Buscar

CINCO SENTIDOS

São as minhas sensações, pensamentos e sentimentos que põem sentidos nas coisas mortas, sem lhes dar vida.
Vivo neste mundo, substantivo abstrato, não marco as horas, a vida as marca por si, em meu rosto.
Achei e perdi o caminho por milhões de vezes, sempre retornei ou me arrependi, nunca tive companheiros porque nunca tive caminhos, de certo modo meus companheiros são os perdidos de caminho nenhum.
Por alguns dias sou moral e digno, mas a moral e a dignidade fazem sobrar muito tempo, e não tenho virtudes o suficiente para prenche-lo, em tão os preenchi de pecados e às vezes de silêncio, a custo de muito esforço e solidão.
Tive medo do sentido nenhum que tem as coisas, e da realidade de tudo que dizem ser fantasias, as tenho tão real quanto o meu corpo, ou algo que si vê. A margem do que é real e o que é fantasia, é apenas imaginaria, e se rompe quando o espectro de mim a transpassa.
23-10-03
Quando erramos meninos, erramos felizes, mesmo de barriga vazia, esquecíamos de comer, extasiados com uma brincadeira nova.Às vezes este velho menino vem ser eu, e sou feliz, ao ver passarinhos buscarem em meu quintal ramos para seus ninhos; logo ali na caminheira da casa, e farelos de pão que jogo propositadamente após o café da manhã, para que levem a seus filhotes, sou feliz quando abelhas, borboletas e joaninhas vêm viver ou passear em meu jardim, sou feliz quando a primavera vem colorir o chão com flores, rochas e amarelas caídas na calçadas, sou feliz olhando a chuva fina, e os seu caminho por toda a estrada, moldados por folhas secas, sou feliz preso em casa por causa do mau tempo; fazemos coisas que não se faz em dias de sol, sou feliz quando brincamos e temos a infância que não tivemos juntos, sou feliz quando nos amamos com uma fome insaciável de nós, sou feliz quando sou igual a uma criança, sem teoria do que é felicidade, apenas sou feliz...,Com as virtudes da alma, e isso é para mim mais metafísica que qualquer teoria, sou feliz igual a um menino de barriga cheia.

28-10-03

MANIPULAÇÃO GENÉTICA

O jardineiro artificial

Ano dois mil e trinta e três,
Até então os cientistas tinham a ilusão de manipular a genética,
Até que deu na manchete de todos os jornais:
Cientista chega em casa e pega sua esposa trançando com o jardineiro artificial,
Quando eu digo artificial estou dizendo no sentido conotativo da palavra,
O jardineiro é uma criação do avanço cientifico e tecnológico,
O jardineiro é resultado da manipulação genética.
Como todo marido traído e como todo bom e velho homem primitivo
Que é muito humano em todas suas emoções, sensações, pensamentos
Com toda Irritação à luz artificial, a poluição sonora e outras centenas de poluição,
Com todo o seu subconsciente, com todo o seu desejo de ser amigo,
Amante viril, e com toda suspeita de marido e pai de família
e com todo o seu apego a vida e a matéria,
Esse bom e velho homem primitivo matou a facadas
(Em 2033 ainda existe faca) sua esposa e o amante.
Criação infeliz... Desse cientista, que com tudo é primitivo e não suportou
A traição de sua mulher artificial, aqui o artificial tem sentido denotativo ok.
Uma observação: O cientista errou na mão...
Deu ao jardineiro artificial um membro viril muito maior e mais grosso que o seu,
E isso custou seu casamento, você sabe como é, marido ausente,
Jardineiro lindo e gostoso ali, justou a fome e a vontade de comer.
(Em 2033 comer é isso mesmo o que você está pensando.)
O cientista em questão descobriu de maneira trágica
Que ele não domina si quer suas emoções, quem dirá a natureza,
Deixemos a natureza para o grande arquiteto do universo e da vida, Deus...
Sejamos humildes como os índios,
Que se integra ao universo e com a vida,
Comem o que a mãe natureza dá,
Banham nas águas das cachoeiras,
Se tornam UM com a vida e o universo
Quando dança e cantam seus mantras tirados da natureza...
Eles respeitam a vida e a natureza
Porque sentem a presença de Deus em tudo,
E o que são seus deuses se os elementais da natureza,
Se não o Deus invisível em tudo que foi por criado próprias sua mãos.
“Para que inventar tanto tanta moda,’’
Como dizia meu bom e velho avô.
Somos e seremos sempre primitivos em todas as nossas emoções, sensações,
Limitações, necessidades, nossa biologia...
Aceitemos a vida e a morte naturalmente, acreditemos na alma no carma
E na evolução da alma, e sejamos simplesmente felizes...
Como um bom o primitivo... Que é o que somos.
O poeta IMPARCIALISTA Josias Maciel disse:
Quer algo novo: faça sexo tântrico com sua esposa
E se torne UM com a natureza e o universo...e Deus está lá...

