exemplo, em seus comportamentos sociais a mulher busca se espelhar no homem que sempre foi para ela o sinônimo de liberdade, a mulher moderna é de um linguajar descuidado como nunca foi, a mulher moderna fala alguns palavrões que antes era apenas coisa de homem entre homens. A mulher sendo emocionais é um tanto mais descuidada com esses palavrões e os pronuncia em qualquer lugar, coisa que o homens sendo racionais evitam fazer, essa é uma desastrosa imitação do homem.
O homem diante dessa mulher poderosa se afeminou e inconscientemente obedece essa mulher emancipada e poderosa. O homem está perdendo tanto o seu instinto de homem
Que praticam cuidados e delicadezas que sempre foram apropriados as mulheres devido aos seus dotes de sensibilidade, os homens praticam e nem si quer suspeitam que são atitudes de afeminados. A moda masculina esta tão afeminada que não sabemos se o individuo que segue essas modas são homossexuais ou não. São calças apertadas da canela até bunda, são camisetas apertadinhas que nada difere da moda feminina. Se essa moda masculina é para agradar o público feminino ela é simplesmente o reflexo do poder socioeconômico da mulher. O clube das mulheres é o reflexo desse poder feminino.
A mulher se motivou após na industrialização que a colocou no mercado de trabalho enquanto que o homem se desmotivou com o sexo fácil, afinal conquistar a mulher, a mãe de seus filhos, e mais ainda conquistar os pais e família dessa mulher e ainda provar a todos que ele é homem o suficiente para ter uma família e sustentar essa família era o maior desafio que o homem podia enfrentar. Esses garotos que conhece o sexo na adolescência são desmotivados para a vida e as conquistas porque o sexo sempre foi a razão de todas as conquistas do homem, esse sexo fácil proporcionado pelas as mulheres desmoralizou o homem e desvalorizou o corpo os sentimentos das mulheres.
Esse homem moderno foi desmotivado pelo sexo fácil, agora está sendo afeminado pelo poder socioeconômico da feminina. O homem vem se tornando o reflexo da mulher e de seus caprichos de sensibilidade e delicadeza.
O homem em sua natureza mais intima é rude, bruto e forte, talvez esse homem seja atualmente apenas algum fetiche e caprichos sexuais das mulheres modernas.
O homem sempre sentiu se afeminado diante de outro homem com características potencialmente masculinas, mas no momento o homem está sentindo se afeminado diante do poder socioeconômico da mulher, observe o homem atual e perceberá que esse homem é fruto do poder feminino.
Do mesmo modo que o homem sempre desejou uma esposa e uma depravada do mesmo corpo ou em corpos diferentes, a mulher sempre desejou o homem sensível, afeminado e delicado, e homem forte, viril e rude seja no mesmo corpo ou em corpos separados, a mulher conseguiu esse homem afeminado com o poder que leva a submissão e um homem quando se sende submisso sente se afeminado. Talvez a literatura imparcialista seja igual ao Punk, não serve para o mercado.

Audio Matizes do Amor




Matizes

Matizes têm a cor,
Matizes têm a amor,
Matizes têm o dor

Nas folhas um tom
de verde
Nos olhos o tom
da verdade
Do que de fato se sente

Nem tudo resiste
Por causa da intensidade
da cor
Não digo o mesmo do amor
Não digo o mesmo da dor

As cores das roupas
no varral
A tonalidade do azul
nunca é igual
A intensidade do amor
de cada casal
É matiz do amor
que nunca é igual.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Cristianismo, Multiculturalismo e Imparcialismo....

Os imparcialistas não dizem nada demais,
Na verdade a maior virtude dos Imparcialistas é serem óbvios,
Porém imprevisíveis, o fato de serem realistas
No sentido mais cruel da palavra
Torna o imparcialista um profeta do óbvio.
Por incrível que pareça esses poetas imparcialistas
são filhos de pais cristãos,
Mas os que não gostam deles chamam esses poetas de filhos...
E de outras coisas....
Eles são filhos de pais cristãos,
Mas são obedientes ao imparcialismo e ao multiculturalismo.
Não dá para agradar dois senhores!
Por isso não tentamos agradar nem um...
Como um imparcialista poderia ser multiculturalista e cristão
Se o cristianismo é a imposição de uma verdade,
E o imparcialismo e o multiculturalismo é meu olhar
Sobre as verdades dos outros
Que resulta da minha própria verdade flexível e mudável,
A verdade imparcialista se confirma em si mesma
Através da comprovação da realidade e do óbvio.
O cristão possui um homem que é Deus e que é o criador de tudo,
E que veio a terra no ventre de uma mulher
Que era virgem e ainda seu pai era
Um bom homem que soube entender tudo...
E esse homem que desapareceu
Por uns vinte anos reaparece para morrer na cruz
E salvar os pecadores do mundo...
Hora, hora!...Sejamos imparcialistas por um minuto!
Cá entre nós, essa historia é simplesmente absurda
Para quem a escuta pela primeira vez...
Não é! ?
Há! então quem está errado é o Deus da vaca dos outros,
O Deus Sol dos outros, o Deus lua dos outros,
O Deus em tudo dos outros...
Não há nada de errado com o nosso Deus,
Ou será que ouvimos tanto falar
Nesse nosso Deus que ele se tornou nossa base e nossa verdade incontestável.
Os imparcialistas são os profetas do óbvio realista...
Profetas das verdades e das mentiras Insuportáveis de ouvir.
Para não falar a verdade e para que o homem não desconfie
Dos labirintos,Cavernas, infernos, precipícios,
Montanhas, águas turvas e pântanos
O cristianismo criou o homem , plano, limpo e raso....
Talvez o cristianismo
Tenha aprendido isso nos contos de fada.
O cristianismo e nem uma das outras das grandes correntes religiosa
Suportariam o multiculturalismo,
Certamente o multiculturalismo e o imparcialismo são para poucos...
São para os dá auto-exclusão...

Salomão Alcantra
J.Nunez

23-09-2010

As Estatísticas da educação são animadoras!.... (cronopoema)

Um país alfabetizado se faz com estatísticas,
Com progressão continuada, bolsa família e outras bolsas
Que não sei o nome, é preciso dar esmola ao povo,
É preciso pagar as crianças para que elas vão à escola.
Estatísticas da educação dizem muito mais do que vejo...
As estatísticas são animadoras.
Daqui a vinte anos o Brasil será um país com alto índice
De alfabetização, mesmo que esse país não saiba ler...
Mas que tem que dizer que o povo sabe ler é a estatística
E não a realidade nua e crua...
As estatísticas não provam nada,
Mas alguns dos grandes jogadores de futebol sim...
Eles provam com feita falta a educação,
Mas eles são ídolos!
Não precisam ter educação enquanto são ídolos!
Depois que envelhecerem ou deixarem de serem craques nós os massacraremos...
Dizem que o craque de futebol é eternamente craque,
Então o grande artista fracassado será sempre o grande artista?
Então o soldado herói de guerras,
Mesmo que sem as pernas será sempre o grande soldado de guerra?
Como gostamos de criar mentiras
E grandes ilusões para sustentar o insustentável!

Salomão Alcantra
J.Nunez

Nova didática Brasileira...

Na nova didática
O Chico bento manda ir tomar no...
Na mesma e sempre política,
Tudo acaba em pizza bordada de cumplicidade masculina.
Uma baixaria cotidiana lá do outro lado da rua,
Interrompe minha Cronopoética,
É a Dóris sendo jogada pra fora,
Seu amante a pegou traindo
Com o amante traído de sua esposa.
_“Todo mundo faz”: ela dizia aos gritos.
O Bill Clinton e a celebridade faz.
Ela esqueceu da regra; há uma enorme diferença
Em ser ou não pego com a “boca na botija”
Ou em outro lugar qualquer de sua preferência.
Ele dizia: _ Nunca mais pise aqui...
Aqui quem manda sou eu!...
É o que o Hugo Chaves está preste a dizer.
_ Ele manda lá do outro lado da fronteira,
Porque aqui quem manda é o Sarney.
Disse meu amigo crítico.
Existe tanta coisa com nome de Sarney
Aqui na sarneylandia, que a pizzaria ali da esquina
Já criou o que faltava:
Pizza Sarney com bordas secretas.

ABÍLIO SANTANA
j.Nunez

CRONOPOEMA é uma escrita com caracteristicas de cronica, conto e poesia.
O IMPARCIALISMO.

Hoje é o dia do Touro...

Taurus

O touro na arena
Persiste no ataque
Até que o sangue de seu corpo esgote,
Até que sua força descomunal se acabe.

O touro na arena não se entrega a morte.
O matador na arena joga com a sorte,
Porque hoje é o dia do touro.

Não facilite porque certamente
Não sou o tempo todo
Touro Ferdinando que cheira flores,
Tem sempre uma abelha para me enfurecer.

Sou do exercito do Rei Leônidas
Portanto meu esforço é incalculável.
Não sou o boi castrado,
Não sou o touro imolado,
Sou criação de Vulcano

deus do fogo e da forja,
Tão feio quanto a realidade do ser humano.
Não morreria sem antes lutar até exaustão,
Porém, me entregaria de alma e coração,
Para reservar um mistério ou um segredo.
Sou essencialmente touro,
Vencedor quando vencido.

Saturnino Queiros

J.Nunez

O IMPARCIALISMO

Coração em jogo

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/
As gaivotas já abandonaram a praia,
É o momento crucial para dizer Adeus
E nunca mais voltar, tento desifrar com palavras
O que dizia aquele olhar de partida,
Olhar misto de tantos sentimentos
Embaraçados e mudos.


Vi inocência, tristeza, amor e medo,
Eu fingindo sentimentos, enganando o coração;
Sorri sem graça para não chorar.

Longe de você, aceito qualquer desejo passional
Desde que não ponha em jogo o coração,
Mesmo porque meu coração é somente seu,
E meu corpo não têm dono.

Eu te imploro; me devolva o coração,
Porque juro por Deus...,
Que vi brilhar o amor em outro olhar.
Aprendi a amar tarde de mais...
E o nosso amor é caso perdido, vaso quebrado
E o nossos sonhos são projetos esquecidos nas gavetas.

Preciso do meu coração de volta,
Para que eu possa me apaixonar,
para que eu possa sonhar os meus Sonhos
Refletidos em outro olhar.

Darci Costa
J.Nunez

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/

A Personificação do Amor

Amor Cristão

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/2010/09/amor-cristao.html

Personifique o amor
Sintetize a paixão,
Canalize o desejo,
Em um único corpo,
Em uma única alma.
O cristianismo é equilíbrio Budista
Apesar de o cristão não saber disso...
Só é possível ser cristão
Se personificar o amor
Sintetizar a paixão
Canalizarmos o desejo
No corpo de alguém do sexo oposto
E tornar-lo um patrão
De todos os outros corpos de sexo oposto,
O bom cristão tem que olhar com todo o seu potencial
De amar carnalmente e espiritualmente
Um único corpo que em si mesmo
É a síntese de todos os outros corpos
Que seus olhos vierem a cobiçar...

Murilo Santiago

J.Nunez

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/2010/09/amor-cristao.html

O Caminho do Meio

LEIA POEMAS DE AMOR:  http://matizesdoamor.blogspot.com/

O Caminho do Meio

Amanheci hoje com náuseas na alma,
Náusea para tudo que não é puro belo e equilibrado,
Amanheci hoje budista, amanheci hoje no caminho do meio,
Amanheci assim: querendo amar a humanidade,
Levar comida aos passarinhos e sentir o perfume da terra.
Amanheci com cara de fim de semana prolongado.
Amanheci querendo repartir o pão
E dar minha palavra de conforto,
Amanheci mais taurino que em outros dias,
Amanheci mais esotérico que em outros dias,
Amanheci mais amigo que em outros dias.
Amanheci querendo estender a mão ao inimigo,
Amanheci com o coração cristão
E com a alma budista,
Amanheci querendo que você me ame,
Amanheci querendo amar você,
Amanheci querendo fazer as pazes,
Amanheci querendo pedir e oferecer o meu perdão,
Amanheci com o pensamento de que a vida é interior,
Compreendi que se os taurinos querem segurança perene
Devem buscar em sua própria alma.
Talvez seja o céu destes dias,
Vênus em sextil com minha lua natal,
Que me fez amanhecer assim.

J.Nunez

O IMPARCIALISMO

As drogas a família e a cracolândia



A cracolândia é a personificação do inferno,
E a síntese da desestruturação da família e da sociedade,
E a degradação humana, é a falência do poder,
É a materialização da baixeza e da indignidade humana,
É um exemplo de bestialidade e inconsciência,
É nossa personificação da irresponsabilidade com o ser humano,
É o depósito de lixo humano...

Ainda ousamos pensar em liberar a Maconha,
Diante do inferno das drogas que é a cracolândia
É vergonhoso, inconseqüente, irresponsável tal pensamento.

Quem sustenta a humanidade são os homens de bem,
São eles que fazem a vida possível...
Os rebeldes sem causa de todas as épocas são apenas
Ignorantes que não possuem uma visão da realidade
São incapazes de observar o mundo que é obvio e real.

Quem sustenta a humanidade é a família estruturada dentro dos princípios da moral,
Da dignidade, do amor, da fraternidade, da decência, da caridade, da lealdade, da responsabilidade, e muitas outras virtudes, a família possui valores intocáveis...

Apesar de toda a inversão de valores, a sociedade é sustentada pela família e pelos homens de bem capazes de podar e punir seus próprios instintos bestiais.
Não são os drogados e os bêbados a base que sustenta a humanidade,
Basta observar que se toda a humanidade caminhasse para as drogas e para o crime a vida seria simplesmente impossível...

Os filhos drogados são uma ameaça para a família e a sociedade, os filhos drogados
São incapazes de manter a si mesmos em suas necessidades básicas
Por isso os filhos drogados roubaram e mataram seus pais para alimentar seus vícios.

A família é para onde voltamos,
A família é à base da humanidade,
A família e seus valores intocáveis é que sustentam a humanidade ,
O mundo não pode ser sustentado por viciados,
A vida seria impossível se não fosse os homens de bem e castos de vícios,
Isso é óbvio, estão à liberação de drogas não deveria nem si quer ser discutida...
Quem é que daria um trabalho para um individuo drogado para que ele compre sua
Própria droga? Eu não ariscaria!

Já basta o capitalismo e a industrialização que estruturou a família a eu modo e a desestruturou como conseqüência da perda de valoreis intocáveis que deu lugar ao consumismo e a libertinagem dos instintos e da sexualidade sem compromisso dos adolecentes, homens e das mulheres.
Essa é a sociedade do prazer!...

J.Nunez

"Os artigos imparcialistas é a obra e o estudo para a obra."