Salomão Alcantra
J.Nunez
Movimento Literário Imparcialismo

O ELIXIR DA VIDA ETERNA

Ventre

Ventos de dias amargurados
Deixou-me entre a desordem desta casa,
Esquecido na confusão de sermos nós...
Ventos Sopram do chão de nossa história
Sentimentos que nunca se vão.
Seu amor adormeceu
Em outras estações sem flores
E acordará numa primavera
Que farei em seu peito.
Neste deserto que é a minha alma na multidão,
Esperei por dias, uma outra primavera
Em teu seio, para que seu coração desabroche,
E eu possa habitar a sua alma repleta de flores.
O meu amor adormeceu na rotina,
E nos seus medos de sermos mais...
O seu amor adormeceu na loucura
Que carrego na alma, e na rotina que mata o amor,
E põem este deserto na alma.
Porém Deus me deu o dom
de fazer primavera em dias amargurados,
Porei revoadas de pássaros em nosso céu,
Farol na praia e campos de flores silvestres
Brotaram no chão de nossa história.
Sempre te quis, sobre o altar da nobreza humana,
Dentro do meus sonhos loucos.
Sempre quis estar envolto em sua asas,
Que pode me levar para além de todos os astros.
Sempre quis nas noites de solidão a dois,
Envolver-te em minha asas e voar
Para onde meu coração olha, incansavelmente...,
E pousar no cume mais alto de ser humano.
Sempre te quis entre os arcanos sobre nosso leito
E sobre o altar levantado em seu nome,
Deusa temerosa de minhas loucuras.
Bebi do nectar de seu ventre,
Com toda a veneração que é possivel a um ser humano,
Enlacei-me nas asas do teu ser,
Habitei a sua alma, escutei a voz de minha intuição
E selei com você um pacto
De amor e eternidade.
Agora espero o seu olhar para a grandeza da alma.
Um homem quando bebe o elixir de seu ventre
E ama com pureza e veneração; deixa de ser apenas Homem, deixa de ter apenas braços e ganha asas e Solidez na eternidade em espírito.

J.Nunez

Sexo sem compromisso

Sexo sem compromisso...

Atos Secretos
Nevoeiro encobre a cidade,
Ela voltou mais cedo
E me pegou em “atos secretos”
Embaixo do edredom.
Tentei explicar: ela disse que não precisava,
Mas a vergonha ainda persiste
E continuo tentando explicar:
“Não fiz nem menos nem mais
Do que você faz em pensamento
Quando esta em público.”
Talvez eu seja só mais um sujo querendo
Justificar nivelando você comigo.
O nevoeiro foi ontem; hoje o Sol
Deixa entrar pela janela sua claridade raliada de verão,
Deixa essa vontade do seu beijo úmido e quente.
Tudo é noticia; estatística de sexo casual também é noticia,
Violência não é mais noticia é matéria prima para o cinema,
É produto de consumo para a tv,
Mas o que me importa mesmo
É trazer de volta seu beijo quente e úmido
E nosso sexo casual que rolava
Antes de eu ser pego em “atos secretos”.
Ela voltou, entendeu que foi solidão e até me perdoou,
Mas para me dizer isso,
Ela veio com um homem elegantíssimo e bem sucedido
Certamente ela espera que eu tenha um pouco de nobreza
E corte os pulsos quando saindo ela bater a porta.
Talvez ela pensa que sou uma gueixa suicida
Ou um político asiático, ela realmente não me conhece!...

Abílio Santana
J. Nunez
Sou degenerado e frouxo na moral quando sou Abílio Santana.

26/08/06

Sexo e sociedade

A Sociedade do prazer

A nobreza de todas as formas de amar vem da personificação do desejo,
não podemos viver todas as sensações, sentimentos e pensamentos
Que habitam nossos cinco sentidos. Para não nos perdermos em um labirinto de desejos
insaciáveis e mantermos a lucidez, colocamos nossas sensações, pensamentos e
sentimentos obedientes as leis biológicas, condutas morais, comportamentos sociais,leis religiosas e espirituais. Essa lucidez e essas rédeas que colocamos nas sensaçõesnos pensamentos e nos sentimento é que nos permitiu manter um equilíbrio básico na sociedade.
Caminhamos para concretizar a sociedade do prazer, essa sociedade que
busca o eliminar o preconceito, e junto com ele eliminar os parâmetros e os limites entrecerto e errado, os direito a ter opiniões, e assim fazemos o caminho inverso:
Caminhamos para a despreconceitualização que é a ditadura do preconceito que elimina o direito a opinião.
Essa sociedade do prazer que solta às rédeas do desejo é a sociedade que caminha para o caos social e humano, estamos formando uma nova Sodoma e Gomorra. O caminho que nos salva e sempre nos salvou foi o da hipocrisia que conserva nossas sujeiras humanas em um lugar reservado a elas; se deixamos aflorar dotas as nossas sujeiras internas e eliminar as rédeas e a hipocrisia estaremos levando a humanidade inteira para as baixezas humanas, e nos igualaremos por baixo, já colocamos o puteiro dentro de nossas lares, quando permitimos garotas de fio dental rebolando em nossa sala de estar onde aos domingos estão nossos pais, nossos avôs, nossa esposa e nossos filhos
que devem ser educados para que se tornem homens capazes de guiar a si mesmo e a sociedade, capazes de formar família e respeitá-la, capazes de guiar e servir a
sociedade.
O sexo sem rédeas entorpece a sociedade, a necessidade de equilíbrio e a capacidade de se guiar sem se perder dentro dos labirintos do desejo faz com que personificamos o amor e o desejo em um único corpo, essa fato mostra que subconcientemente sabemos
que o desejo sem rédeas e a sociedade do prazer está nos levando ao caos social e humano. Somos uma sociedade viciada em sexo.
Temos lugares para nossos lixos, nossos esgotos e nossos expurgos; estão porque não conservamos a hipocrisia que é o nosso lixo interior, onde colocamos todas as nossas sujeiras que desobedecem as leis que equilibram a sociedade, o humano e a alma.

Murilo Santiago
J.Nunez

O IMPARCIALISMO

TERAPIA DO RISO

Exaculação da Alma...

Aprumo meu espirito alinho a minha conduta,
igual ao execultivo que arruma a gravata e alinha o paletó enquando atravessa a rua e entra no prédio de escritórios em frente ao Roma café bar.
De ontem para hoje o dia amanheceu configurado da mesma maneira; eu é que amanheci sobrando pontas para todos os lados, eu é que amanheci configurado de outra maneira. Ainda não acordei por inteiro por isso não sei o que em mim sobra neste instante, porem suspeito que seja o antigo descontentamento de ser eu. Sou crítico ou sou gato velho rabugento, e meu senso crítico nada mais é, que ódio do mundo e uma forma de ser furioso; minhas palavras é valvula de escape.
Não sou de cobiça ou inveja mas gostaria de ter esta sua gargalhada gostosa...debochada e geminiana como se fosse uma exaculação da alma.
Um suspiro, uma válvula que não te deixa assim: a
ponto de uma erupção de fúria.

(trecho do poema para gente suja)

J.Nunez
DIVULGAÇÃO BLOGS
faça uma visita

Links:
http://literaturaimparcialista.blogspot.com/

http://matizesdoamor.blogspot.com/

http://locucoesinteriores.blogspot.com/

http://blogs.abril.com.br/imparcialismo

faça uma visita

J.Nunez

Para Giulia Gam

Para Giulia Gam
Helo

Sou mais está sombra,
Que segue seu passos por toda a noite
Que estes olhos cansados de tanto chorar.
Sou mais estes olhos
Num canto de seu quarto,
Vigiando seu sono,
Espiando seu corpo,
Desconfiando dos seus sonhos,
Desconfiando dos seus suspiros provocantes.
Sou mais as pegadas de meus passos,
Rondando sua casa, seguindo seus passos,
Investigando seus segredos.
Sou mais os pensamentos em você
E as lembraças que tenho de você,
Do que este meu corpo embriagado,
Esquecido em qualquer canto.
Sou mais trama de amor e ódio
Que fizeram dos seus segredos
Minhas cartas na manga.
A chantagem se tornou meu único recurso,
Porque não sabia mais,
Por onde eu poderia te prender.
Sou mais este remoer de pensamentos
Contra seu desprezo por mim,
Do que está minha vida no lixo.
Sou mais a saudade de um sorriso seu
Guardado com muito zelo...
Em um cofre de raras lembranças.
Temento te esquecer por um minuto que seja,
Tenho evitado qualquer pensamento,
Que não seja em você,
Porque está é a minha única
Maneira de te sentir perto de mim,
Mesmo que seja em recordações,
Com se esta minha doente maneira de ter você,
Fosse minha única razão de viver.
Tenho me agarrado aos pensamentos em você,
Como alguém à beira da morte,
Como um desanganado agarra o fio de vida
Que lhe resta, e quer escapar...
Sou mais meu último suspiro de vida
E esta doença de te amar de mais,
Do que este corpo sem dignidade,
Largado na cama e estes olhos
Cansados de tanto chorar.

( Entre outros esse poema foi escrito em 2003 inspirado na interpretação magnifica da atriz Giulian Gam na novela Mulheres Apaixonadas.)

Darci Costa
J.Nunez
http://literaturaimparcialista.blogspot.com

Separação

Separação
O comprador de ouro avaliou à aliança
Com seu nome gravado,
Pesou, depois disse o quanto vale...
Quanto vale um sonho desfeito...
Quanto vale um sentimento...
Quanto vale um coração em pedaços...
Quando vale a nossa historia...
Quando vale uma família desfeita...
Quanto vale filhos abandonados...
Quanto pesa nossas mentiras...
Quanto pesa nossas verdades...
Quando pesa a felicidade...
Tudo isso vale e pesa
Apenas três gramas e meia.
Quando vale tudo que você fez por mim...
Quanto vale tudo que você fez por nós...
Quando vale o seu perdão...

FRANCISCO MEDEIROS
J.Nunez
BUSCAR: J.NUNEZ POETA

DNA: O SEGREDO DE DEUS

Se Deus existe, a ciência descobriu o seu segredo.
Deus nós castigava com suas doença,
A igreja católica nos enchia de medos
E nossos ancestrais nos condenavam
com as doenças hereditárias.
Descobrimos o segredo de Deus
E agora declaramos guerra
contra este ser invisível.
Gregor Mendel era católico e monge,
Mas foi ele que começou
A revelar os segredos de Deus.
Agora podemos manipular os genes,
Podemos configurar um filho no computador,
Podemos ter informação sobre ele antes que nasça,
Podemos ainda ser deus e decidir se o queremos ou não,
Podemos colocar nele dons ao nosso gosto,
Podemos eliminar nele as doenças de meus pais.
Não sejamos caprichosos, não precisamos de sexo,
Podemos fazer filhos igual às celebridades do cinema.
Se Deus existiu, ele colocava em nós as dores
E os sofrimentos,
Ele fazia a lei do karma, ele nos ligava geneticamente...
Podemos livrar nossos filhos do preconceito genético,
Podemos livrá-lo de Deus,
Podemos dar lucros para o governo...
É melhor pensar que Deus não existe,
Porque se ele existe, e descobre o que estamos fazendo,
Certamente ele nós destruirá, porque nos verá como um perigo
Para a existência de tudo que ele criou.
Se Deus existe e Buda estava certo com sua filosofia espiritual,
Se Deus existe e os esotéricos estavam certos,
Então estamos perdidos, Deus nós eliminará de sua criação,
Como vez em Sodoma e Gomora.
Deus nos esmagará com os pés
Porque não sabemos aceitar
Nossas dores e os castigos que merecemos.
Deus me livre se Deus existe...

Salomão Alcantra

J.Nunez
A Literatura Imparcialista é fruto da cultura globalizada e do multiculturalismo, portanto, nesses poetas que escrevem dentro desse movimento nao há qualquer engajamento, exeto a busca da leitura do homem e da sociedade de seu tempo.

Email:: j.nunez@bol.com.br

Matices

Matices tienes el color,
Matices tienes el dolor,
Matices tienes el amor

En las hoja un ton
Del verde
Nos ojos un ton
De la verdad
Do que de hecho se sentí

Ni todo resiste
Por causa da intensidad
De el color

No digo el mismo del amor
No digo o mismo del dolor
Lo colores de las ropas
En el tendal
La tonalidad del azul
Nunca es igual.