Família, capitalismo e industrialização

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/ /

A desvalorização da família, do homem, da mulher e dos valores que sustentaram e estruturaram a família e suas relações por toda a historia da humanidade é hoje apenas temas para programas de televisão e propagandas, há uma desvalorização dos valores mais caros a humanidade, valores que estruturam a família e a sociedade, valores que sem os quais a família simplesmente se autodestruiria. É na família que nasce o amor, a fidelidade, a compaixão, a compreensão, a bondade e a caridade, estamos eliminando as virtudes da alma que está na família e colocando o consumo no lugar da alma e de sua condição suprema. A família foi e ainda é o lugar de consumo, é na família que comemoramos o natal, o ano novo, os aniversários, os dias dos pais, os dias das mães e a páscoa, é na família que encontramos razões para essas comemorações, e é na família que a industrialização e o capitalismo tem se apoiado por esse centenário, porém se observarmos o novo contexto, o capitalismo e a industrialização já podem esquecer um pouco a família como a conhecemos e investir nessa nova possibilidade de mercado que a formação da família desobediente as lei biológicas, aos dogmas e a tudo que se teve até o momento como correto e dignificante da condição humana. As razão pela qual se justifica a estrutura da família é o equilíbrio do homem e de seus sentidos, um ser humano solto aos caprichos dos desejos é um barco soprado por muitos ventos todos com direções diferentes, as razão pela qual a família tradicional deve ser defendida e protegida, é o equilíbrio que deve imperar sobre o caos, o caos só pode existir destro da ordem, o caos e toda a maldade proveniente dele é um parasita que só pode existir sem autodestruir-se dentro de um sistema organizado. O caos e os caóticos exibem suas ousadias sem saber que o caos que não é fruto da ordem, mas que sobrevive dessa ordem, se autodestroem sem saber o que é caos, porque o caos só possui consciência de si mesmo aqui dentro da ordem. Os rebeldes sem causa de todos os tempos sempre ignoraram que a ordem e o equilíbrio são as bases da vida e sem as quais a vida resultaria impossível. A vida não seria possível sem pessoas de bem...A humanidade e todas as coisas buscam sempre o equilíbrio, porque sabemos que é no equilíbrio que se faz a vida e sua continuidade.

J.Nunez

Retrato de homens iguais mim...

O que eu poderia chamar de meu primeiro amor,                

é hoje uma prostituta de esquina, e das mais baratas.
O que a vida faz com a nossa nobreza!?
Quanto a isso...,não tenho ressentimento sou quaisquer sentimentos, isso me serve apenas como exemplo, que a vida da volta imprevisíveis... e alem do mais..., também não me criei um santo...,na verdade não me vejo diferente de meu primeiro amor,
Também tenho me vendido de alguma forma, e bem baratinho!...

                                                        02/09/04

Basta mencionar a palavra "querer" que tudo fica sobre bases vulneráveis.
A base sólida de ser é ser sem culpa.
O segredo de ser é ser de dentro para fora.
O que é uma vida estruturada?
Se não uma base sólida, uma terra boa para que germine o espírito.
Somente o espírito tem bases sólidas e suspensas.
Amo esta minha voz sem corpo, esta minha existência sem forma...,
Não existe base mais sólida do que existir assim: voz sem corpo  

                                                     02/09/04

É natural que os rostos tenham hoje esta suave expressão de tristeza, tristeza de uma despedida, afinal é Domingo, e o Sol já caiu atrás das casas.
Por estes dias..., não me é natural este sorriso,
Este sorriso é uma necessidade de autocura.
Por estes dias, nem por dias nenhum...,me é natural este sorriso, naturalmente e sem incomodar e sem ninguém, sou pessimista e triste, minha tristeza  é de não me ver com bons olhos.

                                              09/09/04

 Não me lembro mais de quantos tombos conotativos levantei-me,
e de quantos atropelos figurados  sobrevivi.
E a vida termina em reticência; porque nada se explica, ou porque somos de certo modo eternos...,
ou ao menos diferentes das coisas, somos feitos de substantivos concretos e abstratos.

                                                09/09/4

Salomão Alcatra
J.Nunez

Entre outras coisas, falarei de amor....

Entre outras coisas, falarei de amor, apesar de não saber como falar de amor, apesar de não saber o que é amor.

Olho para dentro de mim, ou para dentro de qualquer ser humano, e vejo o amor, coisinha  minúsculo entre outros milhões de sentimentos conflitos e pensamentos que damos  a eles o nome de razão, e esta maldita razão, e estes malditos sentimentos com muitas direções, sufocam o pouquinho de dignidade e nobreza que temos, e nos deixam embaraçados por dentro e indignos por fora.Talvez outro dia qualquer falarei do amor sem este embaraço de sentimentos, neste dia o amor será um Sol sem nuvens escuras no meu peito.
Deixe como esta, e o amor assim me basta, me sacia os sentidos, e o resto do tempo que me resta, exerço minhas virtudes e guerreio com meus sentidos.
Deixe estas nuvens escuras passar para que brilhe o amor, ai então, não direi nada sobre o amor porque não encontrarei as palavras...sentirei o amor como sinto o vento...,
Eu o procuro além da margem de tudo que é humano, desta vez não terei dúvidas, eu o reconhecerei, daremos as mãos, e caminharemos em silêncio, entre tanta outras coisas que não se explicam.

                                                                              19/09/05
J.Nunez

Artigos imparcialistas, conceitos de imparcialidades

Conceito de imparcialidade


O imparcialismo é um movimento literário que nasceu do conceito matemático de par e impar. O conceito imparcialista vem da observação que se formarmos pares através dos números impares sempre sobrará um que não se associou, esse um que sobra é o imparcial, o imparcialista, o imparcialismo o obervador, a auto exclusão. Se pegarmos o número três por exemplo, e fazermos dele um par, sobrará um, esse um que sobra é o imparcial, o observador. O conceito de imparcialismo é uma observação de que na natureza há uma união entre duas forças que pode formar uma terceira, essa terceira força é imparcial a duas forças que a criou. O imparcialismo é a união entre o abstrato que são os pensamentos, as sensações e os sentimentos do poeta imparcialista e os acontecimentos da vida dentro desse novo contexto estudado pelo poeta imparcialista. Os artigos, os poetas, as poesias e tudo que se refere ao imparcialismo é fruto dessa observação e desse contexto observado que resulta na obra imparcialista. A vida é formada de parcialidade e o imparcialismo é a observação e a leitura da vida.

J.Nunez

PORQUE OS HOMEM MENTEM E AS MULHERES CHORAM?

Porque os homens mentem para as mulheres?

É óbvio, eles são racionais,
Sabem que a verdade não é para ser dita
Quando essas verdades vão contra seus objetivos.
Porque as mulheres são tão difíceis de compreender?
É óbvio, elas são sentimentais,
E os sentimentos não muito mais dinâmicas e muito mais mutáveis que a razão.
A prova de que elas são sentimentais e, portanto
São mais difíceis de compreender que os homens,
É quando elas assistem a um filme romântico
Em que o galã faz uma gentileza para a mocinha
Ela olha para o marido e diz: _Você nunca fez isso por mim!
A resposta do marido será bem racional.
A vida não é um filme, querida...
No subconsciente esse marido sabe muito bem
Que ele seria capaz de fazer aquela gentileza
Se aquela gentileza levasse a atingir o seu objetivo, o sexo...
E a vida segue muito bem com os homens omitindo as verdades
E as mulheres acreditando nas mentiras que põem gosto na vida.
Nunca espere que um homem diga que percebeu
A moça linda que passou a sua frente,
Se você perguntar ele dirá: Não reparei!
Porque ele sabe se falar que reparou,
Você vai bombardeá-lo com palavras
E depois ainda fará greve de sexo...
O homem nunca está disposto a perder o conforto e o espaço já conquistado.
Por que os homens mentem e as mulheres choram?
Porque os homens são racionais e as mulheres são sentimentais
E assim eles se completam com todas as qualidades e imperfeições.

Darci Costa
J.Nunez

As portas do mistério....

Manhã de julho, não sei se me levanto e preparo um cafezinho forte, ou um veneno fatal.
A felicidade era a ilusão de grandeza, seguida de desilusões e crise existências, tudo é crime, ainda tudo é crime...,e todo o crime me traz gosto pela vida.

Logo tudo são remorsos, depois crise e moralismo cristão e superficial, que aceda a vida, circulo vicioso que não para de girar, o que antes chamei de camaradagem agora chamo de covardia e conivência com os erros, e esta imparcialidade  que eu a tinha como minha maior virtude a denomino, covardia, servilismo, medo e frouxidão moral.
Sinto as contrações, estou preste a gerar um poema.
Feito um ladrão a procura de algo de valor na casa em que arrombou, farei vir tudo a chão, procuro a verdade, não quero a verdade dos outros, quero a minha própria verdade, não quero a verdade dos padres, das igrejas, dos guias da humanidade, ou a verdade das beatas, que não suportam nem a si mesmas.
Se me servisse a verdade de todo mundo, eu nãos sofreria tanto...Sou criança não sei da verdade, colocarei "a mão no fogo" para saber se queima.
Nada ficará estabelecido, tudo virá ao chão, nada está definido, tudo são possibilidades, tudo são meias verdades, não existe teorias sólidas tudo é miragem...possíveis verdades, e é isso que tenho como crença.
Não quero nem uma religião, filosofia, teoria, sociologia que venha pronta, tudo é novo, tudo esta em face de experimentação.
Já temos fábricas de tudo, veneno em tudo, terceirização de tudo, padronização de tudo, quero ao menos pensar e sentir como um ser único...
Estou começando a engatinhar e quero minha verdade, não quero a verdade dos outros...

                                                                        24/12/04

 O sono vinha chegando incontrolável, decidi ir para casa dormir, até a hora que me desse vontade, em casa retirei os racunhos do bolso e os joguei na velha caixa sapatos, agora caixa de racunhos, no outro dia acordei disposto, tomei o café forte e puro que eu mesmo preparei. Escutei um barulho no sotão, desci até lá para ver o que estava acontecendo, notei que uma gata branca, feito um urso polar, estava morando ali.
A gata têm olhos azuis, linda!...ficou brava quando aproximei de uma caixa de papel que estava no canto mais escuro do sotão, escutei um miado de gatinho novo, cuidadosamente aproximei-me da caixa, vi três gatinho, sendo dois deles todo branco e um branco e preto. A gata cotinuou a me espreitar brava e temerosa. Deixei-os em paz, e quando cheguei na parte do sotão mais iluminada pelo Sol, uma borboleta da cor do medo entrou e pousou nas máquínas abandonada no sotão.
Subi de volta para a parte de cima da casa, enquanto voltava pensei: quanto tempo será que vive uma borboleta, sendo ela  tão bela e fragil. Sentei-me ao computador e voltei a escrever e a organizar os textos que ficaram tanto tempo esquecido na caixa de rascunhos.Paguei um rascunho para escrever; notei o quando eu sou frio como um assassino, e sincero como uma criança:
Há maldita onipresença de ser!... e estar espalhado em tudo que penso e sinto, estou transitando num ponto estratégico de mim, e vigio tudo que sou, tudo que supostamente  acredito que sou, tudo que almejo ser.
Meu ponto estratégico é ser o que realmente sou, e buscar o que realmente quero.
O que penso e sinto é Deus e diabo, não gosto do Deus e do Diabo das religiões,  são muito autoritários..., prefiro ser eu mesmo o Deus e o Diabo.
O correto pensar e o correto agir, de acordo com o que vivo, é meu ponto estratégico para que possa me ver, para que não seja arrastado por esta correnteza de pensar e sentir.
Diria então que me agarro a moral; esta que esta a margem da vida, para que eu não vá na correnteza de existir, existir imóvel feito pedras, há!...mas será que as pedras imóveis não ocultam mistérios... Como as casas velhas, vazias e mal assombradas?...Sei que de baixo das pedras existe um minúsculo universo!...Porque eu também existo, minúsculo, imóvel e assombrado!...
Se conservo vazio este espaço no meio da sala  porque tenho que preenche este espaço  dentro de minha alma, com virtudes e pecados; isso é não saber estar imóvel e silencioso.
É necessário que o centro da sala seja vazio, e o conservarei sempre vazio, é assim que ele me é útil, como é necessário que este tempo e espaço seja simplesmente vazio na minha alma para que assim as portas do mistério se abram. 

                                                       13/07/04
Salomão Alcantra
J.Nunez

Saído da casca do ovo...
















Saído da casca do ovo


Uma vida nova se inicia quando quebramos a casca do ovo.
Romper com essa barreira é uma necessidade
Para que haja renovação e vida nova.
Novos desafios, novas descobertas e outras aprendizagens
Se iniciam após sairmos da casca do ovo,
A nossa iniciativa em mostrar nosso potencial e talento
É romper com uma vida e iniciar outra,
Os talentos são outras formas de vida latentes em todos nós,
Contudo é preciso coragem para novos rumos...
Se os filhotes de pássaros não romperem a casca do ovo,
Se não tiverem coragem para uma nova vida,
Certamente morreriam sem saber
O que há mais além daquele mundo.
Esse projeto é um incentivo para que deixemos a casca no ovo...

J.Nunez

Ritual

Ritual

A Potência de amar
Está em meu corpo e minha alma,
Que realiza todos os dias um ritual diferente
Para te amar outra vez como se fosse à última
A única e primeira vez.
A potência de amar é acumulada
Nessa fome que não sacio ao te amar,
Te amo mais a medida que te amo...
Te quero mais a medida que de quero.
Teu corpo é a personificação do meu desejo,
Teu corpo é a síntese do que é amar.
Teu corpo adormece e me acalma
E meu desejo ganha essa serenidade esses tom e essa luz
Do abajur que ilumina seu corpo
Quase que deixado sobre o meu.

Josias Maciel
J.Nunez

Josias Maciel é o poeta do homem idealizado, o poeta da potência, da virilidade, da regeneração do homem desmoralizado, desmotivado pelo sexo fácil e casual. Neste poeta encontramos a mulher com suas qualidades e virtudes naturais e não uma imitação do homem que é naturalmente vil. É o poeta das regenerações, da fertilidade, da virilidade sem magismo, da potência, da pureza sem puritanismos e da expressão masculina, da clareza, da concentração e objetividade masculina, das virtudes sem encenações, da linguajem solta e direta. Este poeta é a oposição a feminilidade, as vaidades do homem atual e a desmoralização do homem.

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/

Amor cristão

Personifique o amor
Sintetize a paixão,
Canalize o desejo,
Em um único corpo,
Em uma única alma.
O cristianismo é equilíbrio Budista
Apesar de o cristão não saber disso...
Só é possível ser cristão
Se personificar o amor
Sintetizar a paixão
Canalizarmos o desejo
No corpo de alguém do sexo oposto
E tornar-lo um patrão
De todos os outros corpos de sexo oposto,
O bom cristão tem que olhar com todo o seu potencial
De amar carnalmente e espiritualmente
Um único corpo que em si mesmo
É a síntese de todos os outros corpos
Que seus olhos vierem a cobiçar...

Murilo Santiago
J.Nunez

Imparcialismo é comigo mesmo...

Na imensa paisagem seca á beira da estrada os ipês de flores amarelas e as flores de maio nas janelas põem cores em duas estações. Eu também poderia por cores em dias de inverno, eu também poderia debruçar na janela de minha alma e comtemplar dias de Sol e chuva, eu também poderia sentar a sombra confortável de mim mesmo e deixar a vida passar sobre meus olhos,
Eu poderia aquecer-me ao Sol, banhar-me na chuva e ver o dia amanher em teu sorriso.
 
06/08/06 
Aprumo meu espirito alinho a minha conduta,
igual ao execultivo que arruma a gravata e alinha o paletó enquando atravessa a rua e entra no prédio de escritórios em frente ao Roma café bar.
De ontem para hoje o dia amanheceu configurado da mesma maneira; eu é que amanheci sobrando pontas para todos os lados, eu é que amanheci configurado de outra maneira. Ainda não acordei por inteiro por isso não sei o que em mim sobra neste instante, porem suspeito que seja o antigo descontentamento de ser eu. Sou crítico ou sou gato velho rabugento, e meu senso crítico nada mais é que ódio do mundo e uma forma de ser furioso; minhas palavras é valvula de escape. 
Não sou de cobiça ou inveja mas gostaria de ter esta sua gargalhada gostosa...debochada e germiniana como se fosse uma exaculação da alma
Um suspiro, uma válvula que não te deixa assim: a
ponto de uma erupção de fúria.