A intensidad del amor
De cada pareja
Es matiz del amor
Que nunca es igual.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Os Guerreiros Choram Sangue

Seque o seu pranto,
Cale seus lamentos.
Abra bem os olhos
E olhe ao seu redor,
Agora pise a vida
Feito um boi pesado
Que pisa flores pelo caminho.
Pise na paisagem
Como se fosse o chão da estrada
Não avalie o peso da cruz
Abrace-a e carregue
Sem prantos e sem lamentos de voz
Não deixe sua lágrima cair,
Se acaso cair, que seja de sangue
Que seu único sentimento
Seja à vontade
Que seu único propósito
Seja salvar sua alma
Não segue sua lágrimas
Segue as lágrimas de seu irmão
Seque o seu pranto
Os guerreiros choram sangue.


Saturnino Queirós
J.Nunez


Saturnino Queirós poeta do que é fundamental, poeta das horas extremas, da força e da persistência, poeta do essencial, do extremamente necessário e da luta. Sua linguagem sintetizada expressa a sua concentração no essencial, seu foco no que é primordial.
Ele é o reflexo da nova ordem mundial, de um tempo de escassez de recursos, de um tempo em que há uma luta individual e coletiva por um mundo melhor e uma necessidade de realização é extremamente básicos e essencial para nossas vidas.
O IMPARCIALISMO

Ainda posso ler em seu olhar

Agora é tarde para pensar Se foi de mais ou não,
Me deixar ao sopro dos acontecimentos.
O tempo passou tão devagar,
E a porta esteve sempre aberta
E meu coração ao seu dispor,
Mas você não quis voltar.
Agora é tarde para se arrepender,
Não me faça mais promessas,
O frio adormece minha mão,
E a noite esta chegando em meu olhar.
Apesar de tudo, ainda tenho forças
Para dizer, que nunca deixei de te amar.
Sofri, chorei, fui tão infeliz,
Cada segundo sem você.
Não se esforce tanto para dizer,
Ainda posso ler no seu olhar,
Aquelas palavras que a distância calou.
Agora me deixa fechar os olhos,
Não seque esta lágrima,
Não acalente esta dor,
Sempre chega hora de partir,
Mas nunca é tarde, deixe cair
Sua lágrima incontida.
Agora não interessa quem estava certo,
Apenas deite em meu peito,
Deixe que eu adormeça,
À noite esta chegando em meu olhar,
Então apenas sinta
O que eu não posso mais dizer...

JOSE NUNES PEREIRA
J.Nunez

O IMPARCIALISMO A LITERATURA QUE FAZ A LEITURA DO HOMEM MODERNO

José Nunes Pereira poeta das dores clássicas, em sua poesia o homem é o mesmo e padece das mesmas dores que padeceram nossos antepassados, poeta da tristeza dos amores impossiveis, poetas das partidas, das perdas e dos sentimentos que machucam. Nesse poeta somos mais humanos e sofremos de amor, esse poeta revela que em nosso interior, apesar do modernismo e do sexo casual e dos relacionamentos desassociados de sentimentos, no fundo de nossa almas somos os mesmos e padecemos de amores impossiveis. O seu sentimentalismo e seu sofrimento por amor revela que ainda temos muito de Romeu e Julieta em nós.

Contextos e interpretações possiveis para um mesmo texto.

Essa poesia (TEIMOSIAS) mostra que podemos levar um texto para dois ou mais contextos, sendo ela inspirada no cuidados que devemos ter com as crianças; essa poesia pode ser lida dentro desse contexto, mas também há outro contexto possivel para esse texto, que é o da dependência sentimental, fisíca e amorosa que podemos sentir com relação a pessoa que amamos....essa poesia está aqui publica dentro desse contexto amoroso. muitas vezes a interpretação de um texto está relacionada com a linha de pensamento que damos ao texto.

TEIMOSIAS

Você não pode despregar os olhos de mim,
Sou criança e preciso que você venha ver
Se não estou correndo perigo.
Você esqueceu de cuidar de mim,
Você não está cuidando de mim direito!
Você não sabe que eu sozinho corro perigo:
Posso por fogo na casa se você não estiver aqui,
Posso fugir com um estranho,
Posso me ferir com qualquer coisa,
Posso cair escadaria abaixo,
Posso beber veneno, posso chorar até adormecer,
Posso sentir medo, posso sentir frio,
Posso fazer birra até que você venha me ver,
Posso bater com a cabeça na parede,
Posso quebrar seus objetos,
Posso acordar no meio da noite,
Posso ser roubada de você, posso ter um sonho ruim,
Posso querer seu colo para adormecer,
Posso cair da cama, posso me perder dentro de casa,
Posso até forçar um choro.
Será que você não entende...
Que eu preciso mesmo de você.

José Nunes Pereira
J.Nunez
O IMPARCIALISMO

Deusa dos vagabundos da noite...


Calmaria

O relógio na parede marca isso que não existe,
Mas que insiste em passar pelo meu rosto,
Como o vento frio da madrugada
Entrando pela janela escancarada para a lua cheia.
Centro velho da cidade, luzes fracas na neblina,
Ruas largas calçadas de pedra.
O jornal deixado nesta manhã à porta da pensão,
Diz como anda a cidade e de um crime passional
Ocorrido na Ponte Baixa.
O que eu quero mesmo é saber
Por onde anda meus amigos do peito,
A hipocrisia e os cabarés.
Enquanto você não chega
Tomo um café preparado de manhã.
Indiferente, ligo a TV, um sujeito qualquer
Vende a salvação.
Não espero nada,
A não ser que você volte a ser Tereza!
Musa dos poetas e filósofos de bares.
Deusa dos vagabundos da noite.
Enquanto você não chega,
A melodia de um violão triste e ao longe,
Vem rasgando o meu peito.
Enquanto você não chega,
Vem lá de fora ou do quarto aqui ao lado,
O uivar de uma loba, que me põe em desespero,
Aumentei o som da TV para encobrir o escândalo.
Acendi a luz da escadaria sem corre-mão,
Para que você não tropece na calmaria da noite.