26/08/06
                                   
J.Nunez

Agradecimento ao Lampião Atômico

http://lampiaoatomico.blogspot.com/2010/09/por-jose-nunez-publicado-2092010.html

J.Nunez e o MOVIMENTO LITERÁRIO IMPARCIALISMO E SEUS CATORSE POETAS IMPARCIALISTAS AGRADECE IMENSAMENTE AO LAMPIÃO ATOMICO PELA DIVULGAÇÃO DE NOSSO TRABALHO LITERÁRIO.
É realmente gratificando quando percebemos que alguém assimilou e compreendeu o nosso trabalho...

J.Nunez

A química do amor e da amizade

Dois poetas e dois poemas Imparcialistas


http://literaturaimparcialista.blogspot.com/

O Homem guardado no sotão (poema)
É necessário ser útil,
tudo tem uma razão para existir,
é necessário dar alguma coisa,
seja a beleza, seja a inteligência,
seja sátira ou simpatia,
a sociedade não perdoa
quem não tem nada para oferecer
e deixa estes infelizes à margem.
Eu estou guardado no sótão,
entre as coisas inúteis
e as coisas guardadas por prudência.
Estou ali empoeirado, largado em um canto,
até que eu descubra a que sirvo,
a que estou destinado.
o ideal é inatingivel porque é ideal e idéia das coisas.
Não há teoria política ideal,
o que há são teorias com com poucas brechas
que impedem os malabarismos
e as artimanhas políticas de auto favorecimento.

06/05/06

Salomão Alcantra
J.Nunez


A química do amor e da amizade

Quando é amor a gente sabe pelo primeiro olhar,
Quando é amor nosso primeiro olhar
É feito de simpatia e de um desejo sutil
Escondido por de trás desse olhar.
Quando é amor a gente sabe pelo olhar
Que sintetiza a si e a nós mesmos
Em um corpo de homem ou de mulher.
Quando é amor,
Não dá para se enganar quando é amor.
Quando é amor pensamos tanto um no outro
Que nossos pensamentos chegam a si tocar...
A química do amor nasce dos olhares que se cruzam e se correspondem
A fórmula do amor é feita de desejo sutil e simpatia no olhar.
Quando estiver bem envolvidos um no outro
O amor revela o quando somos diferentes um do outro,
E ai está à lei dos opostos que se atraem.
Se fossemos iguais não daria amor, daria amizade....
Quando é amizade a gente sabe pelo primeiro olhar,
Quando é amizade o primeiro olhar tem uma sensação de aconchego,
Quando é amizade queremos estar sempre justos
Porque somos atraídos não por desejos no corpo,
Mas por desejos na alma de unir nossas idéias,
Compartilhar nossos sonhos.
Quando é amizade o primeiro olhar é de afinidade na alma e no pensamento.
A amizade e o amor não gostam muito de se dar as mãos
Porque o amor é feito de opostos que se atraem
E a amizade é feita de iguais que se atraem...
Somos mais parecidos com nossos amigos,
Que com nosso amor, isso é fato...
Nosso amor morre de medo de perder o outro para a amizade,
Mas a amizade ri dessas bobagens do amor...
Depois de horas de encontro de amigos
Eu sempre quero os braços do meu amor...

Francisco Medeiros
J.Nunez

Artigos, poetas e poesia imparcialistas

Os artigos imparcialistas é a estudo para a literatura para o novo contexto, porém esses artigos transpassam a idéia de estudo, e se torna a própria obra literária enquanto que é o estudo para a própria obra, e obra que se desenvolve a em si e a si mesma.
Os poetas imparcialistas são pseudônimos, portanto não existem sem a pessoa de J.NUNEZ que é o escritor do Movimento Literário Imparcialismo e seus catorse poetas imparcialistas.
A poesia imparcialista suas caracteristicas e suas variações como: o cronopoema , métrica e o bucolismo urbano a cosmoplolitismo virrtual, o multiculturalismo, o possibilismo etc é a própria poesia, mas, não deixa de ser um estudo de si mesmo.

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/46288/1/Artigos-poetas-e-poesias-imparcialistas/pagina1.html#ixzz0yvqlPib8

Sobre a beleza, a feiura, o talento e a pobreza.

O conforto psicológico e físico do feio é dizer que a beleza está sujeita ao tempo, contudo é melhor ser feio por um determinado tempo que ser feio a vida inteira, mas quem se importa com as beleza dos gênios.
É uma crueldade o que fazemos com as pessoas belas quando não vemos seus talentos, mas que culpa eu tenho se a beleza dessas pessoas ofusca seus talentos!
Eu que sou um intermediário, pelo menos é o que penso de mim mesmo, não sou lindo mas também são sou horroroso, estou ali na media, eu que sou assim, penso que assim é melhor porque ninguém nota minha pouca beleza e nem minha pouca feira, estão sobra espaço para o talentos, mas onde estão meus talentos!... Eles devem estar no sótão feito coisa Guardadas com pouco zelo....
Eu estou guardado no sótão das memórias. O conforto psicológico do fracassado é dizer que do mundo nada se leva, contudo é melhor ter não mais que o suficiente que viver a vida inteira na penúria e desculpá-las com frases cristãs e hipócritas que defende a pobreza enquanto ela a come vivo.
Não pensem que sou materialista porque aprecio muito a pobreza objetiva de Francisco de Assis... Aprecio a penúria como forma de mortificação dos pecados... Isso é pobreza voluntaria sem desculpas de cristão fracassados e hipócritas. Se bem que as igrejas estão mudando o discurso, agora oferecem prosperidade e felicidade, a salvação cai de moda na sociedade do prazer.

Salomão Alcantra
J.Nunez

Perdoar

Perdoar


Devemos perdoar setenta vezes sete

Que é igual a quarenta e nove

Que é igual a quatro mais nove

Que é igual a treze

Que é igual à morte

Então concluo que devemos perdoar até a morte,

A final o salário do pecado é a morte.

Sete é o triunfo de Deus,

No sétimo dia Deus descansou...

Jonas Correa Martins
J.Nunez

Sobre todos os signos do zodiacais...

Neste tempo nem mesmo as quatros estações do ano são estáveis, muito menos eu, humano e sujo, amigo do Pessoa e de Walt whiltmam e ainda nascido sobre todos os signos zodiacais.
Acho que é natural, que ainda eu não saiba se penso que sou eterno como todas as coisas em eterno estado de mutação, ou se de fato existo assim.
Este dia se resume em resfriado, catarro e decomposição de mim largado ali num canto do sofá, resistindo a todas as vontades de fazer qualquer coisa, a não ser saborear um café forte e amargo, como o agora.
Quero olhar para alem das paredes que não vejo, e simplesmente, saborear um café, como se a vida se resumisse neste ato irresponsável e distraído, porem o silêncio é fecundo e me fala segredos aos ouvidos, me diz que, definitivamente o tempo não existe, o que existe são as coisas oxidáveis dentro da eternidade. O que chamamos de tempo são canseiras, esgotamento e decomposição, que aos poucos nos sucumbe, e passamos a existir apenas espectral.
A rotina existe porque somos seres esgotáveis e necessitamos de nos recompor, como qualquer outra maquina que não resiste ao movimento perpétuo dentro da eternidade.
Meu coração, pedra ao relento em lenta decomposição, sabe, que o que tenho chamo de vida, é rotina, canseira e relógio com seu tic tac insuportável, ou com seu despertar de galo mecânico desesperado em madrugadas de inverno.
21/05/06