Hermínio Vasconcelos
J.Nunez



Só quero essa verdade que vejo em seu olhar.

OLHOS

Há nos olhos
O tom da verdade,
Do verde
Do azul,
Do preto,
Do castanho,
E de uma cor indefinida,
Que sempre muda
Na claridade
Exposta ao sol
E em sentimentos
De breves e diferentes tons...
Qual é a cor dos seus olhos?
Não importa!..Só quero essa verdade que eles contêm.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Diminui a pobreza no Brasil (Cronopoema)

Se mamãe soubesse o que ando escrevendo na internet ela diria:
_Meu filho o que vão pensar de você,
_Quer matar sua mãe de desgosto,
_Você está envergonhando a família...
Como eu não sou a mamãe, e não me importo o que vão pensar de mim;
Escrevo tudo que os outros não estão dispostos a escutar...
Não diria que são verdades,
Porque verdade é aqui que nos convém viver e escutar.
Hoje mesmo eu escutei uma mentira na televisão,
Não sei bem se é mentira porque a mentira é um lugar confortável
Para quem fecha os olhos para a realidade...
Talvez seja uma omissão da verdade.
Talvez nem um coisa nem outra, talvez seja eu o cego....
A notícia é que a pobreza diminui no Brasil,
E a distancia entre os mais pobres e os mais ricos diminuíram,
Talvez se olhar de um certo ângulo isso é verdade...
Se pensarmos que os mais miseráveis não tinham como descer mais
E que os pobres se tornaram mais pobres ainda
E os da classe média se aproximaram mais da pobreza...
Social, financeira e cultural, se pensarmos assim,
Realmente houve um nivelamento aqui por baixo.
O pobre compra em centenas de vezes em lojas de móveis e eletrodomésticos
E pensa que está ficando rico,
Compra celulares descartáveis, tudo é descartável...
Afinal a indústria e o capitalismo necessitam de consumo,
Vivemos de consumismos.
Pobre de mim, pobre do pobre...como somos enganáveis...
O que tem valor é o que sempre teve valor,
E isso o pobre não possui e nunca possuirá,
Se não ele não seria pobre....isso é óbvio!
O que agrega valor são terras, gados, prédios
E outras coisa que não são para pobres...
O pobre é apenas a uma multidão de engrenagem do sistema capitalista.
Há uma coisa que não faz parte da máquina capitalista,
Essa coisa é primitiva e intocável,
Essa coisa é o que somos na essência humana,
Essa coisa é que nos conserva quando todos os sistemas de governo falham,
Essa coisa é o que somos: humanos e de alma.
É essa humanidade e essa espiritualidade que nos permite
Se dar por si mesmo e tomar outros caminhos.
Por favor não me venham com estatisticas,
Estalistica é o que vivo e vejo todos os dias nas ruas...
O que eu vejo é o abandono de pessoas
Que não são mais capazes de competir
Ou que não servem para a nova ordem mundial.
como está o Haiti!...do mesmo modo, foi abandonado,
A vida segue, não é mesmo!..

Salomão Alcantra
J.Nunez

Luz que não faz sombra

http://blogs.abril.com.br/imparcialismo
Caminhante ocioso
Caminho nebuloso
Errante na penumbra
Pervertido na sombra
Viajante inconstante
Por que é inconsciente
Segue em sombra sempre
O seu caminho errante
Deseja que morra
O homem ignorante
E nasça uma criança
De beleza inocente
Signo da pureza
Garantia de luz
Luz, repleta luz
Que não faz sombra
Nada, nada oculta
Lucidez que deslumbra
Mística da pureza
Adquirida com a morte
Do mal a todo instante
Minha vida profana
Já veste luto
E quem me condena
É o inimigo oculto.

Jonas Correa Martins
J.Nunez
http://blogs.abril.com.br/imparcialismo

O Senhor do tempo e espaço

http://blogs.abril.com.br/imparcialismo
Quando sou matéria
Falo de tempo e espaço,
Porém na maior parte do dia
Sou abstrato em muitos sentidos e o ignoro...
Quem sou eu ao longo do dia!...
Sou pensamentos, sentimentos e sensações,
Por tanto, sou abstrato
E não necessito de espaço e tempo.
Nas noites que caem inevitavelmente sou alma
E esse meu estado meu espectral
É senhor de tempos e espaços...
Que despreza a velocidade,
Razão dessas unidades de medidas:
Tempo e espaço.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez
http://blogs.abril.com.br/imparcialismo

Pé de frango contém colágeno

http://matizesdoamor.blogspot.com/

Rodei a cidade inteira a procura de pé de frango,
Realmente!..., concordo!...Que coisa pobre e brega,
Mas por incrível que pareça não está fácil encontrar.
Depois que descobriram que pé de frango é rico
Em colágeno que não sei bem o que é,
Todas as Madames e moçoilas estão comendo pé de frango,
Verdade!...Fui a uma casa de carne aqui na cidade de Marília,
Uma senhora cinqüentão com cara de cinqüentão
Estava encomendando cinqüenta quilos...
Disse que era para recuperar o tempo em que ela não comeu pé de frango.
Eu também estava lá encomendando minha parte.
Eu poderia dizer que eu também preciso de colágeno,
Vocês me conhecem bem, sabem que sou o imparcialista,
Estão confesso a verdade,
Eu estava lá porque aquela antiga é já superada necessidade de menino pobre
Que comeu muito pé de frango ficou em mim como um gosto
Uma cultura, um costume de pais asiático.
Se colágeno é bom mesmo para a pele, os ossos e cartilagens
Eu sou inoxidável e imortal, porque vá comer pé de frango como eu lá na china.
Ninguém mais se importa com os símbolos e as superstições
Em torno do pé de galinha:
Símbolo da paz sem cristo, cruz de Nero, cruz invertida...,
Pé de galinha na farrofa de macumba,
“Quem come pé de galinha fica bisbilhoteiro,”
“Quem come pé de galinha nunca vai ficar rico.”
Sobre certa perspectiva eu sou bisbilhoteiro,
E por todos os ângulos eu sou pobre,
Estão concluo que pelo menos para mim as superstições estão certas.
Só não sei quanto ao colágeno.

Salomão Alcantra
J.Nunez
http://matizesdoamor.blogspot.com/

Violência contra as mulheres.

Violência contra as mulheres.
http://matizesdoamor.blogspot.com

Esses é o retrato dos homens que batem em mulheres:
Ciumentos, machistas, fracassados, dependentes,
Covardes, degenerados, desempregados, vagabundos, cafetões,
Descontrolados, atrasados, preguiçosos, invejosos, desmotivados,
Violentos, insensíveis, inseguros, desmoralizados, primitivos...

A violência contra a mulher está relacionada com o machismo histórico
Associado as questões contemporâneas que formou essa nova mulher
Pós industrialização, capitalismo e era da informação.

A modernidade também formou um novo homem
Que é esse homem que foi é desmotivado pelo sexo fácil,
Que é esse homem que não acompanhou
As mudanças e as transições de seu tempo.

Ainda há homens sonhando com virgens e dependentes
Dispostas a lavar, passar e cozinhar e ficar em casa esperando por eles...
Que coisa mais inadequada e incoerente ao nosso tempo...

Essas são as mulheres contemporâneas que apanham de homens:
Independentes, bem sucedidas, resolvidas,
Admiradas, poderosas, amadas, contemporâneas, sexualizadas,
Inteligentes, lindas, leves, profissionais, livres, informadas...
Basta observar as noticias de violências contra mulheres
Casadas ou de mulheres que possui relacionamentos
Com esses homens primitivos...

Salomão Alcantra
J.Nunez

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/

Quarto de moça virgem e proibida

Quarto de moça virgem e proibida

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br/

A noite foi bem fria...,
Mas assim que amanheceu
Um Sol empalidecido de inverno
Bateu na janela feito um namorado secreto.

A moça abriu à janela lentamente,
Como que Convidando o Sol para entrar,
O Sol foi entrando sorrateiramente
Até que encheu o quarto com sua luz tímida e pálida,
Mas logo foi aquecendo,
Ousando feito um namorado que vai experimentando
Até onde pode ir com sua mão boba...
O Sol foi entrando
Feito um namorado que entra pela janela do quarto
De uma moça virgem e proibida...
Esse deve ser o gosto da vida.

Salomão Alcantra
J.Nunez

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br/

A Serpente e o Cisne branco.

Ela também têm palpebras,
Mas não se engane,
Ele é uma cobra,
Com todo os atributos...
Ela não tem veneno
Mas não se engane
Ela é uma cobra,
Ela serpenteia para seduzir,
Se enrosca para esmagar,
E engole sem mastigar...

O Homens ainda e o mesmo, ocila entre santas e libertinas.

Outra me promete amor,
Amor de cisne branco,
Amor de vida inteira,
Somos dois, somos um
Vivendo em dois corpos.
Nos amamos assim: carnalmente
Sem saciar o amor,
fogo não apaga fogo,
E adormecemos em assim:
Um dentro do outro.

Octávio Guerra
J.Nunez

Análise do Poema

A métrica imparcialista é exposta nesses versos desse poema, nele a métrica é feita com a mesma quantidade de palavras em todos os versos, e a quantidade desses versos resulta em um número impar, sendo duas estrofes compostas por versos pares mais o verso imparcial que somado as duas estrofes torna a quantidade de versos impar . O verso impar ou imparcial abrange o ponto de vista das duas estrofes.

A Consistência vaporosa de sermos nós

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br

Serei agora o que não fui a pouco.
Não sei se serei de fato ou tudo não passa
De uma encenação vaporosa de ser,
Mas certamente é também uma maneira
Inconsistente de ser, mesmo que vaporosa.
É certo que não serei por muito tempo,
Afinal, não tenho estações e faces lunares
Sou na verdade algo como espelhos
Que refletem e isso é tudo.
Serei o que não fui ontem;
Amanhã nem Deus sabe.
Como é que posso saber do amanhã
Se a vida é acidental, se viver
É caminhar no escuro, é habitar o acaso.
Certeza, deixo para aqueles que dizem ver Deus,
Certeza, deixo para os puros e simples de coração,
Para aqueles que põe consistência vaporosa em tudo.
Eu sou gente suja, eu sou pagão
Tenho remorsos e medos e não me arrependo,
Por isso sempre sou outra vez o que fui outrora.
Eu sou gente suja, não sou o bom Cristão
Não tenho a verdade, a salvação garantida
Nem um infinito estoque de perdão.
O que eu sei,
É da inconsistência vaporosa de sermos nós.

Murilo Santiago
J.Nunez

Um novo caminho para a literatura

A poesia globalizada, o multiculturalismo e a imparcialidade nas obras literárias é um novo caminho que se abre para a literatura, os poetas que buscam a poesia que faça uma leitura do homem contemporâneo estão nesse caminho que se abriu com a Era da Informação.
O estudo do novo contexto é a base para a realização desse novo caminho para a literatura. O novo contexto para a literatura não é mais regionalista, e não se prende a uma cultura determinada, a nova poesia é globalizada, multiculturalista, imparcial, assim, apropriada para a nossa Era da informação. Os artistas contemporâneos, não importa que expressão artística utiliza, não podem esperar pelo fim do Modernismo Brasileiro ou mesmo mundial, porque esse é medido pelo avanço tecnológico, pelo progresso da sociedade industrializada e pelo capitalismo que não terá um fim, podemos observar sem esforço que o homem tomou um caminho sem volta rumo a sua autodestruição, Ela anda de mão dada com a destruição do planeta, e até se confundem.
O que os artistas podem fazer é observar essa realidade planetária, social, coletiva e individual e dessa observação do contexto criar o novo caminho para a literatura.
As tendências não são necessariamente mecânica; as tendências podem surgir da observação do contexto.
j.nunez