Caminhando displicente na superfície de pensar, tropecei em pensamentos despropositais e soltos no relevo da consciência, cai no mais profundo do meu interior, numa queda de estrela cadente ou de anjo caído, para lá de onde tudo é esquecimento.
Quando me falta o amor, perco a mística e tenho a frieza dos ideais e da técnica, que seca o sal dos meus olhos e estanca a hemorragia da minha alma.
Queria sangra na alma como Tereza Wilhman sangrava em seu membros estigmatizados, queria arrepender-me feito belzebu nos mundos infernais, estar em sintonia com o eterno como
São Francisco de Assis, estender a mão ao ser humano como São Vicente de Paula e ter o dom do verbo como São João.
Depois do ideal de ser me resta ser quem sou agora, técnico e frio como um psicanalista.
Com todas as ferramentas na memória, desbravo, garimpo as profundezas de meu ser e encontro pedras ainda brutas, que vou lapidando num processo lento, angustiante e minucioso.
Nestas camadas mais profundas de meu ser encontro o inferno do homem, de onde vem a erupção de pensar e sentir, que formam o meu céu de Pompéia, que cai e transformam o relevo de minha personalidade superficial e deixo de ser deserto onde fui Mar, e deixo de ser Terra plana onde fui montanha e sou agora indefinido e informe, sobre esta influência de maré de lua.

23/07/06

A mesma luz que ilumina o caminho é a mesma luz que cega...

Ave de rapina

Sou um solitário entre quatro paredes,
Mas o meu espírito é ave de rapina,
Habita os mais altos montes.
Acostumada aos elevados ares,
Baila imóvel á musica de mozart.
Quando escuto à musica ,
Não sou de carne e osso, sou a extensão
Ou a própria música que me trás de volta
A esta altura onde respiro arte.
Sou um solitário entre quatro paredes,
E todos os prazeres,o que me trás deleito
É somente o teu corpo,
Teu sorriso suave feito brisa matutina,
Depois, a noite clara, o dia chuvoso e frio,
O sol que se põe incansável de sua rotina
E a sombra fria ao pé do riacho.
Não penso voluntariamente,
Não espero nem um messias,
Nem salvação alguma, pensar é suspeitar,
É perder á base sólida da teoria, acreditar
Vale tanto como uma vela acesa na mão de um Homem cego
É preciso ter fé neste caso não,
Mas, a mesma luz que ilumina o caminho
E a mesma luz que cega ,
Porque vem contra tudo
Que se acreditou até agora .
Tenho espírito de ave de rapina ,
Fujo sempre da companhia dos homens ,
Porque necessito os altos ares onde posso respirar
Arte, e sentir mais do que pensar ,e sofrer
As dores do homem e nunca compartilhar,
Ou ter sua alegria, no entanto, não compartilhar
Porque esta alegria é passageira,
As vezes me pego com grande descontentamento
Compartilhando as migalhas de alegrias
Com esse corações diferentes do meu, satisfeitos com tudo.
Quando dou por mim,
Já bati asas, fui buscar os ares de onde vejo mais....,
E respiro arte.
Esta vaidade me têm feito errar o caminho,
É luz que me cega....

Herminio Vasconcelos
J.Nunez 18-09-03

Movimento literário Imparcialismo

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/2010/08/copa-do-mundo-e-patriotismo-brasileiro.html

Amores e sexo virtuais

Murilo Santiago poeta da revelação do que está oculto em nosso interior, poeta que arranca à força nossos pensamentos e sentimentos mais secretos, poeta que não se interessa pelo que você demonstra ser, e sim pelo que você esconde, poeta que se interessa pelo que você é no mundo dos sonhos e em seu mundo particular, poeta das profundezas mentais, poeta que revela o que é mais repugnante em nós, poetas sem sutilezas e delicadezas interior, poeta dos conflitos íntimos e das coisas não reveladas.


Amores Virtuais

Seus amores impossíveis
São de fato seus corpos intocáveis,
Seu erotismo não realizável,
Seus desejos incontidos,
Seus fetiches, suas imagens e seus fantasmas
Que perturbam seu corpo.
Seus amores acabados
Deixou o gosto na lembrança,
Deixou a sensação nos sentidos.
Agora depois de consumado
Você diz que amou,
Talvez de fato tenha amado
Em meio a corpos e amores
Intocáveis e impossíveis.
É provável que tenha amado
Ou apenas consumado desejos
Em corpos tocáveis e possíveis.

Murilo Santiago
J.Nunez 18-07-09

http://gostei.abril.com.br/post/show/-o-cristianismo-e-a-igreja-catolica-tem-nos-salvado

O Fruto do Bem

Fêmea Fatal


Oh!... Fêmea Fatal por natureza
Indispensável
Incomparável
Inevitável

Campo fértil, é o teu corpo
Onde "crescemos e multiplicamos"
Crescemos em espírito e virtudes
Multiplicamos em gerações
Só é possível através de ti
Oh!...Campo fértil

Converta-me, converta-nos
Em Deuses oh!... Fêmea Fatal
A árvore do bem e do mal
No meio do paraíso, és tu
Fêmea Fatal

Fêmea, não deixe que eu coma
Teu fruto do mal,
Não faça como Eva,
Dê-me o fruto do bem
Oh!...Fêmea teu fruto do bem
Me converterá em um Deus.

Meu Deus!...
Clamo por ele, faça de mim
Digno deste fruto
Não!... não fêmea criada por Deus
Tu nunca foste inferior ao homem
Foste criada da costela de Adão
Porque tu e Adão sempre foram sois
Dois em uma só carne

Fêmea fatal por natureza
O que será de mim
Sem o fruto do bem
Que nasce do teu amor por mim
Ai de mim, sem ti!...
O que será de mim?...
Como é que vou subir
Até o meu Deus se tu não
Fazer-me subir
O que será de mim sem Maria!...
O que será de mim sem Eva!...

Seja você minha Eva
E converta-me com teu fruto do bem
Que está no teu amor
E converta a ti mesma
Fêmea Fatal porque tu podes
Levantar e derrubar
Miseráveis como eu.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez





www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br

Pensamentos involuntários

Um passo atrás do silencio, O caos, turbilhões de pensamentos
Em muitas direções.
Do que vejo, do que ouço
Emergem pensamentos involuntários
Que rompem
Um silêncio externo,
Como
Se ocupassem um espaço vazio
Como
Se fosse bailarinos descoordenados
Como
Redemoinhos que rodopiam
Desnorteado
Rompe ainda mais o silencio
Quando
Justificadamente o vento
Bate a porta
E varre folhas secas pelo chão
Mas quando
Com o esforço voluntário tudo
Volta
À ordem, o pensamento da vontade
Consciente
Que é como um pássaro com visão
De águia
Com direção bem definida, alça
Seu vôo
Magnífico, alem do delírio
E faz o silêncio
Ou traz em seu bico um poema
Para alimentar minha alma
Sedenta de Deus...

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

O cristianismo e a igreja católica tem nos salvado...

A Quebra das Convenções

No filme a moça quebra todas as convenções sociais,
Aplaudimos hipocritamente ao final da sessão
Talvez levados pelo impulso de liberdade e libertinagens...
Certamente nossas palmas ignoram que se todos nós resolvêssemos
Quebras as convenções tornaríamos o mundo impossível...
Se todos nós resolvemos viver nossas privacidades em lugares públicos,
Se todos nós rompêssemos com que está estabelecido,
Se todos nós rompêssemos, nesse instante, com as leis
Chegaríamos à autodestruição em pouco tempo.
Estão porque aplaudimos as quebras de convenções
Se essas quebras de convenções
Pode ser a degeneração e a exterminação da humanidade...
As quebras das convenções são as exteriorizações
De nossas repugnâncias mentais,
Se a humanidade que é tão parecida comigo resolvesse
Colocar em práticas as mais profundas sensações, pensamentos e sentimentos
Seriamos suínos em chiqueiros abstratos.
O cristianismo e a igreja com suas proibições
Tem nós salvado da bestialidade, da autodestruição e de nós mesmos.
Somos permissivos com nossos corpos e suas sensações,
Sem saber que as sensações são inconscientes das leis
E são em si as portas de nosso inferno interior
Para onde vamos com as sensações que são inocentes e indiferentes
As leis físicas biológicas e outras leis invisíveis.
A um poeta Imparcialista que mora nesse inferno psicológico
De onde ainda não foi arrancado...E talvez nunca será!