Poema para minha filha

Você Sorriu ...
Movimento Literário Imparcialismo

Você sorriu, e tudo Valeu a pena,
E meu mundo de resumiu em contemplação...
Você sorriu, quando bastava existir
Para que o mundo se tornasse melhor,
Para que a vida ganhasse outras cores,
E o futuro ficasse certo
Como uma manhã de sol.
Você sorriu, então as palavras ficaram poucas,
Então a vida ficou bela e simples
Como uma pétala de flor que basta existir.
Você sorriu e descobri o que há de mais puro e nobre
No coração humano e que há virtudes
Nos sonhos dos homens.

J.Nunez
poema para minha fllha Allana

Geminiano Apaixonado...

Vênus em Gêmeos

Eu sou na verdade um taurino
Vestido com pele de um geminiano,
Tenho na alma aquele amor intelectual pelas mulheres,
Tenho aquele humor refinado dos geminianos,
Só não tenho aquela inocência e aquela doçura de criança...
Que pena!...
Sou taurino duas vezes na alma
E geminiano muitas vezes na pele...
Meus Deus!...Sou taurino, mas como gosto de ser geminiano.
As vezes tenho o sorriso gosto e geminiano
Que logo é repreendido por minha dureza taurina
Que me condena a não sorrir ou falar irresponsavelmente...
Tenho no amor a leveza dos amores descompromissados,
Que contrapõe a minha consciência e realismo taurino,
Que não me deixa esquecer a vida.
Sou taurino por duas vezes furiosamente....
Sou geminiano apaixonante...
Tenho e sinto esse amor geminiano na alma e no coração,
Mas tenho na pele e do sentido
Esse Escorpião que engole tudo que sou...

J.Nunez

Não perca as boas oportunidades....

Nunca perca uma oportunidade na vida,
Especialmente aquelas oportunidades de ajudar o próximo,
Aquelas oportunidade de pedir perdão,
Aquelas oportunidades de dar um elogio,
Aquelas oportunidades de reconciliar com seu irmão,
Aquelas oportunidade de dizer te amo,
Aquelas oportunidade de estender sua mão,
Aquelas oportunidade de viver um amor,
Aquelas oportunidade de fazer amigos,
Aquelas oportunidades de conhecer o outro,
Aquelas oportunidades de ser ajudado,
Aquelas oportunidades de cuidar de alguém,
Aquelas oportunidades de curtir seu filho,
Aquelas oportunidades de escutar os mais velhos,
Aquelas oportunidades de ensinar os mais novos,
Aquela oportunidade de amar outra vez,
Aquela oportunidade de se apaixonar,
Aquelas oportunidades de recomeço e reconciliação.
Aquelas oportunidades de mostrar o que você tem de melhor,
Aquelas oportunidades de mudar o que não lhe agrada,
Como você vê, a vida é cheia de boas oportunidades,
E as boas oportunidades é Deus estendendo sua mão,
Estão aproveite e faça da vida uma canção sem fim....
Nunca perca a oportunidade de ajudar o próximo,
Porque essas oportunidades são a chance que Deus lhe dá
Para que pague sua dividas com ele.

Francisco Medeiros
J.Nunez

A Exclusão social nasce em nosso olhar.

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br

Se você não está pronto não precisa ler esse texto, se você não é capaz de se encarar a frio e de maneira cruel e imparcial consigo mesmo não si de o trabalho de ler a Literatura Imparcialista.
A inclusão social é um ato de caridade, amor, consciência, sacrifício, humanidade, bondade, nobreza, compreensão, espiritualidade e responsabilidade por parte daqueles que acreditam possuir o poder de incluir ou excluir os indivíduos na sociedade.
A exclusão social antes de ser uma atitude social ela está no interior de cada ser humano, e se manifesta sutilmente em nosso olhar. Quando falo em individuo incluído estou dizendo de individuo que poderiam ser vitimas de exclusão, seja por sua condição social, física, mental ou sexual. Observe o seu olhar sobre os excluídos da sociedade, observe a sua atitude interior, aquela atitude que se manifesta em segredo consigo mesmo, aquela atitude que não é exteriorizada, para que não sejamos vistos como pessoas de má conduta social espiritual e humana.
A inclusão social possui em si mesma a sutileza da hipocrisia quando observamos que essa inclusão social nasce em nosso olhar sutilmente cruel, preconceituoso e seletivo.
Por mais nobre que possa parecer essa atitude de inclusão social, ela esconde o nosso olhar seletivo, cruel e hipócrita. Muito do que defendemos com unhas e dentes através de teorias não somos capazes de praticar quando somos colocados à prova. Podemos defender a liberdade sexual e a livre expressão de sentimentos humanos, mas será que podemos suportar essa liberdade sexual e essa livre expressão de sentimentos dentro de nossa casa, entre os nossos filhos e filhas. Defendemos as mais variadas depravações humanas desde que não seja conosco e entre os nossos, desde que seja bem longe da porta de nossas casas. Se não podemos aceitar a liberdade sexual e a livre expressão de sentimentos entre os nossos e à porta de nossas casas estamos sendo hipócritas... A exclusão nasce no olhar, as nossas atitudes inclusivas esconde nossos mais profundos preconceitos, observe que nossa atitude diante do excluído é de exclusão, a nossa atitude de ilusão de poder de incluir ou excluir esconde o mais profundo sentimento de superioridade. Não somos capazes de olhar os que podem ser indivíduos incluídos ou excluídos por nós como sujeitos iguais a nós, não somos capazes de conversar e olhar para esses indivíduos como pessoas dignos de respeito por si só e por sua própria condição humana.
É normal vermos nas empresas pessoas com necessidades especiais, essas pessoas estão incluída na sociedade de um modo mais completo e complexo, temos por eles simpatia e damos a eles nossa atenção, mas como é nosso olhar interior para essas pessoas. O nosso olhar interior para essas pessoas é um olhar de exclusão, sim de exclusão! Se você acaso não concorda me responda:_Essas pessoas a qual consideramos incluídas na sociedade é olhada por você socialmente como um individuo igual a você, você é capaz de conversar com esse individuo incluído no seu meio social de igual para igual, sem aquela simpatia e atenção que temos para com as pessoas que consideramos mais fracas que nós e que não apresentam ameaças de rivalidade e disputas conosco, essa simpatia se justifica com esse olhar de falsa superioridade, você tem uma profundo respeito e admiração por essa pessoa ou essa pessoa é alvo de suas brincadeiras que oculta o mais profundo sentimento de superioridade mascarada por nossa falsa simpatia, você já observou que você sempre fica do lado das pessoas iguais a você ou superiores a você quando esse individuo incluído no seu meio social é vitima de brincadeiras simpáticas, e que geralmente revela o nosso olhar de falsa superioridade porque essas brincadeiras são quase sempre inocentes ou idiotas. Porque você não se une ao individuo incluído na sociedade para fazer brincadeiras simpáticas com o seus superiores ou com aqueles que você considera em igual condição a você, porque você não senta com esse individuo e conversa com ele como se ele fosse seu superior ou igual a você, isso não acontece porque você olhar para esse individuo com seu olhar seletivo e interior. Certamente você não olha para o individuo incluído em seu meio social de igual para igual, você não faz isso, não faz porque olhamos para essas pessoas incluídas na sociedade com indivíduos inferiores a nós.
Será que estamos incluindo individuo ou estamos criando uma sociedade de individuo incluído na sociedade e continuamos olhando para esses indivíduos com se eles fosses apenas pessoas dignos de nossa piedade e simpatia.
Esses indivíduos incluídos na sociedade não necessitam de nossas brincadeirinhas simpáticas, eles por suas próprias capacidades e condição humanas são dignos de respeito, igualdade e consideração. Eu, J.Nunez em minha adolescência e por um cinco anos fui epilético, e essa minha condição me ensinou muito sobre a vida e nosso olhar sobre nós mesmos, sobre os outros e sobre a sociedade.

J.Nunez

sexo pago

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br/

Uma noite regada a vinho centenário,
E desinteresse humano e sentimental.
Ela se vestiu desalinhada, abriu a carteira
Pagou pela noite de amor...
Fiz me de indiginado e ofendido:
Usei aquela frase feita pelas meninas que fingem desinteresse,
_ Você está pensando que sou desses!
Ela foi gentil e sensivel, respondeu:
Eu sei que não! É só um agradinho!
Como somos falsos e contemporâneos.
Contudo resta em nós aquela alma
E aquele amor de casal de cisne branco.

Abilio Santana
J.Nunez

(você deve se perguntar porque esse cara classifica esses textos de AMOR é que em nosso trmpo qualquer coisa suja é amor...)

A cegueira dos homens

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br/
Há três motivos para um homem ficar cego,
O primeiro é a cobiça, o segundo é a necessidade
E o terceiro é tudo isso que chamamos de amor.

O que chamamos de amor, as vezes é amor sim,
Mesmo que dentro de nossos conceitos do que seja amor.
Outras vezes ou quase sempre, é instinto e desejo sexual
Enobrecido pelo substantivo abstrato amor.

Em síntese, o amor é uma junção de tudo isso...
Meus conceitos e maneira de sentir amor
Está mais sujeito a minha idade mental e fÍsica,
Minhas experiências amorosas,
Minha anotomia interior e abstrata e condição social
Do que ao amor em si... E o que é o amor em si...

Salomão Alcantra
J.Nunez 



 



 

O amor não é assim...

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br/

Não se contentou em tirar
Apenas do meu corpo seu prazer,
Abandonou-me por outra paixão,
E hoje, rola na cama, chama por mim.
Esse que dorme em sua cama fria
Antes que amanhece o dia, vai embora,
Sem deixar saudade, sem dizer adeus
Sem querer voltar...

Quando você fica sozinha em seu quarto
Rola na cama, chama por mim,
Querendo que logo amanheça
Para fugir da solidão...

Há! Meu bem... Você se enganou!
O amor não é geminiano assim,
O amor carrega o peso da vida.
Agora você aprendeu o que eu dizia:
_O amor pede serenidade e paz nos sentidos...

Saturnino Queiros
J.Nunez

Desejo de Perdoar

O que há entre nós dois agora...
Resta ainda meu olhar e minhas palavras
Que tentam esconder o meu desejo,
Restam alguns pensamentos incompletos,
Algumas suspeitas infundadas,
Algumas lágrimas contidas,
Algumas feridas, alguns ressentimentos,
Algumas lembranças e algumas magoam.
Conservo esse orgulho, essa fachada
Que esconde o meu desejo de perdoar,
E mais ainda de ser perdoado...
No fundo dessas magoas
Sobrevive a vontade de recomeçar,
A fé no amor e a esperança de felicidade...
Eu sei, aprendi com a distância,
Que os desencontros e as diferenças
São os nossos pólos apostos que se atraem.
A distância e a solidão me ensinou ainda
Que o amor não esconde nossa humanidade
Com nossos erros e fraquezas...
Aos poucos rumino esse orgulho,
Logo estarei pronto para te perdoar...

Darci Costa
J.Nunez

Seguidores

Seguidores Blog Cidade de Marília

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA

HORÁRIOS DE ÔNIBUS - MARÍLIA
ÔNIBUS