Murilo Santiago
J.Nunez

O Homem guardado no sotão (poema)

É necessário ser útil,
tudo tem uma razão para existir,
é necessário dar alguma coisa,
seja a beleza, seja a inteligência,
seja sátira ou simpatia,
a sociedade não perdoa
quem não tem nada para oferecer
e deixa estes infelizes à margem.              
Eu estou guardado no sótão,
entre as coisas inúteis
e as coisas guardadas por prudência.
Estou ali empoeirado, largado em um canto,
até que eu descubra a que sirvo,
a que estou destinado.
o ideal é inatingivel porque é ideal e idéia das coisas.
Não há teoria política ideal,
o que há são teorias com com poucas brechas
que impedem os malabarismos
e as artimanhas políticas de auto favorecimento.                                                                
                                                                
06/05/06

Salomão Alcantra
J.Nunez

A química do amor e da amizade

Quando é amor a gente sabe pelo primeiro olhar,
Quando é amor nosso primeiro olhar
É feito de simpatia e de um desejo sutil
Escondido por de trás desse olhar.
Quando é amor a gente sabe pelo olhar
Que sintetiza a si e a nós mesmos
Em um corpo de homem ou de mulher.
Quando é amor,
Não dá para se enganar quando é amor.
Quando é amor pensamos tanto um no outro
Que nossos pensamentos chegam a si tocar...
A química do amor nasce dos olhares que se cruzam e se correspondem
A fórmula do amor é feita de desejo sutil e simpatia no olhar.
Quando estiver bem envolvidos um no outro
O amor revela o quando somos diferentes um do outro,
E ai está à lei dos opostos que se atraem.
Se fossemos iguais não daria amor, daria amizade....
Quando é amizade a gente sabe pelo primeiro olhar,
Quando é amizade o primeiro olhar tem uma sensação de aconchego,
Quando é amizade queremos estar sempre justos
Porque somos atraídos não por desejos no corpo,
Mas por desejos na alma de unir nossas idéias,
Compartilhar nossos sonhos.
Quando é amizade o primeiro olhar é de afinidade na alma e no pensamento.
A amizade e o amor não gostam muito de se dar as mãos
Porque o amor é feito de opostos que se atraem
E a amizade é feita de iguais que se atraem...
Somos mais parecidos com nossos amigos,
Que com nosso amor, isso é fato...
Nosso amor morre de medo de perder o outro para a amizade,
Mas a amizade ri dessas bobagens do amor...
Depois de horas de encontro de amigos
Eu sempre quero os braços do meu amor...

Francisco Medeiros
J.Nunez

Você pode tudo o que quiser e o que não quiser....

O Futuro

Ter futuro certamente você terá
Porque estar vivo é ter futuro,
Agora, quanto a esse futuro tudo depende de você,
Na verdade não depende tanto assim de você...
Não vou bancar o poeta Francisco Medeiros,
O escritor de auto ajuda
Que te ajuda muito a ter cegueiras e ilusões.
Vamos ser adultos e sensatos...
Quem faz o seu futuro
Você! não, não exatamente...
A vida em si mesma é o futuro...
Deixar de ter futuro é estar morto.
Você certamente pode tudo o que você quiser,
E também o que não quiser...Mais ainda.
Ora quem somos nos?
Senão vítimas dos outros e de nós mesmos,
E sujeitos a leis e legisladores invisiveis...
Quem diria que meu amigo Ferreira
Mataria sua esposa ali mesmo encima do amante de sua amante...
Quem diria meu Deus!...Quem diria!
Tudo mudou!
A dia vida amanheceu outra para o meu amigo Ferreira...

Salomão Alcantra
J.Nunez

Os pegadores...

Antidecepcional


Apague a luz
Porque hoje eu vou te fazer maldades,
Já tomei o meu antidecepcional,
Já me precavi da ereção fraca
E da ejaculação precose,
Já tomei a pílula azul,
Já tomei o coquetel afrodisiáco,
Já tomei o meu extasy
E ainda tenho um gel anestésico.
Se tudo falhar tenho ainda algo para te deixar bêbada,
Dizem que temos o melhor desempenho sexual
Quando a mulher está bêbada a ponto de não ver nada.
Mesmo que de maneira artificial,
Mesmo corrento risco de morte
Feito o macho da aranha viuva negra,
Hoje vou te fazer maldades.
Se eu sobreviver
Quanto amanhecer ainda podemos
Aproveitar minha ereção matinal.
Dizem que o melhor remédio é o sexo tântrico,
Mas isso é para casais apaixonados,
Somos caçadores da noite.
É muita demanda para pouca ereção...


abílio Santana J.Nunez O IMPARCIALISMO

Abílio Santana é o poeta que representa a degeneração do homem atual, é o homem entregue ao sexo casual e a liberdade sexual permitida pela mulher. Este poeta é consequência da emancipação da mulher de suas conquistas de poder. Representa ainda o homem entregue aos seus instintos sexuais, é na verdade o homem desmotivado pela facilidade de conseguir sexo sem precisar de provar seus valor,sua honra e seu merecimento.



Esse poema representa a sexualidade com seus medos e sua fraquesas. O homem devido a liberdade sexual da mulher e a demanda de sexo que é demais... o homem vem se tornando e se sentindo cada vez mais impotente, o homem está exigindo de si mesmo uma potencia sobre humana e isso causa nele todo tipo de medos e traumas, nesse ponto o homem vem se tornando o sexo frágil. A verdade é que nós homem temos que saber dos nossas limites, aceitar as nossas deficiencia e buscar melhor sexualmente desntro de um relação com sentimentos, estável e segura. OS machos vão dizer que não sou homem, realmente, essa minha conversa não é para machões iludidos com sua própria sexualidade e sim para aqueles que são inteligentes o suficiente para saber que estamos nós matando com essa demanda de sexo muito maior que nossa potencia. estamos parecendo o rei que possui 50 mulheres enquando sua potencia mal dá para satisfazer uma mulher.Ainda nem falei do sexo virtual e turismo sexual.

A função da palavra na literatura imparcialista

A poesia imparcialista as vezes é uma mãe carinhosa que acalenta nossos sonhos mais doces outras vezes é um pai bêbado e violento que nos acorda na porrada...Assim também é a vida e a realidade...


A Poesia Imparcialista busca a função da palavra, a função da literatura, nesse ponto se difere totalmente do Parnasianismo que buscava a arte pela arte e do Modernismo que não considera poesia o texto que não valoriza a estética e a poética nas palavras, portanto não considera obra de arte a mensagem e a literatura de auto-ajuda etc. O Imparcialismo não afirma que esses textos sejam obra de arte, mas que a literatura Imparcialismo busca primeiramente a função da palavra.
O Imparcialismo busca a arte e literatura com função e utilidade, e não a arte pela arte e a estética pela estética. Essa função da pallavra na literatura imparcialista está em função do homem e da sua expressão e leitura dentro da sociedade comtemporânea.
O poema escrito abaixo é um exemplo dessa função da palavra na literatura imparcialista


Com Você eu Aprendi...

Com você descobri muito mais de mim mesmo,
Com você eu aprendi não só a sorrir,
Mas também a chorar e sofrer por amor.
Com você aprendi que o sacrifício e a lágrima
Fortalecem a alma e madurecem o espírito.
Foi te conhecendo que descobri
O quanto você é melhor do que eu,
O quanto sou exigente com os outros
E o quanto eu cobro de mim mesmo.
Com você aprendi a esquecer o mal
Que outras pessoas me causaram
E a lembrar o bem que elas se dispuserem a fazer por mim.
Com você aprendi a dar um sorriso a quem precisa
E uma palavra de apoio e gratidão nos momentos difíceis.
Com você eu aprendi a pedir a Deus
Coragem nós momento que tive medo,
E agradecer a ele o fruto do meu trabalho.
Com você eu aprendi que os amigos torcem pelo nosso sucesso
E que aquele que chamamos de inimigo,
Cabe ele o papel de nos fazer melhores.
Com você eu aprendi a respeitar as opiniões contrarias,
Porque as nossas verdades são etapas do caminho.
Com você eu aprendi que o tempo, que nem se quer existe,
Escorre e apaga todas as nossas diferenças.
Com você aprendi que o que tenho chamado de minha cruz
E na verdade a vida sendo vivida com todo o seu realismo
Capaz de fazer nos melhores feito pedras polidas.
Com você eu aprendi que o reconhecer meus erros
É o caminho mais curto para a perfeição.
Com você eu aprendi que o Amor
É a única religião na qual todos nos pertencemos
E que morte que chega inevitavelmente,
É de fato a única idéia da qual ninguém discorda.
Com você eu aprendi que o perdão
É um bem que se faz a si mesmo e ao próximo.
Com você eu aprendi que o arrependimento
Vem de nossa alma que almeja a perfeição.
Com você eu aprendi que a vida são dois caminhos,
Um é o que eu mesmo faço,
O outro é aquele que a vida nos leva.
Com você aprendi que no homem e na mulher
A espaço mais que suficiente
Para o adulto e a para a criança em nós.
Com você eu aprendi a confessar meus erros,
A dizer que tenho medo, e alcançar uma mão estendida.
Com você eu aprendi uma canção alegre,
Uma lição de vida, o peso das palavras
E uma historia para contar.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Misticismo e ocultismo na literatura

Três dimensões

Existir é ter imagem
Ou causar sensações feito o vento.
Me vejo
Sem que minha imagem
Cai sobre as águas,
Sem que meu rosto mergulhe
Abstrato no espelho,
Sem que seus olhos brilhem,
Sem que me deixe refletido,
Nas vitrines desta grande cidade.
Me vejo
Sem que tenha forma,
Caminho sem passos,
Sem rastro, sem chão...
Vôo sem asas,
Cavalgo no ar.
Salto sem pulos
Caio sem chão.
Me vejo em três dimensões,
De dentro para fora,
De fora para dentro.
Me ouço sem voz,
Me calo, me escuto.
Me escondo sobre minha sombra,
Me Revelo sobre minha luz.
Ouço minha voz e assombro...

Jonas Correa Martins
J.Nunez O IMPARCIALISMO


Jonas Corrêa Martins é o poeta do misticismo, do ocultismo, da experiência consciente em metafisica e da vivencia da espiritualidade. É o poeta deste tempo de liberdade religiosa e de cultura globalizada, tempo de multiculturalismo em que as religiões se fundem no conhecimento esotérico. É poeta sem corpo físico e suas vivencias são metafisicas. Poeta da subjetividade objetiva e do realismo abstrato consciente, sua poesia em nem um momento é fluxo inconsciente de pensamentos e por mais abstrato que possa parecer, neste poeta existe a vivencia desta realidade metafisica. Não se deve confundir sua experiências fora do corpo físico com meras construções e malabarismos semânticas, é ainda mais grave confundi-lo com subjetivismo inconsciente.

Três dimensões

Existir é ter imagem
Ou causar sensações feito o vento.
Me vejo
Sem que minha imagem
Cai sobre as águas,
Sem que meu rosto mergulhe
Abstrato no espelho,
Sem que seus olhos brilhem,
Sem que me deixe refletido,
Nas vitrines desta grande cidade.
Me vejo
Sem que tenha forma,
Caminho sem passos,
Sem rastro, sem chão...
Vôo sem asas,
Cavalgo no ar.
Salto sem pulos
Caio sem chão.
Me vejo em três dimensões,
De dentro para fora,
De fora para dentro.
Me ouço sem voz,
Me calo, me escuto.
Me escondo sobre minha sombra,
Me Revelo sobre minha luz.
Ouço minha voz e assombro...

Jonas Correa Martins

J.Nunez  IMPARCIALISMO

Jonas Corrêa Martins é o poeta do misticismo, do ocultismo, da experiência consciente em metafisica e da vivencia da espiritualidade. É o poeta deste tempo de liberdade religiosa e de cultura globalizada, tempo de multiculturalismo em que as religiões se fundem no conhecimento esotérico. É poeta sem corpo físico e suas vivencias são metafisicas. Poeta da subjetividade objetiva e do realismo abstrato consciente, sua poesia em nem um momento é fluxo inconsciente de pensamentos e por mais abstrato que possa parecer, neste poeta existe a vivencia desta realidade metafisica. Não se deve confundir sua experiências fora do corpo físico com meras construções e malabarismos semânticas, é ainda mais grave confundi-lo com subjetivismo inconsciente.

O Perdão é Sol de um Novo Dia ...

Todos dias a vida nos faz um convite a um recomeço,
Pode o Sol despontar com todo seu esplendor,
Pode a chuva fina bater na vidraça,
A neblina esconder a estrada,
O vento frio calar as ruas
E as manchetes no jornal não falar de coisas positivas
Que o convite será o mesmo, Recomeçar.
Se para continuar o seu caminho
For preciso perdoar e esquecer um desagravo,
Estão perdoe e esqueça,
Porque esse é o maior bem que você faz a si mesmo.
Se você ainda não sorriu hoje,
Se ainda não disse uma palavra que conforta e motiva,
Se você ainda não estendeu a sua mão,
Se ainda não reconheceu, não elogiou um amigo,
Se ainda não compreendeu alguém que pensa diferente de você
Nunca é tarde para se fazer esse bem.
A doação de si mesmo é o que faz o mundo melhor,
O bem que você faz ao próximo é um bem que você faz a si mesmo.
Para saber todos os dias que você é um vencedor,
Reavalie o seu caminho até aqui, leve em conta,
O sofrimento e a dor de tantas outras pessoas pelo mundo,
Reveja as suas armaduras e as suas qualidades de guerreiro
E lembre acima de tudo, que nada
E nem um dia sob esse Sol foi perdido,
Nem mesmo seus erros,
Que são seus acertos e aprendizados de amanhã.
Se você ouviu dizer que só Deus perdoa,
Então seja a semelhança de seu criador, e perdoe.
O perdão é o Sol de um novo dia,
Ele é o maior bem que você faz a si mesmo,
Porque um coração livre de rancor
Está pronto para amanhecer um novo dia,
E muitas vezes o seu próximo passo rumo ao seu objetivo
Pede que perdoe e esqueça os dissabores.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Poesia em estado bruto

Aos amigos e poetas do recanto das letras

Poesia em estado bruto

Ainda que eu não soubesse escrever,
Ainda que eu não soubesse ler,
Ainda assim eu seria poeta,
Porque a poesia em seu estado primitivo
Não é feita de palavras.
A poesia em seu estado primitivo
É feita de silêncio e voz do coração,
A poesia em seu estado primitivo
É feita de cinco sentidos e mais a alma.
A poesia está impregnada
Na índole do ser humano,
A poesia é um olhar sobre a vida,
A poesia é como você olha a vida,
Isso que é poesia em estado bruto,
Natural e primitivo.

J.Nunez
http://literaturaimparcialista.blogspot.com

Blogs

Postagens mais visitadas

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS